Libertadores – jogos fora complicam os brasileiros

16 03 2011

Começaram ontem os jogos de mais uma rodada da Libertadores 2011, na chamada fase de grupos. A rodada é particularmente delicada para os times brasileiros que seguem vivos na competição – exceção ao Corinthians que foi desclassificado pelo Tolima (que por sinal enfrenta o Cruzeiro em MG, depois de um empate heróico, por parte do time estrelado) e ao Flu – que sobrevive com ajuda de aparelhos e agora sem treinador. Mas o Flu só volta a campo na próxima semana.
Pode-se dizer que esta rodada marca a abertura dos chamados ‘jogos’ de volta – mas nãos e trata de uma verdade absoluta, porque há grupos com mais partidas já disputadas e outros ainda bem ‘atrasados’.

Grupo 1

Todos com quatro jogos e a liderança é do Libertad, do Paraguai – que soma 10 pontos, seis gols de saldo e está classificado (mesmo sem saber se em 1º ou 2º). Mas faz uma largada que o credencia a ser o time de melhor campanha na fase classificatória (o que implica em vantagens lá na frente quando na fase do mata-mata o segundo jogo sempre se dá na ‘casa’ do time com melhor campanha na 1ª fase.
Outros times do grupo 1:
San Martin – Peru – 6 pntos
Once Caldas – Colômbia – 3 pontos
San Luis – México – 2 pontos
Por incrível que pareça, até o San Luis tem chances ainda – tendo em vista que lhe restam mais duas partidas e teoricamente pode chegar a 8 pontos. Mas será preciso muita matemática e negar todo o desempenho até aqui (dois empates). Mais provável que o segundo classificado seja o San Matin, do Peru e que manda seus jogos no Estádio Monumental de Lima.

Grupo 2

É o grupo onde está o Grêmio – que em três partidas venceu duas e foi derrotado fora de casa para o Junior Barranquila, graças à providencial intervenção do árbitro. De qualquer forma, os jogos desta semana podem definir a situação de modo mais claro. A liderança é do Junior Barranquila que tem 9 pontos, seguido do Grêmio com 6. O Grêmio vai até o interior do Peru, cidade de Huánuco, para enfrentar o León – que levou 2 a 0 no Olímpico.
O jogo do Grêmio acontece às 5 da tarde desta quinta – 3 horas lá – porque o estádio não possui iluminação. Coisas da Conmebol. Na outra partida do grupo, o Júnior Barranquilla joga em casa contra o Oriente Petrolero e já pode carimbar e garantir a sua vaga.
Todos os times têm três jogos.
Junior Barranquilla – 9 pontos
Grêmio – 6 pontos
León de Huánuco – 3 pontos
Oriente Petrolero – 0 pontos

Grupo 3

É o grupo que tem o Flu na lanterna com dois míseros pontos. O grupo teve jogo ontem, com a vitória do Nacional de Montevidéui que fora de casa venceu por 1 a 0 o Argentino Juniors. O Flu só volta a campo no dia 23 de março – na outra semana, quando jogará ‘em casa’, contra o América do México. A vitória do Nacional não deixou o Argentno disparar, mas também não dá mais chance de vacilo ao Flu.
Vamos ver a classificação, colocando entre-parênteses a quantidade de jogos de cada um.
Argentino Juniors (4 jogos) – 7 pontos
América (3 jogos) – 6 pontos
Nacional (4 jogos) – 4 pontos
Fluminense (3 jogos) – 2 pontos

Grupo 4

Este grupo só terá jogos na próxima semana e não tem nenhum time brasileiro. Todos têm três jogos e a classificação, bem embolada, é a seguinte:
Caracas – 6 pontos
Universidad Católica – 4 pontos
Unión Española – 4 pontos
Velez Sarsfield – 3 pontos

Grupo 5

É o grupo no qual está o time do Santos e só tem um jogo esta semana, exatamente envolvendo o time da Vila contra o Colo Colo, jogo que acontece hoje no Monunteal David Arellano, em Santiago a sempre bela capital do Chile. Olhando-se, percebe-se que é o time com os jogos mais atrasados, razão pela qual colocarei a pontuação e o número de partidas já disputadas.
Assim, esta é a situaçãod e momento no grupo:
Cerro POrteño (3 jogos) – 5 pontos
Colo-Colo (2 jogos) – 3 pontos
Santos (2 jogos) – 2 pontos
Deportivo Táchira (3 jogos) – 2 pontos

