Datafolha: Dilma tem 50% na pesquisa

11 09 2010

Como deve doer no pessoal da Folha divulgar uma notícia assim…

10/09/2010 – 20h24
Com 50%, Dilma mantém vantagem e quadro é de estabilidade, diz Datafolha

ALEC DUARTE
EDITOR-ADJUNTO DE PODER

A 23 dias da eleição, pesquisa Datafolha realizada nos dias 8 e 9 de setembro aponta para um quadro de estabilidade na disputa presidencial.

Com 50% das intenções de voto, a candidata petista Dilma Rousseff manteve o percentual registrado na pesquisa anterior, realizada há cinco dias.

Seu principal adversário, o tucano José Serra, oscilou negativamente um ponto percentual e registrou agora 27% das menções do eleitorado. Marina Silva (PV) foi de 10% para 11%.

Todas as variações estão dentro da margem de erro do levantamento, que é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Os outros candidatos não alcançaram 1%, enquanto 6% dos entrevistados se dizem indecisos, e outros 4% declaram que irão votar em branco ou anular o voto.

A pesquisa Datafolha mostra que a ex-ministra ampliou sua vantagem na Bahia e em Pernambuco, exatamente os Estados em que Serra mais caiu.

A preferência por Dilma entre os pernambucanos é de 67% contra 18% que mencionam o nome do tucano (há cinco dias o levantamento registrou 62% a 21%), enquanto entre os baianos chega a 64% contra 18% que dizem votar em Serra (era de 60% a 22%).

A evolução por estratos socioeconômicos e demográficos apresentou pouca variação, e foi a senadora Marina Silva quem mais cresceu nos últimos cinco dias.

É o caso entre os eleitores com escolaridade superior, parcela em que Dilma caiu cinco pontos percentuais, para 37%, e Marina ganhou quatro, subindo para 23% (Serra oscilou um ponto para cima e está com 30%). Entre os de maior renda familiar, a petista perdeu sete pontos, enquanto a verde conquistou seis.

SEGUNDO TURNO
A simulação de segundo turno feita pelo Datafolha também apontou estabilidade. Dilma prosseguiu com os mesmos 56% que havia registrado no último levantamento, e Serra oscilou um ponto para baixo (35%).

O mesmo pode-se dizer para a rejeição dos candidatos: agora, 32% dizem que não votariam em José Serra (eram 31% há cinco dias), contra 22% que reprovam Dilma (21%) e 16% que não consideram votar em Marina (ante 17%).

Os contratantes do levantamento são a Folha e a Rede Globo. Foram ouvidos 11.660 eleitores em 414 municípios brasileiros. A pesquisa está registrada no TSE sob o número 28809/2010.





Alckmin cai em SP, Tarso lidera no RS e muito mais

11 09 2010

Eis um rápido apanhado das pesquisas divulgadas hoje, sexta-feira, acerca de disputas para governos estaduais e também para o Senado.

São Paulo: Alckmin cai

O candidato do PSDB ao governo de São Paulo, Geraldo Alckmin, caiu cinco pontos percentuais (veja gráficos com a pesquisa eleitoral atual e anteriores) na preferência do eleitorado, saindo de 51% das intenções de voto para 46%, segundo pesquisa Ibope divulgada nesta sexta-feira (10) e realizada entre 7 e 9 de setembro. Ainda assim, o tucano venceria no primeiro turno, obtendo 58% dos votos válidos.

Seu rival na disputa, Aloizio Mercadante, oscilou dois pontos, passando de 20% para 22% no atual levantamento. Na soma dos votos válidos, teria 27%. A sondagem anterior havia sido feita entre 31 de agosto e o dia dois deste mês. Uol Eleições)

RS: Tarso pode liquidar a fatura

O candidato do PT ao governo do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, mantém a liderança com folga na disputa, com 42% das intenções de voto, segundo o Datafolha. O percentual é idêntico ao registrado na rodada anterior, de 23 e 24 de agosto.

Os dois adversários na corrida, José Fogaça (PMDB) e Yeda Crusius (PSDB), oscilaram um ponto para baixo cada um. O peemedebista marca 26%, e a tucana, 13%. (Silvio Navarro – Folha Online)

PE: a lavada de Eduardo Campo

O governador Eduardo Campos (PSB) mantém a liderança na disputa pelo governo de Pernambuco e, se as eleições fossem hoje, seria reconduzido ao cargo já no primeiro turno.

Segundo pesquisa Datafolha realizada nos dias 8 e 9 de setembro, Campos tem 63% das intenções de voto, enquanto o senador Jarbas Vasconcelos (PMDB) está com 21%. (Uirá Machado – Folha Online)

PR: Osmar Dias encosta em tucano

Caiu pela metade a vantagem de Beto Richa (PSDB) sobre Osmar Dias (PDT) na disputa pelo governo do Paraná, aponta o Datafolha. O tucano, que no final de agosto estava 13 pontos à frente do pedetista, viu a diferença se reduzir para 6 pontos percentuais.

