Jorge Martins – O Crocodilo de 10 de março

11 03 2011

DESABAFO OU HIPOCRISIA?

Que as obras para a Copa do Mundo de 2104 no Brasil estão atrasadas e que quase cem por cento delas serão realizadas com dinheiro público, não é mais segredo para ninguém. Como, ainda, que mais da metade delas serão custedas mediantes verbas emergenciais, aquelas sem licitação, também não é nenhum mistério.
Em relação a São Paulo, absolutamente não cabem as críticas de Joseph Blatter com relação ao retardamento que vem ocorrendo. O presidente da Fifa não é nenhum otário. Sabe que o que inviabilizou a definição do estádio para à abertura da Copa foi a briga política detonada pelo presidente da CBF contra a diretoria do tricolor bandeirante, o que abriu chances para o Corinthians entrar na corrida da abertura pela janela que, idéia que, afinal, veio a ser abençoada pelo governo paulista e que estará saindo do papel com verbas públicas e tido o mais. E, posto isto, não há dúvida que o Itaquerão (apontado por muitos como monstrengo) sairá a tempo de bancar a Copa das Confederaçõe, em maio de 2013, como deseja a Fifa.
Blater sabe perfeitamente como funcionam as coisas por aqui. É amigo íntimo de Ricardo Teixeira, um sabe do outro. E muito. Sabe, principalmente, que apesar dos atrasos, São Paulo e todos os demais estados escolhidos para sediar o Mundial terão seus estádios prontos no prazo previsto. Como sabe, claro, que a malandragen para atrasar às obras tem muita a ver com a expectativa de apelarem para a aplicação de verbas emergeniais, sem licitação, onde todos (mas todos mesmo), sempre abocanham alguns trocador. É assim que funciona a máquina pública brasileira. Daí porque, agora, não cabem os seus discursos moralistas, hipócritas, que nada têm a ver com a realidade da própria Fifa, várias vezes flagrada em irregularidades e que sempre balançou ao sabor de intereses econômicos. É isso aí!

—-

FOGO BRANDO

O Botafogo voltou a apresentar o futebol de um timinho inexpressivo diante do Nova Iguaçu. Os deuses do futebol o tem ajudado sobremaneira. Não deviam, mas têm ajudado sim. Ou o alvinegro não teria vencido nenhum dos dois jogos iniciais na Taça Rio, sobretudo contra o modesto Nova Iguaçu, nessa 4ª feira, que mandou duas bolas no travessão e obrigou o goleiro Jeferson a praticar três grandes defesas.
O Botafogo foi um time desafinado, sem ritmo, sem harmonia defensiva e um mínimo de evolução ofensiva. É cada um por si, Deus por todos. Parece um grupo dispenso, sem opções táticas, sem jogadas ensaiadas, nada! Daí ter saido novamente vaiado do gramado. Ele e o técnico Joel Santana, que ao invés de brigar com os irrtitadíssimos torcedores que reclamavam da acovardada postura do time deveria, sim, gastar melhor o seu tempo, colocando em prática, por exemplo, treinamentos mais técnicos, mais rígidos, escalar melhor e mostrar que o Botafogo é time grande, que não pode atuar recuado, acovardado, retrancado, sem forças para contra-atacar, por falta absoluta inexistência de opção tática e jogadores em melhores condições físicas e técnicas.
Herrera, no momento atual, não tem condições para atuar ao lado do uruguaio El Loco. Joel tem juntado a fome à vontade de comer. O argentino está mal, e El Loco, na espera, dependendo apenas de lançamentos para a área, nada produz… Uma, duas assistências em 90 minutos, convenhamos ser muito pouco.
Também não entendi a venda do Renato Cajá para o futebol chinês. Bem ou mal, era o único articulador do time desde que Lúcio Flavio saiu. E o vendem? Para colocar quem? Marcelo Mattos (que não tem o mínimo cacoete de armar jogadas?), o jovem Bruno, o Caio, o Somália ou o bonde uruguaio Arévalos? Quem? Maicosuel, que ninguém sabe como está e quando reunirá condições de jogar?
O presidente Maurício Assumpção parece desconhecer que não adiantam jogadas de marketing, internas e externas, de administrar o clube com os pés no chão, saneá-lo enfim, se o time em campo continuar como está. Torcedor não quer saber quanto o clube está devendo. Não, absolutamente não, em se tratando de um Flamengo, Vasco, Fluminense ou Botafogo. O que deseja, sim ,é ver o seu time bem montado, com jogadores em condições de fazer boa campanha e lutar por títulos. O mais é dar murro em ponta de faca. Todos devem, mas continuam a investir, como a dupla Fla-Flu vinha e vem fazendo e, agora, o Vasco. Clubes, por sinal, que sempre apresentaram deficits bem maiores em seus balanços. A diretoria alvinegra está brincando com a verdade .Torcedor não chia sem mais nem menos. Não é bobo! Sabe que o grupo do alvinegro é fraco e requer reforços urgentes. Com ou sem Joel Santana à frente. E a continuar agindo do jeito que age, Assumpão e sua diretoria poderão passar para a história como um grupo que “matou” o futebol do Botafogo. É isso aí!

