Família Roriz em ação

3 10 2010

Deu na Folha Online

03/10/2010 – 16h42
Candidato a deputado agride fiscal de coligação no Distrito Federal
DA AGÊNCIA BRASIL

Ao distribuir santinhos às pessoas que chegavam para votar numa seção eleitoral em Santa Maria (DF), o candidato a deputado distrital Paulo Roriz (DEM) agrediu a fiscal da coligação contrária (PT, PDT, PSB), Tatiana Gomes Araújo.

Tatiana alertou Paulo Roriz de que a prática era proibida e, com isso, recebeu um empurrão. Ela revidou com tapas e socos e acabou sendo agredida por Roriz. O caso foi parar na 33ª Delegacia de Polícia para registro de ocorrência.

O delegado do TRE (Tribunal Regional Eleitoral) esteve na delegacia e informou que o episódio não foi caracterizado como crime eleitoral.

===
Ou seja: são sempre eles. Até quando?





DF: Boca de urna confirma vitória de Agnelo

3 10 2010

Boca de urna realizada pela Exata OP aponta vitória de Agnelo Queiroz, do PT, no 1º turno.
Mais detalhes em instantes.





DF: as mesmas baixarias dos mesmos de semrpe

3 10 2010

Nos estertores do rorizismo continuamos a assistir os espetáculos deploráveis de panfletos apócrifos. Eles trazem o memso estilo redacional, a mesma imbecilidade conteudística. Este material traz no seu ‘dna’ as marcas do desespero e do desrespeito. Mostram a que ponto chegou este grupo que, para o bem de Brasília, está sendo varrido do mapa eleitoral.
Não é apenas Roberto Policarpo que está sendo covardemente atacado. Na sexta-feira, distribuíram panfletos contra Rollemberg no Núclo Bandeirante – tachando-o de estuprador
O que querem estas figuras decrépitas, que atuam nas sombras, que se valem da cumplicidade de uma Polícia Civil que não investiga?
Confesso: não iria votar em Policarpo para Federal, mas por conta desta vilania, desta violência covarde e solerte, ele passa a ter o meu voto.





Exata: Agnelo ganha com 54% no 1º turno

3 10 2010

A mais recente pesquisa da Exta O&P confirma: Agnelo vencerá no DF em 1º turno. Ao contrário de outros institutos que foram naquela onda de ‘interpretação’ subjetiva, onde 49% pode virar 52 e assim pelo ajuste da sombra sobre a ribomboca da parafuseta acabam chegando pelo atalho de quem vai a Goiânia pegando a estrada de Formosa.
Assim, mesmo com todos os riscos e sabendo que é o nome da empresa que está em jogo, o Marcus Caldas da Exata crava: vai dar Agnelo com 54%. Mesmo que possa haver divergências e trabalhando com a margem de erro, 2%, ele não vê razões para mudar.
Às 17h, a gente estará publicando, revelando a boca de urna que a Exata está fazendo.





Domingo sem futebol

3 10 2010

Claro, hoje é dia de eleição.
Hoje é dia de votarmos para que o Brasil continue mudando.
Mesmo distante, torço para que o meu Rio Grande deixe de ser manipulado pela RBS e eleja um governador que nos dê orgulho. E que este governador não fique de joelhos para a RBS. E que a futura presidenta do Brasil não trate a RBS com tanto dinheiro como o governo do Lula tratou.
Hoje é dia de nós, que vivemos, que escolhemos o DF para viver, morar e criar nossos filhos, começarmos a enterrar a página mais nefasta, vergonhosa e deprimente da nossa incipiente vida política local. É preciso enterrar Roriz, Arruda, PO, Rosso, Estevão e tantos outros e começar a reconstgruir o DF.
Por contraditório que seja, ao menos para mim, hoje é dia de torcer pela vitória de Anastasia em Minas – porque será insuportável ver um funcionário da Globo como governador das Gerais. Este mesmo funcionário da Globo que enquanto Ministro das Comunicações desencadeou sistemática, violenta e fascista campanha contra as rádios e tvs comunitárias. Que os petistas mineiros me perdoem, mas foi um equívoco o poder central determinar a aliança com Hélio Costa.
Ainda que hoje seja dia de eleição, nunca custa lembrar de futyebol e daí saudar o crescimento do Grêmio. Comendo pelas ‘berada’, está em 8º – o que é muito para quem, faz pouco, estava em penúltimo.
Está a 3 pontos do Atlético Paranaense – contra quem jogará na 35ª rodada (21/11 às 16h no Olímpico) – que seria o 4º clube brasileiro na Libertadores de 2011.
Eu acredito que o futebol brasileiro recuperará esta vaga, afinal de contas trata-se de algo que já estava valendo quando a competição (Brasileirão) começou e que portanto não poderia mudar durante o desenrolar da competição.
De qualquer sorte, são nove pontos longe do Cruzeiro (contra quem o Grêmio joga no Olímpíco na 30ª rodada, dia 17/10 às 16h). Mas se os ponteiros da competição continuarem vacilando e facilitando como na rodada do fim de semana (antes das eleições), não duvide…
Basta lembrar que antes da bola rolar no sábado, dia 2/10, o Grêmio estava a 15 pontos do Flu (51 a 36). Terminados os jogos, ficou a 13.
Sonhar, nunca é demais…
Por falar nisso, estimado leitor: você já votou para transformar em realidade o nosso sonho de continuar mudando o Brasil?