Grupo 6

Neste grupo, o Inter faz hoje sua terceira partida – quando enfrentará em Cochabamba o Jorge Wilstermann. Aparentemente é o grupo mais fácil desta fase e o Inter deve ser o vencedor na partida de hoje – para chateação de gremistas que, a exemplo de mim, sabem que este time tem todas as condições de abocanhar em 2011 o 3º título da Libertadores. Pode perder apenas pela incompetência do seu treinador, porque em termos de time, elenco e força é o melhor do País. Cabe lembrar que todo começo de ano, esta é a avaliação que é feita do grupo/plantel colorado.
Hoje, neste grupo, também tem Emelec x Jaguares – deixando uma disformidade na quantidade de jogos de cada time. Assim, repitamos a estratégia de colocar o número de jogos já realizados.
Jaguares (3 jogos) – 6 pontos
Inter (2 jogos) – 4 pontos
Emelec (3 jogos) – 4 pontos
Jorge Wilstermann (2 jogos) – 0 pontos

Grupo 7

É aqui que a coisa também tá renhida. Todos os times já tem 3 jogos e ninguém conseguiu disparar.A rodada para eles começa hoje com o Cruzeiro recebendo na Arena do Jacaré em Sete Lagoas o deportes Tolima e amanhã temEstudiantes contra o Guaraní – do Paraguai.
Uma vitória do cruzeiro hoje clareia bem a situação – e é fundamental, porque o time do meu amigo Heleno Carvalho faz os dois últimos jogos fora de casa.
Cruzeiro – 7 pontos
Estudiantes – 6 pontos
Deportes Tolima – 4 pontos
Guararaní – 0 pontos

Grupo 8

Por fim, chegamos ao grupo que tem na liderança, por critérios de desempate, o Godoy Cruz, da Argentina. Confesso que nunca tinha escutado o nome deste time. Todos já realziaram três partidas e quem está em primeiro tem seis pontos (dois times) e quem está em último (dois times), conseguiram três pontos.
Vamos lá:
Godoy Cruz – 6 Pontos (saldo 1)
Peñarol – 6 pontos (saldo 0)
LDU – 3 pontos (saldo 0)
Independiente – 3 pontos (saldo -2)

Ou seja – se Grêmio, Inter, Santos e Cruzeiro vencerem, ficam em situação confortável…
Tirante pessimismos pontuais, a verdade que a situação mais tranquila é do Cruzeiro que joga em cas e do Inter que pegará mamão com açúcar. Pedreira mesmo tem o Santos e eu não aposto nada no time do Grêmio em face de uma teimosia de Renato em escalar o time para perder, coo se ele realmente estivesse querendo voltar a ser treinador do Flu…





Grêmio – um espetáculo deprimente numa tarde de sábado

12 03 2011

Sem me preocupar com mo resultado, o pior do jogo Grêmio x Cruzeiro foi perceber que o Renato amparado em seu gremismo de R$ 500 mil por mês está revelando uma incapacidade de montar taticamente o time. Já foi assim na partida contra o Caxias – como em outros jogos. Não nos iludamos, torcedores: o Grêmio não tem esquema tático e a única jogada ensaiada é o levantamento de bola para a área adversária.
Jogos como este de hoje servem também para ver quem tem algum futuro e quem precisa ser mandado embora por absoluta inaptidão. Sempre ressalvando a dúvida quanto a ser desmentido no futuro, mas pode-se dizer sem medo de errar que jogadores como Maylson, Vinicius Pacheco, Diego Clementino e Carlos Alberto – dos que começaram o jogo de hoje – não têm condições nem de completar o elenco.
Não diria que são ruins. Mas sim que são ruins demais. Comprometem o time e envergonham o torcedor.
Outra preocupação é quanto ao excessivo endeusamento de Renato mpor parte da torcida. Eu creio que ele está mais preocupado em jogar para a torcida do que interessado em fazer o time jogar. Tanto nos reservas quanto nos titulares, não há aproximação entre os jogadores, não há uma mecânica e fica um tal de alçar bola que é facilmente marcável pelo adversário. Lembremo-nos que o Grêmio perdeu André Lima e o Borges é um baixinho com boa impulsão. Nada além disso.
A insistência com a bola erguida é lamentável, porque não se trata de decorrência de uma jogada, mas reducionismo e simplificação.
Observando o jogo, pode-se dizer que o Grêmio entrou em campo extremamente mal escalado. Teria de ter começado com Mário Fernandes, Saimon, Neuton e B runo Colaço compondo a retaguarda. Na minha avaliação, o meio de campo teria de ser com Mateus Magro, Fernando, Mithuê (nem sei como se escreve o nome dele) e Emerson. O ataque com Wesley e Lins.
O Renato, ao que parece, tem especial predileção em fazer com que certos jogadores atuem fora de suas características. Mandar o Wesley sair da área é o memso que pedri para um elevante para lavar uma taça de cristal. Ele é jogador de área, com pouca mobilidade. Este trabalho teria sido melhor cumprido por Lins – que é arisco, tem velocidade e poderia contribuir mais do que Clementino.
Lamentável também o bagaço físico dos jogadores do Grêmio ao final da partida.
Por fim, as boas notícias (ao menos para mim) foram a confirmação de que Bruno Colaço deve ser titular do Grêmio; a qualidade do goleiro Matheus (não fosse ele e o Grêmio teria levado um balaio) e a constatação, ao menos para mim, que o Grêmio tem em seu elenco o atacante de velocidade que diz estar procurando no mercado. Resta saber se o Renato vai dar oportunidade para ele – me refiro a Lins.

