Agnelo Queiroz lidera no DF

27 08 2010

É preciso ter muita cautela quando o assunto é pesquisa. Elas não definem eleição e podem sofrer toda sorte de ajustes metodológicos e mesmo de manipulação. Mas é inegável que há uma discrepância abismante entre os dados da Soma – empresa de Ricardo Pena e que desde janeiro de 1999 se esmerou na arte de ter uma parceria operacional com o GDF ao pon to de ser Secretário de Estado e, mesmo assim, sua empresa ser contratada para apresentar resultados de pesquisas. Também depõe contra a empresa o fato do seu dono, Ricardo Pena, ter sido apontado pela CPI do mensalão do demo como integrante do malfadado esquema que, todos sabem, começou em janeiro de 1999.
Hoje, sexta, dia 27, foram divulgadas duas pesquisas e os dados preliminares de uma terceira – que estarão disponíveis na íntegra a partir deste sábado no http://www.exataop.com.br – e que talvez reflita melhor o atual momento das eleições no DF.
Quando foi divulgado o empate técnico entre Roriz e Agnelo pelo levantamento do Datafolha, a equipe de comunicação da turma do atraZo logo fez circular os dados de uma pesquisa da Soma, mostrando Roriz (que o TRE-DF considerou como ficha-suja, impugnando sua candidatura) vários e injustificáveis pontos à frente.
Durante a tarde, outra pesquisa, ainda na base da informação incompleta, apontou algo que está mais próximo da realidade que se vivencia nas ruas – colocando Agnelo com 38,2% e Roriz com 35,4% rigorosamente empatados dentro da margem de erro de 2% para mais e para menos. Esta pesquisa, da Exata, trouxe outra notícia preocupante para Roriz: em um eventual segundo turno, Agnelo venceria por 44,4% contra 38,3% – lembrando sempre que Roriz está impugnado pelo TRE-DF, com recurso no TSE.





O TRE-DF voltou a trabalhar. Por Roriz

27 08 2010

Ao conceder ‘direito de resposta’ ao chefe do esquema do Mensalão do Demo, uma Juíza Eleitoral mostrou que Roriz já conseguiu reconstruir seus vínculos com uma banda da Justiça. E isto é extremamente perigoso.
Ao conceder ‘direito de resposta’ a dita ‘magistrada’ ignorou a própria condição de Roriz que teve sim seu pedido de registro indeferido. O recurso não o absolve da verdade: ele é, pelo TRE-DF, um político FICHA SUJA.





Pesquisa amiga alivia pressão sobre Roriz

27 08 2010

No mesmo dia no qual o Datafolha apontou situação de empate técnico entre as candidaturas ao GDF de Agenlo Queiroz e Joaquim Roriz (este considerado ‘ficha-suja’ pelo TRE-DF), com 35% para Agnelo e 41% de Roriz que faz tempo está estagnado neste patamar enquanto que Agnelo cresce a cada nova pesquisa, eis que, como se fosse um passe de mágica, poucos instantews depois surge uma pesquisa pontual da Soma colocando Roriz com 15 pontos de vantagem.
Nunca é demais lembrar que a Soma é empresa amiga do atraZo, tendo como dono Ricardo Penna, sempre prestando serviços tanto ao chefe Roriz quanto ao seu sucessor Arruda. Ricardo Pena foi, inclusive, indiciado pela CPI da Codeplan – a mesma que envolveu o próprio Roriz no esquema de corrupção implantado no DF a partir de janeiro de 1999.
Mas mesmo a Soma começou, de modo lento e perceptível, um ajuste com a realidade. Emagreceu 1% do Roriz e fez Agnelo crescer de 28% para 31%. Mas, cá entre nós, é muita cara de pau…





TRE-DF caçou Roriz. E daí?

27 08 2010

Ele, TRE, caçou e ele, agora assumido e reconhecido ficha-suja, continua ridicularizando o próprio Judiciário. Até quando?





Alckmin, porta-voz da Opus Dei?

27 08 2010

Confesso: não morro de amores pelo modo paulistano de pensar, agir e reduzir o Brasil aos seus interesses, numa doentia tentativa de nos transformar em escravos do seu pensamento e de suas verdades. São Paulo tem seus fascínios, como por exemplo a excelência da comida servida nas tratorias e cantinas. O que mais?
Mas é inegável que o episódio eleitoral deste ano está revelando algumas realidades estranhas. Me atenho a três delas.
Roberto Requião, seguramente um dos melhores políticos em atividade em nosso País, não cosneguiu ‘fazer’ um sucessor capaz de dar continuidade à sua obra. E agora corre o risco de entregar tudo de mão beijada para um Beto Richa ou Osmar Dias – que são a mesmíssima coisa ou seja: são apenas coisa.
Hélio Costa, uma vez mais, larga como favorito – mas tenho para mim que sua extremada submissão à Globo é responsável por suas derrotas. Minha dúvida é saber quem a Dilma Rousseff vai colocar no Ministério Privado das Organizações Globo, vulgarmente chamado de Ministério das Comunicações? Em Minas, salvo engano, o PT que já foi grande, será o maior derrotado em casod e vitória de Anastasia.
Por fim, o tal do picolé de xuxu.
Mesmo que ele negue, Geraldo Alckmin é o ícone político da Opus Dei – grupo terrorista-teocrático abrigado na estrutura da Igreja Católica. Tanto isto é verdade que ele, Alckmin, homenegou a sua seita no ano do cinquentenário dela (1978) com o nome de uma rua em Pindamonhangaba. A rua se chama Josemaría Escrivá de Balaguer – o criador da seita, que se tornou aceita pela Igreja Católica por contar (a seita) com a proteção do ditador Franco.
Como pode que em pleno séc. XXI, uma sociedade, como a paulista, que se vangloria de ser cosmopolita, mas que deixa um bairro inteiro como o Bixiga transformar-se num cortiço e num prostíbulo com 24 horas de funcionamento, como pode… um fascista assumido e defensor da Opus Dei, que no Brasil teve seu auge e esplendor com a TFP, uma espécie de Opus de segunda linha, virar governador?
Alguém consegue explicar a lógica dos paulistas?





Jornal Passe Livre nº 448

27 08 2010

Circula nesta sexta, dia 27, a edição do jornal Passe Livre 448.
Lembrando que a partir da próxima semana, as edições passarão a ser nas terças e sextas.