Segundo pesquisa realizada pelo Datafolha nos dias 8 e 9 de setembro, Richa tem 44% das intenções de voto, enquanto Dias chega a 38%.

No levantamento anterior (23 e 24 de agosto), o tucano tinha 47%, e o pedetista, 34%. (Uirá Machado – Folha Online)

RJ: Sérgio Cabral folgado na liderança

Pesquisa Ibope divulgada nesta sexta-feira (10) aponta o candidato à reeleição ao governo do Rio de Janeiro, Sergio Cabral (PMDB), com 57% das intenções de voto, seguido de Fernando Gabeira, do PV, com 14%.

Fernando Peregrino, do PR, aparece em terceiro lugar com 3% das inteções de voto. Eduardo Serra (PCB) e Cyro Garcia (PSTU) tiveram 1%. Jeferson Moura, do PSOL, não foi citado na pesquisa. Votos brancos e nulos somaram 11%, e indecisos 12%. (Folha Online)





Pesquisa Datafolha: Roriz, o ficha-suja continua caindo

11 09 2010

Só falta a Soma assumir que some copm dados e ajusta as pesquisas aos interesses do chefe do atraZo. Depois dos números da pesquisa Exata, que muita gente tratou de desqualificar, eis que a serrista Datafolha sentenciou: Agnelo vbirou as eleições no DF e tem hoje 11 pontos de vantagem sobre Roriz – o ficha-suja.
Eis a matéria/repórtagem chupinhada do portal Uol Online.

10/09/2010 – 19h00

Agnelo sobe nove pontos e vira a eleição no DF, diz Datafolha

SILVIO NAVARRO
DE SÃO PAULO

Com a candidatura ameaçada pela aplicação da Lei da Ficha Limpa, Joaquim Roriz (PSC) caiu oito pontos e perdeu a dianteira da corrida eleitoral no Distrito Federal para o candidato do PT, Agnelo Queiroz. Segundo Datafolha, o petista cresceu nove pontos e tem hoje 44%, contra 33% do ex-governador.

Roriz aguarda o julgamento de um recurso contestando o impedimento de sua candidatura pela Justiça Eleitoral.

Toninho do PSOL tem 3% das intenções de voto, e três candidatos somam 1% cada: Rodrigo Dantas (PSTU), Eduardo Brandão (PV) e Newton Lins (PSL).





Sigilos: Serra e a histeria da derrota

11 09 2010

Neste episódio todo envolvendo a ‘violação’ do sigilo de milhares de pessoas, sai das sombras a fdigura perversa da ‘filha’ do Serra. Sabe-se, com o suceder das revelações, que a filha de Serra é contumaz contraventora – daquelas que orgulhariam qualquer pai mafioso.
Não se trata de suposição, mas da perversa e cruel realidade decorrente da impunidade desta figurinha – Verônica Serra – sócia e amiguinha de outra figurinha perversa – Verônica Dantas, irmã do maior criminoso no Brasil, o único que conta com um defensor dentro do Supremo. É muito chique alguém ter um ministro no Supremo só para cuidar dos seus interesses criminosos…
O que dirá Serra agora, quando enfim é revelado que o filho de Lula também teve o seu ‘sigilo’ devassado? Terá a mesma ênfase cênica de indignação? Ou assumirá que não passa de um parlapatão cínico, hipócrita e imbecil…?
Tenho sempre dito que o PT ganhou duas eleições – se encaminha para a terceira. O que não quer dizer que ganhou o Governo. O Governo brasileiro traz uma cultura construída ao longo de 500 anos de desmandos, de transformação do poder em instrumento de uma elite perversa – da qual Serra, Alckmin, Aécio e mesmo alguns petistas (tipo Mercadante e Martha) são os representantes do momento. Descartáveis, partes de um jogo.
Vamos ver como o Serra irá reagir depois que a imprensa passou a noticiar que também o filho de Lula teve o seu sigilo violado. Vai ficar quieto feito uma anta de presépio?
Transcrevo a seguir a nota do Lauro Jardim, da enojante Veja. E vou continuar esperando alguma reação de Serra em defesa do filho de Lula.

Nada menos que sete CPFs diferentes com o nome de Fábio Luiz da Silva foram consultados pelo terminal de Adeildda Ferreira dos Santos no escritório da Receita Federal em Mauá. Os acessos ocorreram no intervalo de tempo de apenas vinte e oito segundos da manhã do dia 20 de setembro do ano passado.

Não é possível saber pelo relatório da Serpro, que foi enviado à Receita Federal para ajudar nas investigações da quebra de sigilo fiscal dos tucanos, qual tipo de dado desses Fábios foi acessado – se as declarações de imposto de renda ou apenas dados cadastrais – e a motivação para cada uma das consultas.

Aliás, há um quase homônimo famoso deles: Fábio Luís Lula da Silva, o Lulinha, filho do presidente Lula.Por Lauro Jardim