E a Libertadores?

Estou apreensivo e com medo do jogo lá no Peru. O Grêmio que penou com o Liverpool – aquele time de amigos lá do Uruguai – e ainda não convenceu em 2011 é, para mim, apenas um bando de jogadores vestindo uma camisa gloriosa – sem esquema tático, sem jogadas ensaiadas e sem gerar confiança na torcida. Podemos passar de fase, mas não vejo nenhuma razão para acreditar no tri.





Jorge Martins – O Crocodilo de 10 de março

11 03 2011

DESABAFO OU HIPOCRISIA?

Que as obras para a Copa do Mundo de 2104 no Brasil estão atrasadas e que quase cem por cento delas serão realizadas com dinheiro público, não é mais segredo para ninguém. Como, ainda, que mais da metade delas serão custedas mediantes verbas emergenciais, aquelas sem licitação, também não é nenhum mistério.
Em relação a São Paulo, absolutamente não cabem as críticas de Joseph Blatter com relação ao retardamento que vem ocorrendo. O presidente da Fifa não é nenhum otário. Sabe que o que inviabilizou a definição do estádio para à abertura da Copa foi a briga política detonada pelo presidente da CBF contra a diretoria do tricolor bandeirante, o que abriu chances para o Corinthians entrar na corrida da abertura pela janela que, idéia que, afinal, veio a ser abençoada pelo governo paulista e que estará saindo do papel com verbas públicas e tido o mais. E, posto isto, não há dúvida que o Itaquerão (apontado por muitos como monstrengo) sairá a tempo de bancar a Copa das Confederaçõe, em maio de 2013, como deseja a Fifa.
Blater sabe perfeitamente como funcionam as coisas por aqui. É amigo íntimo de Ricardo Teixeira, um sabe do outro. E muito. Sabe, principalmente, que apesar dos atrasos, São Paulo e todos os demais estados escolhidos para sediar o Mundial terão seus estádios prontos no prazo previsto. Como sabe, claro, que a malandragen para atrasar às obras tem muita a ver com a expectativa de apelarem para a aplicação de verbas emergeniais, sem licitação, onde todos (mas todos mesmo), sempre abocanham alguns trocador. É assim que funciona a máquina pública brasileira. Daí porque, agora, não cabem os seus discursos moralistas, hipócritas, que nada têm a ver com a realidade da própria Fifa, várias vezes flagrada em irregularidades e que sempre balançou ao sabor de intereses econômicos. É isso aí!

