Lula transfere três vezes mais votos que FHC

17 05 2010

Na mesma pesquisa CNT/Sensus, a constatação: Lula tem maior poder de transferência de votos que FHC. Vale a pena ler os dados. A reportagem está na Folha Online.

17/05/2010 – 12h21

Pesquisa indica que Lula transfere mais votos a seu candidato do que FHC

GABRIELA GUERREIRO
da Sucursal de Brasília

Pesquisa CNT/Sensus divulgada nesta segunda-feira mostra vantagem do presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) no que diz respeito à transferência de voto para o seu candidato à Presidência da República.

Segundo o levantamento, 60,8% dos brasileiros estão dispostos a votar no candidato à Presidência da República apoiado por Lula. Outros 20,7% responderam que não votam no candidato que tem o apoio do petista, enquanto 15,6% votariam apenas se conhecessem o candidato. Três por cento dos eleitores não responderam.

Em outra lista, 23,5% responderam que poderiam votar no candidato apoiado por FHC, enquanto 55,4% não votariam no presidenciável que tem apoio do tucano. Outros 16,4% responderam que só votariam no candidato de FHC conhecendo o seu nome, e 4,9% não responderam.

Apesar do alto índice de confiança em Lula, a pesquisa mostra que a pré-candidata Marina Silva (PV) registra a maior rejeição entre os presidenciáveis –embora tenha sido ministra do Meio Ambiente do governo Lula.

Segundo a pesquisa, 34,4% não votariam na candidata do PV, enquanto 26,1% não votariam em Dilma Rousseff (PT) –candidata de Lula– e 29,5% não votariam em José Serra (PSDB).

A pesquisa mostra que Dilma representa, para a maioria dos eleitores (54,6%), a continuidade das políticas econômicas e sociais do governo Lula. Serra foi mencionado por 25,9% dos eleitores nesse quesito, enquanto Marina foi lembrada por 5,9%.

Em contrapartida, Serra lidera a preferência dos eleitores no que diz respeito à maior capacidade e experiência administrativa para governar o país. O tucano foi lembrado por 46,1% dos eleitores, enquanto Dilma por 33,1%. Marina volta a aparecer em terceiro lugar, lembrada por 6,9% dos eleitores no que diz respeito à sua capacidade de governar o país.

Critérios

A CNT/Sensus questionou os eleitores sobre os critérios de votos no seu candidato à Presidência. Segundo o levantamento, 44% dos brasileiros vão levar em conta benefícios econômicos e sociais na escolha do presidenciável. Outros 34,9% consideram que o currículo e a experiência do candidato devem ter prioridade na sua escolha.

Na opinião da maioria dos eleitores (57,1%), o governo Lula gerou o maior número de benefícios econômicos e sociais. FHC foi mencionado por 17,4% dos entrevistados.

A pesquisa mostra, ainda, que 45,7% dos eleitores vão escolher seu candidato com base em suas propostas. Outros 30,2% vão levar em conta os debates na TV para definir o seu presidenciável, enquanto 11,5% vão priorizar os programas eleitorais. Apenas 4,4% responderam que vão utilizar as notícias na internet na escolha do seu candidato.

A pesquisa CNT/Sensus foi realizada entre os dias 10 e 14 de maio, em 136 municípios de 24 Estados. Foram ouvidas 2.000 pessoas. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

A pesquisa foi registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o número 11.548/2010.





Pesquisa CNT/Sensus também coloca Dilma em 1º

17 05 2010

O País todo vai vivenciando nova rodada de pesquisas. E todas elas indicam que o povo brasileiro quer a continuidade do projeto do PT. Depois de dois mandatos de Lula, o primeiro trabalhador a chegar à presidência, agora será a vez de termos também a primeira mulher na presidência.

A reportagem a seguir foi extraída da Folha Online:

17/05/2010 – 11h45

CNT/Sensus indica empate técnico entre Serra e Dilma; petista aparece na frente

GABRIELA GUERREIRO

da Sucursal de Brasília

Pesquisa CNT/Sensus divulgada nesta segunda-feira mostra empate técnico entre os presidenciáveis Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB), com uma leve vantagem da petista sobre o tucano.

A petista recebeu 35,7% das intenções de voto, enquanto o tucano ficou com 33,2%. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Marina Silva (PV) aparece em terceiro lugar, com 7,3% dos votos, enquanto pré-candidatos como José Maria Eymael (PSDC) e Américo de Souza (PSL) ficaram, respectivamente, com 1,1% e 1%. Outros pré-candidatos mencionados na pesquisa não registraram 1% dos votos.

Folha Imagem
CNT/Sensus indica empate técnico entre Serra e Dilma; Marina  aparece em 3º lugar
CNT/Sensus indica empate técnico entre Serra e Dilma; Marina aparece em 3º lugar

Em uma segunda lista, apenas com os três presidenciáveis mais bem classificados nas pesquisas, Serra recebeu 37,8% das intenções de votos, enquanto Dilma obteve 37%.

Marina Silva recebeu 8% dos votos válidos. Os indecisos, brancos e nulos somam 17,3% nessa segunda lista. Em janeiro, edição anterior da CNT/Sensus, Serra tinha 40,7% dos votos, Dilma 28,5% e Marina 9,5%.

Espontânea

Pela primeira vez, Dilma aparece na frente de Serra na pesquisa espontânea –na qual não é apresentada a lista de candidatos aos eleitores.

A petista recebeu 19,8% das intenções de votos na espontânea, contra 14,4% do tucano.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que não é candidato, aparece em terceiro lugar na espontânea, com 9,7%. Marina Silva fica em quarto lugar, com 2,7% dos votos, enquanto o deputado Ciro Gomes (PSB) aparece em quinto lugar com 0,3% das intenções de voto –embora já tenha descartado a sua candidatura à Presidência.

Segundo turno

Num eventual segundo turno entre Serra e Dilma, a petista venceria com 41,8%, contra 40,5% para o tucano. Os brancos, nulos e indecisos somariam 17,8%.

Já num segundo turno entre Dilma e Marina, a petista teria 51,7%, contra 21,3% para a senadora do PV. Os brancos, nulos e indecisos somariam 27,2%.

Se a disputa ficasse entre Serra e Marina, o tucano teria 50,3%, contra 24,3% para a parlamentar. Os brancos, nulos e indecisos somariam 25,5%.

A pesquisa CNT/Sensus foi realizada entre os dias 10 e 14 de maio, em 136 municípios de 24 Estados. Foram ouvidas 2.000 pessoas. A pesquisa foi registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o número 11.548/2010.