—-

PLACAR MORAL

Gama 1 X 2 Formosa
Ceilândia 1 X 1 Botafogo-DF
Ceilandense 2 X 3 Brasiliense

Carioca

N.Iguaçu 2 X 1 Botafogo
Vasco 5 X 2 Duque de Caxias
Fluminense 4 X 2 America

—-

MANCHETES IMPOSSÍVEIS

Botafogo quer Deco e Adriano.Maicosuel volta contra o Vasco
Barcelona também tem interesse na contratação de Adriano
Alessandro, Somália e Herrera interessam ao Real Madrid
Washigton (ex-Flu) quer acabar a carreira no Gama
CNN faz proposta para a FBF para transmitir o Candangão 2012

—-

C R O C _S

FOI auspicioso ver o Conca voltar a jogar o seu melhor futebol. Apesar do argentino ter deixado transparecer não estar cem por cento, ainda assim voltou a jogar vem contra o América. Com ele bem, não há dúvida que o Fluminense é um time bem mais organizado e competente. /// DOMINGO, Ronaldinho Gaúcho viverá o seu primeiro Fla-Flu. Se o tricolor conseguir recuperar e colocar o Fred em campo, o jogo promete ainda mais emoções. /// INCRÍVEL! Um árbitro e dois auxiliares em cima da linha, e nenhum dos três invalidou á cobrança do pênalti perdido pelo Mequinha. No momento da cobrança, o goleiro tricolor foi à frente quase 4 metros. Foi absurdo! /// O VASCO iniciou bem e ainda no primeiro tempo detonou um 3 X 0 em cima do Duque de Caxias. Na etapa final, afinal de estar ainda melhor que o adversário, bobeou e tomou dois gols. No finalzinho, porém, em bela cobrança de falta do zagueiro Dedé, chegou ao 4º gol. Mas o Vasco sempre foi superior. Já o Botafogo contra o Nova Iguaçu, foi exatamente o contrário. Quem deu sufoco foi o time da Baixada Fluminense. /// O FORMOSA perdeu excelente chance de vencer o Gama e passar o visto no passaporte para as semifinais do Candangão. O pênalti perdido aos 45 minutos da etapa final, pode se transformar em castigo. /// APESAR da derrota, o Botafogo-DF ainda continua com chances. Mas a partir de agora, empatar…nem pensar! /// TEM gente afirmando que uma articulação de uma das organizadas teria depositado suas fichas num empresário como indicado do grupo para à presidência do Periquito, no final do ano. O nome escolhido, porém, não seria unanimidade entre outros tantos associados, torcedores e conselheiros. Pelo que dizem, pelo fato de ser alguém muito ligado ao ex-presidente Wagner Marques, o que significa que estariam trocando seis por meia-duzia./// É POSSÍVEL que até o final do ano o jornal Caderno de Brasília, do grupo do jornal mineiro Hoje em Dia (Igreja Universal), seja o próximo jornal diário da Capital Federal. Como onde há fumaça, há fogo, aguardemos. /// CONTINUAM interditadas pela justiça às obras da reforma do estádio Mané Garrincha. Aliás, desde que falaram que o estádio teria o seu nome mudado, os deuses do futebol parecem ter tomado as dores do Torto e impingido sérias complicações para o GDF. /// É isso aí!





Jorge Martins – O crocodilo de 9 de março

10 03 2011

GLOBO PODE PERDER A VEZ

Parece não haver no Clube dos 13 qualquer dúvida de que dificilmente a Rede Globo cobrirá proposta da TV Record na briga pelos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro no triênio 2012/2014. Para superar a emissora do Bispo Edir Macedo, a Globo terá de abrir demais o cofre para convencer os dissidentes e ainda entrar em acordo com a emissora ganhadora da licitação do C-13, já que, nesse caso, a emissora carioca não teria uma competição (nem internacional) para substitur o Braileiro, que até aqui tem sido seu carro-chefe nos esportes e sustentáculo da sua audiência.
A grande expectatitva do C- 13 é em relação aos valores a serem oferecidos ela Record, que nos últimos anos fez propostas mais vantajosas, embora sempre tenha saido derrotada pela Globo, devido aos adiantamentes e empréstimos que oferecia para os clubes necessitados de grana imediata. Artifício (mais o aval da CBF) que teria sido o maior responsável pela continuidade da exclusividade Global.
No próximo dia 11, com ou sem dissidentes, o Clube dos 13 lançará os editais das demais plataformas da mídia: TV fechada, internet, mobile e placas estáticas.
O bicho vai pegar.