A insanidade da Folha

3 10 2010

Tenho para mim que as eleições deste ano entram para a história como o divisor de águas acerca do papel que os meios de comunicação assumem em toda e qualquer campanha. Não que em 2010 tenha sido diferente do que foi nos anteriores. A postura golpista dos meios de comunicação está presente desde antes do suicídio de Vargas.
A diferença é que este ano trouxe um novo protagonista para o ringue: uma blogosfera onde jornalistas mais bem preparados do que os que estavam escrevendo nos jornais fez, pela primeira vez, um contraponto à manipulação.
Não houve nenhuma mentira montada contra Dilma e veiculada pela mídia tradicional, por exemplo, que tenha resistido mais de seis horas de desconstrução pela blogosfera – sendo que a mídia tradicional, muitas vezes, demorou dias para assumir o erro (em alguns casos, a despeito de todas as provas e evidências, manteve-se apegada a sua versão e contribuindo, por teimosia, para o seu próprio descrédito).
O protagonismo propositivo da blogosfera estabeleceu o antes inexistente contraditório – algo assim primário, elementar, mas que pela primeira vez fez valer a diferença. E não se diga, como Serra e alguns sabujos, que o ‘nosso’ papel tenha sido o de fazer o jogo sujo. Pelo contrário: coube a este segmento fazer a limpeza da sujeira colocada na mídia e na rede.
Ao exteriotipar os adversários como ‘sujos’, Serra, a mídia e a elite por seus porta-vozes, acabou atraindo a atenção de muitos para as baixarias veiculadas contra Dilma, a montagem grotesca de fotos, as inverdades e as insanidades – que iam repercutindo em antas como Merval, Eliane, Reinaldo, Diogo. Na medida em que iam sendo desmascarados e condenados, eles próprios tornaram-se vítimas das próprias leviandades.
Assim, um fugiu e os outros foram ficando cada qual do seu verdadeiro tamanho intelectual, profissional e de subserviência profissional. Ou alguém ainda tem estômago para escutar Miriam Leitão? Ou alguém vai me dizer que não ficou arranhada a credibilidade do JN pela agressividade com que o Bonner, esta coisinha rica e fofa, atacou Dilma ao ser entrevistada? Ou não virou hit o pedido de desculpas ao ter que cortar Serra? Ou alguém haverá de esquecer que em face da repercussão negativa da entrevista até a Globo teve que soltar nota dizendo-se neutra?
Não faltam exemplos. Depois das eleições – mesmo que ocorra o improvável 2º turno – jornais como O Globo, Zero Hora (que é um verdadeiro câncer a corroer o RS e só quero ver se o Tarso Genro vai ter coragem de governar sem se ajoelhar para o povo da RBS), Folha de São Paulo e o Estadão terão de se reinventar ou serão cada vez mais jornais identificados apenas com um segmento derrotado da sociedade). O mesmo vale para revistas como a Veja – a despeito de algumas derrapadas, percebe-se que a famiglia Marinho parece que tirou as mãos do Kammel da linha editorial da Época. A TV terá de conviver cada vez mais com outra realidade: ela é a imagem da decadência.
Goste-se ou não de Edir Macedo enquanto empresário – permito-me como Luterano não questionar a suposta teologia da igreja por ele criada – mas a verdade é que ele partiu ativamente para o confronto. Não teve medo. Não aceitou a chantagem global. Correu o risco e está enfrentando a Globo e seus tentáculos com a mesma estratégia de sempre: sem recuar.
Mas… nada superou uma declaração de impotência que a Folha de São Paulo estampou na capa do portal Folha Online:

É o reconhecimento da impotência: Conheça os cargos em disputa; aprenda a votar branco ou nulo.