Serra manda em Gilmar?

30 09 2010

Além do acelerado processo de decadência e perda de credibilidade dos meios de comunicação, outro episódio importante está a exigir uma ação por parte da sociedade: a incompatibilidade das paixões partidárias e dos compromissos com segmentos à margem da Lei que marcam a postura de Gilmar Mendes (a quem até veículos da Rede Globo já chamaram de Gilmar Dantas).
Não possui nenhuma condição ética de continuar no STF e, pelo visto, caberá à sociedade um processo para expulsá-lo da Suprema Corte – que se apequena com a presença desta figura que já foi publicamente desmascarada por Joaquim Barbosa.
Qual o caminho para excluir Gilmar?
Por acaso, a matéria abaixo, veiculada pela Folha Online, não é uma justificativa? Ela é apenas um episódio a mais na vewrgonhosa folha corrida de Gilmar enquanto ‘ministro’ – podendo ser lembrado aqui o episódio dos dois HC para Dantas, o grampo sem áudio para outro escroque como Demóstenes Torres (Demo-GO), a luta contra a ação da PF.

30/09/2010 – 10h33
Jefferson chama Serra de ‘autista’ e diz que tucano ‘mandou mal’ ao expor Mendes
DE SÃO PAULO

O ex-deputado federal Roberto Jefferson, presidente nacional do PTB, criticou nesta quinta-feira, pelo Twitter, o tucano José Serra por ele ter telefonado e “exposto” o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar Mendes.

“Serra expos o Ministro Gilmar Mendes de (sic) publico. Mandou mal”, disse Jefferson. “As vezes penso que o Serra e altista [autista]. Só pensa em si próprio. Ruim, expos o Gilmar Mendes”, reiterou.

Após receber uma ligação do candidato do PSDB, Mendes interrompeu o julgamento de um recurso do PT contra a obrigatoriedade de apresentação dos dois documentos na hora de votar.

Serra pediu que um assessor telefonasse para Mendes pouco antes das 14h, depois de participar de um encontro com representantes de servidores públicos em São Paulo. A solicitação foi testemunhada pela Folha.

No fim da tarde, Mendes pediu vista, adiando o julgamento. Sete ministros já haviam votado pela exigência de apresentação de apenas um documento com foto, descartando a necessidade do título de eleitor.

A obrigatoriedade da apresentação de dois documentos é apontada por tucanos como um fator a favor de Serra e contra sua adversária, Dilma Rousseff (PT).

A petista tem o dobro da intenção de votos de Serra entre os eleitores com menor nível de escolaridade.





Gilmar, sempre Gilmar

29 09 2010

Impressiona a forma partidária e apaixonada como o ministro Gilmar mendes, do STF, atua. É, inclusive, algo que merece aplausos a sua extremada coerência em sempre se posicionar em favor das demandas que atendem aos interesses de seu partido.
É o caso deste julgamento do STF acerca da obrighatoriedade de levar dois documentos no domingo. Mesmo estando 7 a 0 em favor de mudar esta determinação, ainda assim ele pediu vistas… É cada uma deste ministro…

Pedido de vista de Gilmar Mendes suspende julgamento sobre exigência de dois documentos para votar

Débora Zampier
Repórter da Agência Brasil

Brasília – O Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu hoje (29) o julgamento sobre a necessidade de o eleitor apresentar dois documentos na hora de votar. O julgamento foi interrompido por um pedido de vista do ministro Gilmar Mendes, quando a votação estava em 7 a 0 pela apresentação de apenas um documento com foto. Mendes disse que “vai tentar” trazer seu voto amanhã (30).

Para a relatora do caso, ministra Ellen Gracie, “a norma jurídica contestada, com o propósito de alcançar maior segurança, estabeleceu na verdade a obrigação de apresentação de documento oficial com foto”. A ministra ainda disse que a presença do título eleitoral não é tão indispensável quanto a identificação com fotografia.

“Cada urna conhece seus eleitores. Cada urna eleitoral tem o máximo de 400 eleitores do distrito. Se qualquer outra pessoa for votar naquela urna, não aceita o voto. Além disso, o caderno de votação tem dados do eleitor, como data de nascimento e filiação. Não é cabível que [a não apresentação de dois documentos] se torne um impedimento ao voto do eleitor. Essa análise é ofensiva ao principio da razoabilidade, uma exigência desmedida”, disse Ellen.