SALGUEIRO(II)

Com justíssima razão, um amigo da coluna procedeu uma retificação na materinha sobre a má sorte do Salgueiro no desfile da Sapucaí no tocante ao berço daquela portentosa e tradicionalíssima escola de samba. Chama à atenção para o fato de que a escola tem sua origem no próprio Morro do Sagueiro, e não no Borel, território, sim da Unidos da Tijuca. Certíssimo! Falha minha. Mas apenas distração de quem escreve e falta de um bom revisor conhecedor da terra carioca. O próprio nome, Salgueiro, diz tudo. Mas tais lapsos acontecem nas melhores famílias.
Quem estudou por 9 anos na área tijucana, entre Instituto Lafayette (8 anos) e Colégio Vera Cruz (1 ano) sediados no coração do bairro, a 200 metros da sede do América, onde aconteciam os ensaios do trepidante Bafo da Onça (Nessa Onda Que Eu Vou), o equívoco é até inaceitável. Mas acontece. Curioso é que frequentei por algum tempo o Morro do Salgueiro. Não, porém, para assistir os ensaios oficiais da escola. Ia com três expoentes daquela comunidade, meu irmão Noaltir Martins, e dois grande amigos, o saudoso advogado Humberto Telles e seu colega de escritório, Nadji Teixeira. Em meio a algumas cervejinhas e uiscadas do Telles, o encontro semanal acontecia no bar do Bigode, onde os grandes compositores do Salgueiro se encontravam e nos presentevam com a execução dos inéditos sambas que disputariam a condição de samba-enredo da escola. Por vezes, o oba-oba ia até 4, 5 horas da manhã… O Telles, respeitadíssimo e querido na área, era um dos advogados da rapaziada (que não era nada fácil). Mandava no pedaço. Acontecia a mesma coisa quando o território escolhido para a noitada era o Morro de São Carlos. Sozinho, o cara não passava de certo pedaço. Era cartão vermelho mesmo. Com o Telles, o sinal verde jamais falhou. Na época o tráfico ainda não entrara lá e o “grande crime” era apenas o jogo do bicho, os banqueiros. Meu Deus! Que diferença! Que bons tempos aqueles!
Eu poderia até ser salgueirense, podia mesmo. Sempre fui maravilhosamente bem trado pela turma dali. O problema é que, de repente, fui conhecer a Portela. E foi amor à primeira vista. Verdadeiro rio que passou em minha vida. É isso aí!

OPINIÃO

amigo,
Até quando veremos os irritantes agarra-agarra dos zagueiros com os atacantes? Nossa Senhora. Recentemente assisti um jogaço, inter e bayer de munique. Foram 9o minutos sem nenhum, nenhum, meu caro, puxão, abraços pelas costas, pela cintura, pelo pescoço, nada. Um belíssimo jogo. Nenhuma vez o arbitro precisou advertir nenhum dos jogadores para este tipo de recurso(?) tão feio e usual no nosso futebol. E os que jogaram lá fora, como Ronaldo Gaúcho, sofrem, coitados, com tamanho exemplo de mediocridade do adversário. Forte abraço (fora da área!) do Limongi

(Vicente Limongi Netto, jornalista de Brasília)

MANCHETES IMPOSSÍVEIS

RJ: VAI-VAI E ARUC DESFILARÃO SÁBADO NA SAPUCAÍ
FBF PREMIARÁ CAMPEÃO DO DF COM R$ 5 MILHÕES
BRASILIENSE TENTA A CONTRATAÇÃO DE DECO(FLU)
DF: CAMPEÃS DO CARNAVAL DO DF DIVIDIRÃO R$ 10 MILHÕES
APÓS VISITA AO BRASIL, OBAMA IRÁ À VENEZUELA