—-

FOGO BRANDO

O Botafogo voltou a apresentar o futebol de um timinho inexpressivo diante do Nova Iguaçu. Os deuses do futebol o tem ajudado sobremaneira. Não deviam, mas têm ajudado sim. Ou o alvinegro não teria vencido nenhum dos dois jogos iniciais na Taça Rio, sobretudo contra o modesto Nova Iguaçu, nessa 4ª feira, que mandou duas bolas no travessão e obrigou o goleiro Jeferson a praticar três grandes defesas.
O Botafogo foi um time desafinado, sem ritmo, sem harmonia defensiva e um mínimo de evolução ofensiva. É cada um por si, Deus por todos. Parece um grupo dispenso, sem opções táticas, sem jogadas ensaiadas, nada! Daí ter saido novamente vaiado do gramado. Ele e o técnico Joel Santana, que ao invés de brigar com os irrtitadíssimos torcedores que reclamavam da acovardada postura do time deveria, sim, gastar melhor o seu tempo, colocando em prática, por exemplo, treinamentos mais técnicos, mais rígidos, escalar melhor e mostrar que o Botafogo é time grande, que não pode atuar recuado, acovardado, retrancado, sem forças para contra-atacar, por falta absoluta inexistência de opção tática e jogadores em melhores condições físicas e técnicas.
Herrera, no momento atual, não tem condições para atuar ao lado do uruguaio El Loco. Joel tem juntado a fome à vontade de comer. O argentino está mal, e El Loco, na espera, dependendo apenas de lançamentos para a área, nada produz… Uma, duas assistências em 90 minutos, convenhamos ser muito pouco.
Também não entendi a venda do Renato Cajá para o futebol chinês. Bem ou mal, era o único articulador do time desde que Lúcio Flavio saiu. E o vendem? Para colocar quem? Marcelo Mattos (que não tem o mínimo cacoete de armar jogadas?), o jovem Bruno, o Caio, o Somália ou o bonde uruguaio Arévalos? Quem? Maicosuel, que ninguém sabe como está e quando reunirá condições de jogar?
O presidente Maurício Assumpção parece desconhecer que não adiantam jogadas de marketing, internas e externas, de administrar o clube com os pés no chão, saneá-lo enfim, se o time em campo continuar como está. Torcedor não quer saber quanto o clube está devendo. Não, absolutamente não, em se tratando de um Flamengo, Vasco, Fluminense ou Botafogo. O que deseja, sim ,é ver o seu time bem montado, com jogadores em condições de fazer boa campanha e lutar por títulos. O mais é dar murro em ponta de faca. Todos devem, mas continuam a investir, como a dupla Fla-Flu vinha e vem fazendo e, agora, o Vasco. Clubes, por sinal, que sempre apresentaram deficits bem maiores em seus balanços. A diretoria alvinegra está brincando com a verdade .Torcedor não chia sem mais nem menos. Não é bobo! Sabe que o grupo do alvinegro é fraco e requer reforços urgentes. Com ou sem Joel Santana à frente. E a continuar agindo do jeito que age, Assumpão e sua diretoria poderão passar para a história como um grupo que “matou” o futebol do Botafogo. É isso aí!

—-

PLACAR MORAL

Gama 1 X 2 Formosa
Ceilândia 1 X 1 Botafogo-DF
Ceilandense 2 X 3 Brasiliense

Carioca

N.Iguaçu 2 X 1 Botafogo
Vasco 5 X 2 Duque de Caxias
Fluminense 4 X 2 America

—-

MANCHETES IMPOSSÍVEIS

Botafogo quer Deco e Adriano.Maicosuel volta contra o Vasco
Barcelona também tem interesse na contratação de Adriano
Alessandro, Somália e Herrera interessam ao Real Madrid
Washigton (ex-Flu) quer acabar a carreira no Gama
CNN faz proposta para a FBF para transmitir o Candangão 2012