O voto de Ellen foi seguido pelos ministros Antonio Dias Toffoli, Marco Aurélio, Carlos Ayres Britto, Cármen Lúcia e Joaquim Barbosa. O ministro Ricardo Lewandowski, que também é presidente do TSE, acompanhou o voto da relatora, mas sugeriu que o eleitor possa votar só com título, desde que identificado pelo mesário por outros meios.

Se o ministro Gilmar Mendes não apresentar seu voto amanhã, a exigência dos dois documentos – título de eleitor e documento oficial com foto – na hora de votar vai valer para as eleições do próximo domingo (3). Isso porque o julgamento não foi encerrado, mas o placar de 7 a 0 indica que ação será acolhida pelo STF.





Fichas-sujas não terão votos computados

29 09 2010

Copio e colo texto veiculado pela Agência Brasil.

Votos em ficha suja serão anulados até posicionamento definitivo do STF, afirma Lewandowski

Débora Zampier
Repórter da Agencia Brasil

Brasília – O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Ricardo Lewandowski, disse hoje (29) que os candidatos que atualmente estão barrados pela Lei da Ficha Limpa podem ser votados, mas que o voto será considerado nulo até que uma possível decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) reverta a inelegibilidade.

“O que nossas máquinas estão programadas é para que os candidatos que não obtiverem registro até o momento da eleição, vai aparecer simplesmente um zero [na contagem dos votos]. Esses votos irão para um arquivo separado e futuramente o tribunal decidirá como vai computar esses votos, pois pode haver uma reversão no STF [sobre a inelegibilidade do candidato]”, disse Lewandowski.

No fim do ano passado, uma lei aprovada pelo Congresso Nacional incluiu um artigo na Lei das Eleições que afirma que o candidato com registro pendente de análise judicial pode participar normalmente do processo eleitoral e, inclusive, ser votado enquanto estiver sob essa condição, “ficando a validade dos votos a ele atribuídos condicionada ao deferimento de seu registro por instância superior”.

Um dos pontos que também não foram definidos com a lei é a situação dos puxadores de votos que tiverem o registro negado em definitivo: se os votos vão para a legenda ou são totalmente anulados. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) deverá analisar os efeitos da lei antes do dia 17 de dezembro, data da diplomação dos eleitos.

Questionado sobre a possibilidade de um político obter o diploma caso a situação dele ainda esteja sub judice no dia agendado para a diplomação, o ministro Marco Aurélio Mello, que também é do TSE, disse que “parece uma incoerência diplomar um candidato que não teve seu registro liberado”, mesmo que o recurso sobre o registro esteja pendente de análise judicial.





Roriz desrespeita liminar

29 09 2010

Para quem, tal qual Roriz, resolveu transformar a eleição num grande circo, buscando, através do descrédito de todo o processo, uma espécie de cortina de fumaça para não reconhecer a vitória do adversário, nada deve surpreender.
Durante a tarde, já com a vigência da liminar, cabos eleitorais estavam ao longo da Epia colocando faixas e fixando material. Numa demonstração de que, para esta gente, viver à margem da lei é uma opção de vida, um modo de se relacionar com a sociedade.
Transcrevo o material – desta vez bem completo e com um texto de qualidade – veiculado no portal do Correio Braziliense:

TRE-DF suspende material de propaganda eleitoral de Weslian Roriz
Ana Elisa Santana

Publicação: 29/09/2010 13:39 Atualização: 29/09/2010 14:32

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Distrito Federal decidiu, nesta quarta-feira (29/9), suspender o material de propaganda eleitoral da coligação Esperança Renovada, da candidata Weslian Roriz (PSC), que faça referência a Joaquim Roriz como aspirante ao GDF. A medida foi tomada após o tribunal receber uma representação protocolada pela coligação Novo Caminho, do concorrente de Weslian, Agnelo Queiroz (PT).

De acordo com a decisão do TRE, está proibida a veiculação de propaganda em rádio, televisão e internet em que Joaquim Roriz figure como candidato. Em um prazo de 12 horas, a coligação deverá ainda retirar das ruas todo material impresso, pintado ou estampado, que indique o ex-governador como aspirante ao Buriti. A mesma regra vale para as propagandas de candidatos a outros cargos que sejam apoiadores de Roriz.