C R O C _ S

O PRESIDENTE do Corinthians, Andrés Sanchez, declarou no programa “Camarote PFC”, que o estádio corintiano dificilmente ficará pronto até o dia 10 de maio de 2013, a menos de um mês da abertura da Copa das Confederações, como quer a Fifa. /// A DECLARAÇÃO do corintianho arrepiou a entidade, que mandou recado informando ser imprescindível que o estádio esteja pronto na data prevista. E detonou: ou o Morumbi poderá ser novamente indicado. O que não é nehuma novidade, vez que o estádio do São Paulo, na base da vedade-verdadeira, jamais jamais foi carta fora do baralho desde que o Itaquerão atrasou o início da construção. /// A FIFA quer uma certeza até junho deste ano,quando confirmará as datas e sedes do evento-teste de 2013. /// A FIFA quer o estádio paulista e o Maracanã prontos para à abertura e encerramento, respectivamente, do Mundial. /// O DR. SÓCRATES é o mais novo brasileiro a extravasar sua insatisfação com os grandes empresários do país, que geralmente (são raras as exceções) só aparecem para lucrar, jamais para realmente ajudar o país. Sócrates pronunciou-se após saber que 98%,dos gastos com o Mundial (obras dos estádios, etc) sairão de bancos e empresas estatais. Mostra-se assustado, também, com a lentidão das obras dos estádios, a execução do planejamento viário, hoteleiro, dos aeroportos e demais itens fundamentais para a viabilização do evento. /// SE um dia o Sócrates souber como os empresários brasilienses tratam o esporte local, mormente do futebol, certamente terá um grande desgosto. /// DEU pena ver o excelente Aroldo Costa no meio de convidados – comentaristas tão despreparados nos desfiles da Sapucaí. Mostraram, todo o tempo, total desconhecimento do assunto. Foi um verdadeiro festival de baboseiras. Lamentável! /// ATÉ parece que no Rio não existem profissionais mais capacitados… /// o narrador Luis Roberto, numa crise de “aparício”, chegou a deixar a torre de transmissão e fazer a gracinha de aparecer subitamente na passarela quando do desfile da Unidos da Tijuca. Isso para não falar da sua companheira de cabine, Glenda (que mais parecia uma fonte repetidora do narrador ) com os seus constantes enaltecimentos ao diretor de bateria daquela escola. Coisa horrível mesmo! /// ALIÁS, nos 82 minutos de desfile da Imperatriz Leopoldinense, ninguém lembrou-se de colocar sequer a letra do samba da escola. A ânsia de falar foi mais forte que o respeito com a escola e telespectadores. /// NO DESFILE da Portela, foi preciso o repórter Renato Ribeiro avisá-los para prestar mais atenção na bateria portelense, que naquele momento, pela sétima no desfilie, apresentava uma nova e espetacular paradinha. Meu Deus!- É Isso Aí!





Grêmio campeão, mas ainda sem time

10 03 2011

Acompanhei aqui de Brasília, na companhia dos meus três filhos gremistas, a decisão da Taça Piratini – o turno inicial do Campeonato Gaúcho. A final foi contra o Caxias, dentro do Olímpico – mas quem sobrou em campo foi o time da serra gaúcha no primeiro tempo. E outra vez o Grêmio entrou com 9 em campo, numa teimosia incompreensível do Renato. Porque Carlos Alberto e Gilson podem ser gente boa, amigos e camaradas. Mas não são jogadores de futebol – ao menos não neste momento da temporada. Ou não são jogadores para o Grêmio.
O time do Lisca, treinador formado na base colorada e que tem feito uma carreira interessante em Clubes do RS, fez 2 a 0 e poderia ter feito mais – que não seria nenhum crime. Outra vez Renato teve de sacrificar muito cedo uma substituição, quando o paquiderme do Carlos Alberto saiu para a entrada de Bruno Colaço – arrumando um pouco a meia-cancha. Pode-se dizer que o Grêmio acho um gol com William Magrão quase no fim da etapa inicial e poderia até mesmo ter empatado numa cabeçada preciosa de André Lima que, como diriam os narradores de antigamente, tirou tinta da trave direita do goleiro.

Grêmio domina etapa final

O segundo tempo só teve um time em campo – mas daí esbarrou na defesa do Caxias, também por conta de apresentar num futebol burocrático. E foi amontoando gols desperdiçados – com Borges, com André Lima. A partir do meio da segunda etapa, o Grêmio voltou a contar com 11 jogadores, com a saída de Gilson e a entrada do Lúcio, aquele que é, na minha opinião, o ponto de equilíbrio de todo o time do Grêmio desde 2010 (naquela reação fantástica no Brasileirão). No primeiro lance, ele mostrou como se faz: Lúcio entregou uma bola precisa para Borges, mas o goleiro fez defesa no reflexo. Volto a dizer: Lúcio faz o time do Grêmio jogar com mais rapidez e qualidade.
Teve de tudo: expulsão, lesão e bate-boca – além de muita cera por parte dos jogadores de camiseta grená, mas apesar do amplo domínio do tricolor gaúcho a bola insistia em não entrar. Se na minha casa o clima era tenso, imaginemos só como estava a energia de milhares de gremistas.
Quase ao final, William Magrão que fizera o primeiro gol do Grêmio, salvou de forma espetacular aquele que seria o gol do título que subiria a serra.
Mas… com o Grêmio sempre tem um mas… no último lance, aos 49 do segundo tempo, uma bola levantada para a área e Borge dá uma ajeitada e Rafael Marques conclui empatando o jogo – levando a decisão para os penâltis. Então, outra vez entra o mas… Mas o Grêmio tem Vitor – que em 2010 pegou seis penalidades em jogos…
E foi ele quem pegou as duas primeiras cobranças executadas por atleteas do time caxiense. O Grêmio convertera todos – com Borges, Douglas, Rochemback e finalmente Lúcio, fazendo o gol que fez a torcida – 23.456 pessoas – explodir de alegria no Olímpico.

