A sinuca do PPS-DF

27 05 2010

Realmente delicada a situação do PPS na Capital da República – dentro de um quadro de contradições que não é de hoje.

Desde o começo, o PPS sempre serviu basicamente para garantir um mandato de federal a Augusto Carvalho. Depois, descobriu que valia e muito a pena ter um distrital, desde que este fosse assumidamente pró-GDF – sem importar de qual viés político ou adpeto de quais práticas. O importante era estar próximo ao GDF e asism poder usufruiur as benesses dos cargos e das vantagens decorrentes de um modod e fazer política que se baseia no princípio da fisiologia e da corrupção.

Veio a debacle de Arruda e com ela o naufrágio do ícone que o partido tinha, ficando refém de políticos sem expressão e que não possuem compromissos com o Partido. Usam a sigla para se eleger e depois viram as costas para a estrutura partidária e para os ‘companheiros’.

Na verdade, o PPS-DF queria estar com Agnelo – mas a nacional não permitiu. O PPS-DF não quer Roriz de jeito nenhum, mas se não vingar uma ‘terceira’ via (Demo – Pps e outros), terá apenas duas opções: ou contraria a Nacional e se junta ao PT e tenta assim garantir uma sobrevida a Augusto ou se alia a Roriz – queé a opção preferida por um segmento sem vinculação orgânica com o PPS e que ‘está’ no Partido pela necessidade de uma sigla.





Nova tiragem do Jornal Passe Livre

27 05 2010

A partir do nº434 o Jornal Passe Livre passará a circular com 60 mil exemplares por edição. Trata-se de um patamar que, em um primeiro momento, servirá para contemplar mais leitores – mas ainda abaixo da demanda que tem sido verificada pelas equipes de distribuição.

Conforme relatos, pessoas de cidades satélites tem sugerido que o jornal também seja distribuído nas cidades, tendo em vista que muitos não vêm ao Plano Piloto e não circulam pela Rodoviária Urbana. Chegar até estas pessoas é o próximo desafio, o qual somente pdoerá ser enfrentado com uma tiragem excedente (além dos 60 mil) e uma estrutura ampliada de distribuição.

A receptividade ao jornal é uma demonstração clara de que a proposta diferenciada de comunicação do Jornal Passe Livre continua atual – informação curta, com enfoque centrado na realidade de Brasília e nos anseios de seus moradores. Esta empatia pode ser também confirmada pela média diária de acessos ao blog.