Segundo o coordenador jurídico de campanha da coligação Novo Caminho, Claudismar Zupiroli, a ação foi protocolada para que o eleitor não seja induzido ao erro, já que o material em questão não esclarecia que a real candidata ao GDF, após a renúncia de Joaquim Roriz, é a esposa dele, Weslian Roriz.

Caso a determinação não seja cumprida, a fiscalização do TRE fará o recolhimento do material irregular. Está prevista, ainda, multa diária de R$ 10 mil, tanto em caso de veiculação de programas que não estejam de acordo com a decisão do tribunal, quanto pela exposição de material irregular nas ruas.

===
Apenas para ajudar:
Se o pessoal do TRE quiser realmente cumprir a liminar, pode fazer um comboio pela Epia, no Guará e principalmente recolhendo placas de rua onde está a foto de Roriz, o ficha-suja, com algum candidato.





Ibope: Dilma tem 50%. Só o Datafolha salva o Serra

29 09 2010

Tirante o Datafolha, que se presta a servir de escada para a campanha de Serra, os demais institutos de pesquisa confirmam que Dilma Rousseff ganha a eleição no 1º turno. Depois do alento da pesquisa Datafolha trazendo números sob medida para reanimar a turma do Demo e os verdes, eis que voltamos à realidade: tanto para o Vox Populi, quanto para o Ibope, a fatura está liquidada.
Para desespero da mídia, a pesquisa do Ibope divulgada hoje é devastadora para os planos da imprensa e aponta que a fatura, salvo alguma hecatombe de última hora ou uma manipulação estrondosa do noticiário. Os dados coletados nos dias 26, 27 e 28 de setembro indicam que Dilma tem 50% das intenções de voto; Serra, sabe-se como, consegue ter 27% e a Marina ‘sem sentido’ consegue 13%. Os outros, entre os quais o Plínio, somam 1%.
Noves fora, tirante um percentual de brancos e nulos (4%) e de indecisos (4%), pode-se dizer que a fatura está liquidada e a vaca do Serra e sua trouppe foi para o brejo.
Vamos ver como a mídia vai manipular estes dados.





Alckmin, o chuchu fujão da Opus Dei

29 09 2010

É interessante notar como a Opus Dei – uma facção fascista da Igreja Católica e que se baseia nos princípios que nortearam a ação da ‘Santa Inquisição’ (não deve ter sido apenas por acaso que a Opus Dei tenha sido sistematizada ideologicamente por um espanhol, tendo em conta que o mais ‘famoso’ inquisidor foi Torquemada – conhecido por sua campanha contra os judeus e muçulmanos convertidos da Espanha) – consegue se espalhar, sem ser cobrada pela mídia.
Alguns exemplos patéticos da rede de proteção que a Opus Dei usa para proteger os seus adeptos: Geraldo Alckmin, por exemplo, é destas figuras perversas e que se mantém no poder ainda que destituídas de compromissos com a sociedade. Outro exemplo é o tal de Ives Gandra, subitamente transformado em referencial ético pelos ‘nazi’ do CNJ. Anda de ponta a ponta do País fazendo palestras em Tribunais de Justiça, despejando preconceitos e aleivosias, tudo sob o manto da doutrina da Opus Dei.
Existem outros, como Boris Casoy – mais conhecido pelo passado de caçador de comunista e o presente de preconceituoso contra aqueles que executam tarefas mais humildes dentro da sociedade.
Mas o que poucos sabiam é que ser chamado de chuchu deixa Alckmin com ares de inquisidor, como se naquele momento fosse tomado do ódio de um Torquemada tupiniquim, julgando-se um enviado de Deus pela graça de Josemaría Escrivá.
Quanto tempo vai demorar para que o Brasil se livre destes entulhos obscurantistas assim tão bem personificados no Chuchu?





A Grande Família Roriz

29 09 2010

Não sei quem é o autor desta obra-prima, mas vale a pena se deleitar. E se envergonhar de viver em uma cidade/estado onde este povo ainda consegue tapear incautos.