Serra não conhece o Brasil. E nem aos brasileiros

26 10 2010

Até agora, salvo engano, foram três debates para o 2º turno. Resta o da Globo, na quinta. A percepção que advém destes três momentos é, segundo definição lapidar captada ao acaso no twitter, que a campanha dos tucanos se resume em: favela falsa, promessa falsa, agressão falsa, passeata falsa, discurso falso, candidato falso.
O grande problema de Serra, e das elites que ele representa, é a extrema incapacidade de não ver o Brasil e nem os brasileiros como algo possível, como algo viável. No processo de reprodução dos conceitos de classe, eles não tiveram nem capacidade e nem interesse em rever seus preconceitos. Estão acostumados a olhar a ‘sociedade’ como algo sobre o qual eles detém o controle.
Até foi assim. Houve um tempo no qual as elites mantinham absoluto controle sobre o povo.
Mas a velocidade com que os brasileiros estão mudando a forma de se enxergarem não mais como párias, mas partes de um processo de conquista de voz – esta velocidade não tem sido engolida pelas elites. A opção por Serra é, e a cada debate isto fica mais claro, a tentativa das elites (e seus instrumentos como TFP, Maçonaria, Opus Dei, meio de comunicação, segmentos das igrejas Católica e pentecostais – praticamente uma versão tupiniquim dos chamados AIE-Aparelhos Ideológicos do Estado conforme definição de Althusser) de retomar o controle do Brasil. As elites, perversas no seu egoísmo, sabem que apenas alguém neurótico como Serra será capaz de atacar de frente os movimentos sociais.
Este é o intuito. Serra não quer apenas privatizar o pré-sal, vender o BB e a Caixa. Desfazer-se do controle de Itaipu. As elites precisam, e Serra fará o papel de cão raivoso (que foi esta a percepção de sua face de ódio e rancor na saudação de encerramento do debate na TV Record), mutilzar os movimentos sociais. Quebrar-lhes a capacidade de luta. Tolher-lhes as condições operacionais de agir, atuar e intervir.
Serra e as elites batem no MST, mas na verdade miram associações, sindicatos, centrais e entidades de luta. Já dobraram e trouxeram para seu lado a CNBB e a própria OAB. Quem não aderir, será destruído.
Volto a dizer: Serra e as elites atacam o MST, mas o objetivo é destruir, mitigar o poder de intervenção dos movimentos sociais.
Mas, Serra revela o quanto desconhece o Brasil e os brasileiros ao tentar ridicularizar as conquistas dos últimos anos. Ao negar a mudança no perfil social do brasileiro, Serra (na condição de boneco das elites) reitera e descarrega sua carga de preconceito e ódio contra o povo.
Ainda que Dilma disponha de confortável dianteira, segundo as pesquisas, é importante que cada um de nós esteja consciente do que estará em jogo no domingo.
De um lado o representante de um segmento ideológico da sociedade que acredita que a razão de existir um país e haver povo nele é estarem sempre ao dispor destas elites. Estes votam no Serra.
De outro lado, a proposta de continuidade de um projeto que vem sendo implementado desde 2003 – com seus defeitos, com suas limitações. Mas um projeto que representa a perspectiva de tornar o Brasil um País de todos. Estes votam Dilma, 13.





Debate na Record – Serra se enrola nos trololós

26 10 2010

Antes de começar o debate, um festival de besteiras nas entrevistas e nos comentários. Escutar Índio, Sérgio Guerra e Alckmin é destas coisas que fazem a gente pensar na qualidade da nossa classe política.
Tanto pelo lado da situação, quanto da oposição.
Mas observando o que eles falam e dizem, fico maldizendo mais uma vez a herança obscurantista dos anos de chumbo que não permitiram a formação de lideranças políticas. Há um vazio. Uma falta de renovação. Basta observar que são sempre os mesmos