Teimosia e susto

Renato contou mais com a sorte do que com a qualidade do time ou a organização tática para conquistar o seu primeiro título treinando aquele que ele mesmo diz ser o seu time do coração, clube pelo qual ele conquistou os maiores e mais importantes títulos de sua carreira de jogador. Alguns jogadores já deixaram claro que não tem condições de estar nem ao menos no grupo do Grêmio – casos de Gilson, Carlos Alberto e Diego Clementino. Também deve ser só por birra que Renato insiste em jogador com dosi centroavantes de área. Bastos o time do Caxias encurtar os espaços e a dupla de ataque naufragou.
Que fiquem as lições que nem a conquista desta Taça Piratini é suficiente para jogar para um segundo plano. O time foi mal escalado e Renato precisa rever seus conceitos.

Alívio

Festa lá no RS, festa dos gremistas pelo Brasil afora e alegria dos meus meninos que, mesmo longe do RS, criaram uma garra e são parceiros para torcer pelo Grêmio. E eu sempre aviso: para nós, do Grêmio, tudo é muito difícil.
Mas… assim é o Grêmio…





Jorge Martins – O crocodilo de 8 de março

9 03 2011

A partir desta semana estaremos publicando O CROCODILO – mais do que um ‘material’ produzido pelo Jorge Martins – ele que é presidente da ABCD-Associação Brasiliense dos Cronistas Desportivos, botafoguense convicto, fanático e lúcido e acima de tudo um baita de um ser humano.
Deliciem-se todos com as informações, dicas e opiniões do Jorge Martins:

O CROCODILO – 08/MARÇO-2011
Por Jorge Martins

Destaques
Candangão: até o Brasília ainda tem chances
Apesar da vitória sobre o Voltaço,nem tudo são flores no Fogão
Tabela do Brasileirão continua engavetada na CBF
Mano Menezes, agora no Rio, está apaixonado pela cidade
Novo campo (Cave) do Guará não pode ter donos: é bem público
Presidir o Brasília é ato heroíco
Prefeitura de Floripa dá calote na Grande Rio

SALGUEIRO MERECIA MELHOR
Diante do belíssimo, empolgante, harmônico e luxuoso desfile que realizou, o Salgueiro não merecia o castigo imposto pelo destino nos últimos 12 minuto do desfile na Sapucaí. Não mesmo. A escola do Borel realizou um desfile para colocá-la entre os melhores e mais fortes favoritas ao título deste ano. Na minha opinião, a melhor, mesmo considerando as ”mágicas” levadas à passarela pela Unidos da Tijuca, o sempre e constante oba-oba em cima da Mangueira e das luxuosas apresentações da Mocidade, Imperatriz e Beija-Flor. Com um sambão cantado todo o tempo pelos integrantes, excelente evolução, bateria nota 10, muito samba no pé, belíssimas fantasias e fantásticas alegorias, o Salgueiro tinha tudo para ser o grande campeão. O problema dos últimos carros alegóricos na passarela e consequente atraso na conclusão do desfile, foi um castigo que seus componentes não mereciam A perda de um ponto numa competição tão acirrada, certamente que pesa na balança. Pode, sim, prejudicar sensivelmente a escola. Claro que nem tudo está perdido e que a esperança é a última que morre. De repente,quem sabe, as demais poderão perder pontos preciosos dos jurados, cujas cabeças nos últimos anos têm sido pior que bumbum de criança: ninguém sabe o que pode acontecer. Como aquele que no ano passado deu nota 8 para a bateria da Mocidade Independente. Indecente de pai e mãe!.
Já a União da ilha, não tenham dúvidas, venceu o trauma do fogo nos barracõs e incendiou a Sapucaí. Com o enredo “Mistério da Vida”, sobre a teoria da evolução, de Charles Darwin, conquistou corações e mentes nas arquibancadas. Como o Salgueiro, não apelou para famosos entre a galera para fazer vibrar o público, mostrando,sim, figurinos simples, de extremo bom gosto, que somados a uma boa bateria, bom samba provocou uma animação incomum dos seus figurantes, isso após ter duas mil fantasias destruídas pelas chamas. Valesse pontos, e certamente ela tinha tudo para estar entre as seis primeiras.
O que aconteceu também com a Grande Rio, outra que foi bastante prejudicada, superou-se e levou para a passarela um grandioso carnaval.
A Beija-Flor possivelmente ficará entre as favoritas. Fez um belo e luxuoso desfile, com bom samba, excelentes fantasias, muita harmonia e evolução. Pode sair campeã. Seguem-na, no mesmo nível, Mocidade Independente, Imperatriz, Mangueira e Porto da Pedra também têm boas chances. Pelo menos de ficarem entre as seis que desfilarão no sábado.
Como o Salgueiro, a Unidos da Tijuca foi excelente, mas teve problema na evolução, o que deverá tirar-lhe alguns pontinhos.
Apesar de também bastante prejudicada pelo incêndio e dos seu figurantes mostrarem incrível garra e de uma bateria realmente espetacular, fora de série mesmo, a Portela precisa repensar os seus desfiles. Valesse pontos, caisse alguma escola, e certamente estaria em má situação. Dizem que até o final desta semana seu atual presidente poderá cair. E já cai tarde. Vinte e uma vezes campeã, a azul e branco de Madureira não pode esperar que a sorte lhe bafeje sempre. Para isso, basta o afilhado, o Botafogo.Tem, sim, de trabalhar mais seriamente e entender que, hoje, tradição não vence carnaval. Ou acompanha a evolução, para valer, ou ainda poderá sentir a tristeza de uma queda para o grupo de acesso.