—-

C R O C _S

FOI auspicioso ver o Conca voltar a jogar o seu melhor futebol. Apesar do argentino ter deixado transparecer não estar cem por cento, ainda assim voltou a jogar vem contra o América. Com ele bem, não há dúvida que o Fluminense é um time bem mais organizado e competente. /// DOMINGO, Ronaldinho Gaúcho viverá o seu primeiro Fla-Flu. Se o tricolor conseguir recuperar e colocar o Fred em campo, o jogo promete ainda mais emoções. /// INCRÍVEL! Um árbitro e dois auxiliares em cima da linha, e nenhum dos três invalidou á cobrança do pênalti perdido pelo Mequinha. No momento da cobrança, o goleiro tricolor foi à frente quase 4 metros. Foi absurdo! /// O VASCO iniciou bem e ainda no primeiro tempo detonou um 3 X 0 em cima do Duque de Caxias. Na etapa final, afinal de estar ainda melhor que o adversário, bobeou e tomou dois gols. No finalzinho, porém, em bela cobrança de falta do zagueiro Dedé, chegou ao 4º gol. Mas o Vasco sempre foi superior. Já o Botafogo contra o Nova Iguaçu, foi exatamente o contrário. Quem deu sufoco foi o time da Baixada Fluminense. /// O FORMOSA perdeu excelente chance de vencer o Gama e passar o visto no passaporte para as semifinais do Candangão. O pênalti perdido aos 45 minutos da etapa final, pode se transformar em castigo. /// APESAR da derrota, o Botafogo-DF ainda continua com chances. Mas a partir de agora, empatar…nem pensar! /// TEM gente afirmando que uma articulação de uma das organizadas teria depositado suas fichas num empresário como indicado do grupo para à presidência do Periquito, no final do ano. O nome escolhido, porém, não seria unanimidade entre outros tantos associados, torcedores e conselheiros. Pelo que dizem, pelo fato de ser alguém muito ligado ao ex-presidente Wagner Marques, o que significa que estariam trocando seis por meia-duzia./// É POSSÍVEL que até o final do ano o jornal Caderno de Brasília, do grupo do jornal mineiro Hoje em Dia (Igreja Universal), seja o próximo jornal diário da Capital Federal. Como onde há fumaça, há fogo, aguardemos. /// CONTINUAM interditadas pela justiça às obras da reforma do estádio Mané Garrincha. Aliás, desde que falaram que o estádio teria o seu nome mudado, os deuses do futebol parecem ter tomado as dores do Torto e impingido sérias complicações para o GDF. /// É isso aí!





Libertadores 2011: naufrágio a vista ou apenas turbulência?

4 03 2011

A largada da Libertadores da América 2011 não tem sido aquela idealizada pelos clubes e incentivada pela chamada mídia esportiva. O fato de termos os principais clubes do País na disputa – Grêmio, Inter, Corinthians, Santos, Fluminense e Cruzeiro – gerava a certeza de que a principal disputa seria para saber quem seria o vencedor. Os demais times de outros países seriam apenas e tão somente figurantes.
Olhando a performance dos clubes, apenas pelos resultados – afinal de contas assisti somente um jogo de cada time – a situação é tensa.
Dois clubes estavam na fase eliminatória da Libertadores, que alguns erroneamente chamam de pré-Libertadores. O Grêmio foi sofrível nos dois jogos contra o Liverpool de Montevidéu, que mais parecia um time de amigos do bar que se reúnem para uma pelada, mas ao menos passou para a fase seguinte. Pior foi o Corinthians, que simplesmente não jogou diante do Tolima. Com esta performance, o time virou motivo de piada e constrangimento para sua sofrida massa de torcedores.

Grupos

Favorecidos por tabelas que possibilitaram dois jogos em sequencia em casa, Flu (grupo 3) e Cruzeiro (grupo 7) vivem realidades distintas. O primeiro respira por aparelhos e o segundo encaminhou bem a sua classificação com todos os indicativos de que fará a melhor campanha. Indicativos, não certeza… O Flu, por sinal, tem jogo decisivo no Engenhão dia 23 contra o mesmo América que o derrotou esta semana.
Quem não está conseguindo empolgar ninguém é o Santos (grupo 5), que contratou muitos jogadores e demitiu o técnico. Fez dois jogos, empatou ambos e ainda está devendo. Está em 3º no grupo, mas não deve ter problemas para se classificar. Pode ser beneficiado pelo fato de ter dois jogos ‘na volta’ na Baixada.
O Inter (grupo 6) é um enigma. Dono do maior plantel do futebol brasileiro, o time vive uma incompatibilidade entre os métodos do seu treinador e o gosto da torcida. Tem credenciais para ser tri, mas vai se defrontar com um desafio regional depois do carnaval: com o fracasso do chamado Inter B, o time A terá de se desdobrar em duas competições – algo que não é do agrado do treinador. Empatou fora, um jogo que estava ganho e fez 4 em casa – sem jogar bem. Fechará sua participação jogando em casa.
O Grêmio chegou à Libertadores amparado por uma surpreendente reação no Brasileirão e principalmente ao fracasso do Goiás na final da Sul-americana. O time de 2011 não consegue a mesma mecânica de jogo de 2010 – e o time se tornou previsível e repetitivo. E isto se deve não apenas por ter perdido Jonas, mas por conta de algumas bizarrices de seu treinador – como esta teimosi em jogar com dois centroavantes de área e manter a escalação de Carlos Alberto que parece ganhar a titularidade por afinidade e não por qualidade. Ao contrário de muitos, creio que o Grêmio precisa de um zagueiro pela direita, um lateral esquerdo e um atacante de velocidade – que poderia ser Éder Luis do Vasco, o único que tem algumas características de 2º atacante de velocidade.
Na minha opinião, o Grêmio entrará como 2º do grupo, mas pode crescer na fase do mata-mata.

