Rodoviários em greve

20 06 2010

Foi nesta manhã de domingo, com a  massiva participação dos filiados, que o Sindicatos dos Trabalhadores Rodoviários de Brasília acatou deliberação da Assembléia e está confirmada a greve da categoria a partir da 0 hora desta segunda-feira, dia 20.

É uma queda de braço muito antiga e que acaba sempre prejudicando a classe trabalhadora que fica sem meios de chegar ao seu trabalho. O que precisa ser feito, com urgência, aqui no DF é uma revolução no transporte coletivo – que é ruim, caro e ineficiente. Apenas os donos de empresas de ônibus sempre se dão bem.

Há uma determinação legal de manter 60% da frota rodando, algo que transcende os 30% ‘comuns’ a outras decisões da Justiça em outros estados. Trata-se de uma queda de braço entre a ganância dos empresários e a força de uma das categorias mais mobilizadas do DF – ainda mais que enfrentando o arrocho salarial.

De qualquer sorte, anuncia-se uma segunda de caos e confusão.

Abaixo, a matéria do Correio Braziliense:

Rodoviários decretam greve geral a partir da 0h desta segunda-feira  

Leilane Menezes

Manoela Alcântara

Publicação: 20/06/2010 12:19 Atualização: 20/06/2010 18:38

Os rodoviários decretaram greve geral em votação unânime, na manhã deste domingo (20/6). Cerca de 4.500 representantes da categoria foram até a assembléia, no Conic, para confirmar a paralisação anunciada para começar no primeiro minuto desta segunda-feira. Com isso, os brasilienses devem se preparar para o mesmo tráfego intenso visto na semana passada.

O sindicato dos rodoviários irá cumprir a decisão do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de manter 60% da frota de ônibus rodando na cidade. Porém, o presidente da entidade, João Osório, não concorda com essa imposição. “Esse percentual é abusivo. Greve tem que ser feita com o mínimo e não com o máximo”, disse. “Já estamos lutando na Justiça do Trabalho para rodar com 30% da frota”, complementou.

Entre os benefícios exigidos para que o transporte público volte ao normal, estão o aumento salarial de 20% e a renovação do acordo coletivo que garante uma lista de cerca de cem benefícios. Porém, os empresários se recusam a atender às exigências dos rodoviários sem o aumento de 28% no preço da tarifa. O governo, por sua vez, afirmou que não vai intervir na questão e não fala em alterar o valor das passagens.





Por que o Brasil não pode perder?

20 06 2010

Eu já mudei o título várias vezes… afinal de contas, a gente sempre fica ná dúvida…

Hoje à tarde, estive em convenções partidárias aqui no DF e para minha sorte desviei meu roteiro que previa fotografar algumas cidades do DF para acervo de meus trabalhos na área de comunicação. Digo sorte porque só assim tive a oportunidade de visitar e conversar com pessoas de todo Brasil que estão na Capital Federal participando da VII Feira Nacional da Agricultura Familiar e Reforma Agrária.

Confesso: me emocionei.

Vale a pena ir até lá, perto da Concha Acústica, nas proximidades do Alvorada. É uma aula de Brasil. Mas vá desarmado. Não vá apenas para compra. Vá para conversar. Vá para conhecer um Brasil que estava escondido, um Brasil que poucos conhecem.

É um Brasil que trabalha. É um Brasil que produz. É um Brasil com orgulho. Poderia trocar Brasil por Brasileiros. Talvez fosse mais correto, mas eu correria o risco de não dar o sentido e a dimensão que sinto necessidade de expor.

Passei horas andando pelos estandes, conversando com pessoas que vieram de onde eu vim – da roça, do interior – trabalhando na agricultura como meus pais trabalharam. Sempre sem apoio. Sempre sabendo que o crédito e as oportunidades estavam reservadas apenas aos grandes produtores. Aos que tinham força política.

Foi o Governo do PT, com Lula em dois mandatos e com Dilma a partir de janeiro de 2011, que jogou uma luz sobre este Brasil que produz, que sonha e que voltou a ter coragem de ver o amanhã. E posso dizer: ali não estavam ‘petistas’, mas o]um Brasil que transcende esta questão partidária. Que não se baliza pela mídia e nem memso pelos discursos insanos que a oposição faz. É um Brasil com coragem para pensar por sua própria cabeça e que não quer e nem aceita tutela de  quem quer que seja.

Conversei com produtores do RS, SC, PR, MG, ES, RJ e com mais não falei porque o tempo se foi e já mudei minha agenda do domingo para poder voltar lá e continuar conversando. Continuar conhecendo um Brasil que a oposição, que a mídia e boa parte do judiciário não conhece e que na verdade tem verdadeiro ódio.

As eleites odeiam este Brasil porque este Brasil é a prova cabal de que apostar em Agriculrura Familiar – apostar no Brasil e Brasil como sinônimo de brasileiros e brasileiras – é a grande saída. E mostra o acerto da nossa futura presidenta, Dilma Rousseff, em assumir o compromisso de criar o Ministério da Micro e Pequena Empresa.

Sim…

Porque da mesma forma que meu pai e minha mãe jamais tiveram apoio ou acesso a crédito, tecnologias e informação para produzir mais e melhor e também vender seus produtos sem caírem nas garras dos intermediários, assim também os pequenos e micro-empreendedores são proibidos de acessar o Ministério da Indústria e do Comércio e sonham com a criação de um Ministério que olhe para eles comoo MDA-Ministério do Desenvolvimento Agrário teve coragem de olhar para este Brasil que produz.

Desarme-se de preconceitos e vá. Mas vá com calma. Com tempo para visitar, para conhecer, para conversar. Não fique preocupado, porque o povo todo é bom de conversa. Vá conhecer este Brasil. É importante saber que este Brasil hoje tem razões para ser motivo de orgulho de todos nós. Não apenas para quem é filho de agricultores. Filho de quem foi expulso pelo campo pela concentração fundiária que foi alrgamente incentivada pelas elites.

Mas não pense que você vai encontrar um Brasil com ódio ou com raiva. Indo na Feira, você vai encontra um Brasil que sorri. Que sabe das dificuldades. Mas que sabe que agora não está mais sozinho. E que tem a consciência de que não tem porque retroceder a um tempo no qual ser pequeno agricultor era estar abandonado.

Estou falando muito de agricultura… ela é a base da alimentação. Até porque o agro-negócio é bom para produzir soja, cana de açúcar, milho – boi para exportação. Quem alimenta o Brasil é a antes abandonada agricultura familiar.  Que voltará a ficar abandonada se um cara como o Sera, os tucanos e o demos voltarem ao poder. Porque eles querem o País apenas para as elites, não para o Brasil.

Portanto, neste domingo, antes da seleção jogar, conheça o Brasil. O Brasil de todos os cantos da Nação agradece…