CANDANGÃO VOLTA COM
TUDO E DEFINE POSIÇÕES

Com o Brasiliense como mero espectador, já classificado, o Candangão prosseguirá nesta 4ª.feira de Cinzas com três jogos, onde todos (à exceção é o CFZ, já rebaixado) ainda reunem condições de classificação para as semifinais. A rodada, portanto, não terá estandartes de bronze, prata ou de ouro, como consolação. Será vencer ou vencer, vez que a derrota (e até mesmo empate) lhes colocará sob o risco de terem suas respectivas posições ameaçadas e seriamente complicadas na tabela. Ou seja: o que desafinar e atravessar seu futebol, terá de fazer das tripas coração para reagir e descontar a perda sofrida na rodada.
Nessa difícil jornada para não desafinar e acertar na evolução e harmonia, estarão o Gama e o Formosa(17), o Botafogo (l6), Ceilândia (15 Ceilandense (14) e o Brasília (8), que apesar da mais baixa pontuação entre os postulantes, se é que aparece como zebra, vai depender de suas forças e, claro, torcer para o tropeço de algum dos adversários, o que neste Candangão não é impossível, tal a imprevisibilidade decorrente dos muitos tropeços verificados.
Como a lógica admite que aquele que joga em casa aparece como favorito, o Gama tem tudo para melhorar sua posição e jogar para escanteio exatamente o seu indesejável companheiro na tabela, o Formosa, que depois pegará o Brasília e o Ceilândia, respectivamente. Já o Formosa, terá posteriormente o já rebaixado CFZ (em Formosa ), encerrando sua participação no returno contra o Ceilândia, no Abadião. Nesse caso, o empate seria aceitável? Na minha opinião, bom não é, mas tendo em vista a tabela, acho que não seria o pior dos estragos. Matematicamente, o empate diante do Gama e uma possível vitória no Diogão lhe ensejaria chegar aos 21 pontos e esperar que Ceilândia e Botafogo empatem e o Jacaré jante o Ceilandense. Impossível? Não acho, não acho. No Abadião, na última rodada com certeza o Gama pegará um Ceilândia desesperado e disposto. Isso para não lembrar o aperto que o Periquito poderá passar diante do imprevisível Brasilia.
O Botafogo? Bem, aparentemente até que o Botafogo surge com alguma vantagem no contexto. Afinal, fará dois jogos em casa. No Cave, contra o Ceilandense e CFZ. A empatar ou superar o Ceilândia nessa rodada…zás! O fato de atuar em casa poderá dar-lhe a tranquilidade que necessita.
Mas nada até estará realmente resolvido até a última rodada. Se um ou dois conseguir seu intento,os demais ainda terão de degladiar-se na busca pela classificação. Favorito mesmo só o….Brasiliense. E só! É isso aí!

MICO DA SEMANA

O troféu Mico da Semana vai para o governador Sergio Cabral, do Rio de Janeiro. No afã de responder a alguns repórteres sobre a liberação de verbas do PAC para o Rio de Janeiro, o dileto vascaíno não deixou por menos:
– Não teremos problemas. A “presidente Lula” já nos garantiu tudo.
Ái! Úi! Êta Cabral! Tome mico!

CALOTE

Além de ter sido prejudicada pelo incêndio que destruiu todas as suas fantasias no Palácio do Samba, a Grande Rio enfrenta mais um problemão: receber da prefeitura de Florianópolis R$ 3 milhões pelo enredo que analteceu a bonita e simpaticíssima capital catarinense.
O dinheiro chegaria aos cofres da escola carioca Via Ley Rouanet. Até agora, porém, nada!