1º Bloco – Dilma começa batendo sem dó: Nordeste, PróUni e Paulo Preto…

A Dilma pergunta, o Serra foge.
A Norte Sul no Governo FHC andou poucos quilômetros – somando o tempo de Sarney e FHC, menos de 300km. Nos oito anos anos de Lula/Dilma, mais de mil quilômetros.
A Transposição do São Francisco é a negação do coronelismo do PSDB. Por isso que eles nunca fizeram. A idéia de criá-lo, pode ter sido de FHC. Mas quem a implementou? Foi Lula. Foi Dilma.
Ete trololó do Serra lembra uma analogia: é a mesma coisa do que dizer que o Cruls é o responsável pela construção de Brasília…
Quanto tempo demora para construir uma Refinaria? O Serra é patético. Aprende Serra: 7 anos. Depois de 25 anos, o Brasil voltou a construir uma refinaria.
E o Nordeste continua tomando conta do debate e o Serra se embananando…
Por que São Paulo não entrou na banda larga? Serra quer mutreta… A banda larga de São Paulo não foi comentada. Ele quis falar num paralelo com o Japão… Pergunte para quem vive lá… em São Paulo.
Dilma falou do Paulo Preto. E o Serra outra vez não comentou.
Agora chegou a vez do ProUni. São 700 mil beneficiados.
E lá vem o Serra outra vez com o seu trololó.
Serra não conhece Paulo Preto. Todo mundo conhece ele como Paulo Preto.
E a Dilma batendo no fígado sem piedade.
Chega a dar dó do Serra.
Serra… acobertador. Paulo Preto, agora é um santinho.
E os 27 processos contra o Serra? Isso não conta?
Na saúde, os dois apresentaram as propostas. Estranhei que a Dilçma não tenha perguntado nada sobre a Cracolândia.
Minha opinião: Serra não consegue dizer se vai manter o ProUni. Serra não consegue explicar por que a PC-SP não fez nada para investigar o Paulo Preto – inclusive preso por receptação de jóias roubadas. Gente boa este amigo do Serra… Serra vai de trololó-em-trololó sofrendo por não conseguir esconder o profundo ódio e repulsa que sente pelo Nordeste – sempre tratando a região como ‘carente’, mas nada de defender políticas de isnerção social.
O que fica claro é que Serra não está falando para o telespectador. Ele está falando para o seu programa de TV de terça-feira.

Segundo Bloco – Dilma: Serra quer privatizar as estatais

Serra começou a perguntando. Tema Petrobrás.
Serra quer vender o Pré-Sal.
Ele não consegue negar.
Na verdade, FHC já vendeu…
Chegamos ao ítem dos empregos…
Lula 15 milhões de empregos.
FHC menos de 5 milhões dee vagas.
Serra não sabe como gerar empregos.
Retidão da vida pública. 27 processos. Isso não quer dizer?
E Serra fugiu da resposta do emprego.
Ele sabe empregar só pra Soninha…
Dilminha botando Serrinha para aprender.
Serra não sabe a diferença entre petróleo sujo e o do pré-sal.
Voltemos a segurança…
Serra reconheceu, ajoelhou e fez questão de dizer que a a ação da Polícia Pacificadora é interessante.
Cadastro de criminosos… que coisa…
PCC é o padrão de segurança que Serra tem para apresentar ao Brasil. Além disso, conseguiu criar a Cracolândia…
Em Copenhague foi onde o Serra pediu autógrafo?
Serra não consegue entender a realidade.
Desmatamento zero na Amazônia? A UDR vai permitir?
Eu fico me perguntando… o Serra tem certeza do que está falando?
Ele não passa nenhuma credibilidade. Tudo ele vai afzer.
Lembrando: Dilma fez 47.600.000 de votos. Serra conseguiu engambelar 33.100.000. Vamos ver como será no domingo.

Terceiro bloco – Serra e o massacre dos movimentos sociais

Dinheiro para o MST não pode. Para o agronegócio pode..
Credo… Colocar um boné é comemorar?
Serra gosta de tratar os movimentos sociais na base do cacetete. É assim que ele quer a paz?
Como Serra não sabe responder… Dilma volta a bater na questão da geração de empregos…
Qual era a taxa de juros no Governo FHC/Serra?
Caramba: Serra vive num país e os brasileiros em outro…
Sai desta, Serra…
Ah, Serra.. esqueceu de dizer que aumento o preço da coxinha de galinha…
Qual foi o aumento da carga tributária durante o Governo FHC/Serra?
Considerações finais:
Dilma desta vez foi de arrepiar!
Serra e o velho trololó de sempre.
Serra não quer a intolerância? Com o cacetete na mão?
Político nacional que não entende o que os brasileiros falam… foi asism que ele reclamou em várias entrevistas…
Oferece um passado de fujão…
Oferece 27 processos…

Conclusão: Serra é muito cara de pau…