TEMPORARIAMENTE SOB CONTROLE

Pelo menos por enquanto a situação parece estar sob controle no Botafogo. Apesar de ter repetido muitos erros também na vitória por 4 X 2 em cima do Volta Redonda, mesmo sem convencer em termos de um futebol mais coeso, mais ajustado e, sobretudo, mais ofensivo, o time venceu, o que deu ao técnico Joel Santana uma folga. O técnico, desde que chegou ao Botafogo, nunca esteve tão fragilizado diante da galera alvinegra.
Mas para que a coisa não degringole de vez, o time não apenas terá de vencer o Nova Iguaçu nesta quarta-feira de Cinzas como o treinador terá de escalar melhor sua equipe principalmente com jogadas outras que não apenas os cruzamentos para o uruguaio Loco Abreu, que muito marcado queixou-se de que o Botafogo precisa alternar jogadas e tocar melhor a bola. Loco e Santana, por sinal, tiveram uma conversa a dois visando melhorar o ambiente. Não creio que tudo esteja sanado. Não mesmo. O presidente Maurício Assumpão deve deixar-se levar por essa aparente calmaria.
O time está mal, muito mal. Fora Jefferson e o zagueiro Antonio Carlos(que também não esteve bem contra o Voltaço) ninguém tem se destacado no grupo. Todos os demais contratados ainda não disseram o que foram fazer em General Severiano. Rodrigo Mancha, Marcio Azevedo, Arévalo, enfim, nenhum conseguiu até aqui nota mediana da torcida. E os que já estavam lá, como Alessandro, Caio, Herrera(está muito mal, muito), Rosário, Alex e Renato Cajá, estão distantes de se destacarem dos demais.
Pior do que o time, porém, foi o presidente Asumpção declarar que, quer queiram ou não, esse é o elenco que defenderá o Botafogo até o final da Copa Rio, como se a instabilidade e carência do time fossem normais e Flamengo, Fluminense e Vasco estivessem errados ao investirem em novas contratações. Pobre Botafogo! É isso aí!

C R O C _ S

NENHUM dos grandes cariocas conseguiu mostrar muito nessa primeira rodada do returno(Copa Rio). Se é que o Botafogo meteu 4 X 2 no Voltaço, o resultado deveu-se muito mais a fragilidade do adversário do que a mérito do alvinegro, que esteve mal e conseguiu seus gols graças a verdadeiras pichotadas da equipe de Volta Redonda. /// O MESMO aconteceu com a dupla Fla-Flu. Tocaram mais a bola, tiveram o domínios dos jogos mas mostraram falhas defensivas e falta de potência ofensiva. O Fla continua sem um homem de área capaz de resolver satisfatoriamente as jogadas e o Flu, sem Fred (que deve voltar na próxima rodada), também perdeu muito em termos ofensivos. Mas, bem ou mal, o Flu ainda tem Araujo e outros bons reservas,o que não acontece com o alvinegro. /// QUANTO ao Vasco, merecia melhor sorte. Mas futebol é isso mesmo: não adianta dominar, ter maior posse de bola se os gols não sairem. Foi o que aconteceu: dominou, ameaçou, mas ficou por aí. E perdeu de forma surpreendente dentro de São Januário. /// O TÉCNICO Mano Menezes, da Seleção Brasileira, é o mais novo morador apaixonado pelo Rio. Está adorando a cidade. /// A CBF continua sem divulgar a tabela do Campeonato Brasileiro. Será que só o fará faltando uma semana para o início da competição? Organização é isso aí. Saravá! /// APÓS sambar na Sapucai na segunda, o técnico Vanderley Luxemburgo foi o convidado especial do ”Programa Sócio do PFC”, nessa terça-feira de carnaval. Voltou a insistir que a presidente Patrícia Amorim deve botar seu bloco na rua visando a realização do grande sonho da Nação Rubro-Negra: ter seu próprio estádio. /// NÃO demora, exigirá também que ela arranje recursos para a contratação do Messi, Riquelme e Kaká para resolver o problema ofensivo da equipe. /// É FAÓLICA a situação do América. Sem recursos (e hoje sem o apoio e auxiílio do saudoso Giulite Coutinho, americano que deu um estádio ao clube) a salvação está toda baseada no baixinho Romário. Sem ele, sei não. /// NO FUTEBOL do Distrito Federal, convenhamos que a existência do Brasília chega a ser um ato heróico do presidente Roberto Marques. Sem ele, não tenham dúvidas que o clube já teria deixado de existir. Luta sozinho todo o tempo. /// PERGUNTAR não ofende: a quem a Administração do Guará está pretendendo entregar o controle e administração do campo de futebol que está concluindo ao lado do estádio do Cave? Se for para algum clube, a coluna pretende reunir amigos residentes naquela satélite e embargar na justiça a transação. Não faz sentido. Ainda mais se for de papel passado em Cartório. /// DO SECRETÁRIO de esportes do Distrito Federal, o íntegro e conhecido desportista Célio Renê:” a administração do estádio Bezerrão pertence à Sectetaria de Esportes.” Pois é… /// A ABCD-Associação Brasiliense de Cronistas Esportivos- agradece ao presidente da FBF, Paulinho Araújo, a cessão de 50 coletes para a efetivação do trabalho da entidade nos estádos da cidade. Gente fina é outra coisa. Obrigado,pUalinho,obrigado ////É isso aí!





Você conhece O Meu país?

7 03 2011

João de Almeida Neto, a quem não conheço pessoalmente – mas que canta e fala de coisas que fazem parte do meu viver!





Libertadores 2011: naufrágio a vista ou apenas turbulência?

4 03 2011

A largada da Libertadores da América 2011 não tem sido aquela idealizada pelos clubes e incentivada pela chamada mídia esportiva. O fato de termos os principais clubes do País na disputa – Grêmio, Inter, Corinthians, Santos, Fluminense e Cruzeiro – gerava a certeza de que a principal disputa seria para saber quem seria o vencedor. Os demais times de outros países seriam apenas e tão somente figurantes.
Olhando a performance dos clubes, apenas pelos resultados – afinal de contas assisti somente um jogo de cada time – a situação é tensa.
Dois clubes estavam na fase eliminatória da Libertadores, que alguns erroneamente chamam de pré-Libertadores. O Grêmio foi sofrível nos dois jogos contra o Liverpool de Montevidéu, que mais parecia um time de amigos do bar que se reúnem para uma pelada, mas ao menos passou para a fase seguinte. Pior foi o Corinthians, que simplesmente não jogou diante do Tolima. Com esta performance, o time virou motivo de piada e constrangimento para sua sofrida massa de torcedores.

Grupos

Favorecidos por tabelas que possibilitaram dois jogos em sequencia em casa, Flu (grupo 3) e Cruzeiro (grupo 7) vivem realidades distintas. O primeiro respira por aparelhos e o segundo encaminhou bem a sua classificação com todos os indicativos de que fará a melhor campanha. Indicativos, não certeza… O Flu, por sinal, tem jogo decisivo no Engenhão dia 23 contra o mesmo América que o derrotou esta semana.
Quem não está conseguindo empolgar ninguém é o Santos (grupo 5), que contratou muitos jogadores e demitiu o técnico. Fez dois jogos, empatou ambos e ainda está devendo. Está em 3º no grupo, mas não deve ter problemas para se classificar. Pode ser beneficiado pelo fato de ter dois jogos ‘na volta’ na Baixada.
O Inter (grupo 6) é um enigma. Dono do maior plantel do futebol brasileiro, o time vive uma incompatibilidade entre os métodos do seu treinador e o gosto da torcida. Tem credenciais para ser tri, mas vai se defrontar com um desafio regional depois do carnaval: com o fracasso do chamado Inter B, o time A terá de se desdobrar em duas competições – algo que não é do agrado do treinador. Empatou fora, um jogo que estava ganho e fez 4 em casa – sem jogar bem. Fechará sua participação jogando em casa.
O Grêmio chegou à Libertadores amparado por uma surpreendente reação no Brasileirão e principalmente ao fracasso do Goiás na final da Sul-americana. O time de 2011 não consegue a mesma mecânica de jogo de 2010 – e o time se tornou previsível e repetitivo. E isto se deve não apenas por ter perdido Jonas, mas por conta de algumas bizarrices de seu treinador – como esta teimosi em jogar com dois centroavantes de área e manter a escalação de Carlos Alberto que parece ganhar a titularidade por afinidade e não por qualidade. Ao contrário de muitos, creio que o Grêmio precisa de um zagueiro pela direita, um lateral esquerdo e um atacante de velocidade – que poderia ser Éder Luis do Vasco, o único que tem algumas características de 2º atacante de velocidade.
Na minha opinião, o Grêmio entrará como 2º do grupo, mas pode crescer na fase do mata-mata.

Resumindo

Dos times brasileiros, apenas o Cruzeiro está dando conta do recado. O Fluminense decepciona. O Santos empaca. O Inter se debate em suas dúvidas, inclusive da conveniência de manter o treinador. E o Grêmio ainda busca reencontrar sua cara…





Taça das Bolinhas: Serra é o vencedor

1 03 2011

Pesquisa realziada pelo blog do Passe Livre mostrou que, para os internautas, a famigerada Taça das Bolinhas – razão de antiga disputa entre Flamengo e São Paulo e cuja discussão ganhou força com a ordem da Globo para que a CBF reconhecesse o título do Flamengo de 1987 – quem merece levar o troféu para casa é José Serra.
Foi o seguinte o resultado geral:
1 – José Serra com 48,78%
2 – Rede Globo com 21,95%
3 – Flamengo com 14,63%
4 – São Paulo com 12,2%
5 – Eurico Miranda com 2,44%
Ou seja… aqui, Serra, o azedo, venceu!