Resumindo

Dos times brasileiros, apenas o Cruzeiro está dando conta do recado. O Fluminense decepciona. O Santos empaca. O Inter se debate em suas dúvidas, inclusive da conveniência de manter o treinador. E o Grêmio ainda busca reencontrar sua cara…





Da dura vida dos ursos dançarinos de circo

5 02 2011

Para quem acha que mais vale a pena puxar-saco do que o duro encargo de ter consciência e arcar com as próprias responsabilidades, resgato duas oportunas lembranças.
A primeira delas remete ao antigo lembrete de que ridícula mesmo é a vida dos ursos de circo, que não importa qual a música, sempre dançam do mesmo jeito – para agradar ao tratador que os recompensam com algumas migalhas de comida e atrai para si todas as luzes, holofotes, aplausos e dinheiro.
A outra é extraída da magistral AS RAZÕES DO BOCA BRABA, música de João de Almeida Neto que está no Youtube , onde ele, com toda franqueza abre o peito para dizer:
“Tem gente que não entende
que o macho, quando é bem macho,
nem que o mundo venha abaixo,
não dispara e não se rende.
Esta gente é a que se ofende
com o meu ar de iberdade
e por inveja ou maldade
– da sua mente macabra
batiza de boca braba
quem tem personalidade
(…)
Eu sei que é em mim que deságua
quase que cento por cento
de todo ressentimento
dessa gente que tem mágoa
É porque eu não bebo água
nas orelhas dessa gente
que adora mostrar os dentes
e por não terem fé no taco
vivem grudado no saco
dos ricos e influentes.
(…)
O meu jeito, ora… o meu jeito
conforme alguém tinha dito
pra uns é muito bonito
pra outros é o meu defeito,
mas talvez seja… o meu jeito
que me trocou de invernada
cada um tem sua estrada
seu lugar, seu parador
a abelha gosta da flor,
a sarna da cachorrada”.





Baixaria dá voto?

22 10 2010

Me criei fazendo campanha no tempo em que se discutiam propostas. Lembro que participei da campanha do Brossard (MDB) contra o Nestor Jost (Arena) – mesmo o Jost sendo da minha cidade (Candelária-RS). Lembro ainda de um discurso, em 1974, do Brossard, feito no CTG Sentinela dos Pampas onde ele, com aquele sotaque de fronteira dizia: “Nós temos que perder o medo. Nós temos que voltar a acreditar na democracia. Esta noite não poderá ser eterna”.
Nesta reta final de campanha, lembro do Brossard (aquele que sendo um liberal, na oposição ao regime militar virou um democrata radical). Temos que perder o medo da imprensa. Temos que perder o medo do poder das trevas que o Serra representa. E nós aqui no DF, precisamos voltar a ter orgulho de dizer que somos ‘brasilienses’ e não partícipes de uma bandalheira como forma os oitos anos de Roriz e os quatro anos de Arruda.
Transcrevo a seguir o texto ‘de capa’ do Jornal Passe Livre que circulou hoje em Brasília – 150 mil exemplares distribuídos gratuitamente – na rodoviária, em Taguatinga, na Ceilândia e no Guará.

BAIXARIA DÁ VOTO?

Na medida em que se aproxima o 2º turno das eleições para presidente em todo país e para governador no DF e em outros estados, o eleitor volta a conviver com o estigma da baixaria e da mentira.
Mas o eleitor está cansado de tanta patifaria e de tanta armação. As ‘revelações’ da turma do atraZo e da campanha do Serra não conseguem mais ludibriar ninguém. O problema do Serra e da turma do atraZo é que eles gostam de tratar o eleitor como se ele fosse um burro, uma anta e não tivesse capacidade de entender que tudo não passa de coisas enjambradas, mutretas e vídeos editados.
As mentiras e a hipocrisia do Serra estão fazendo com que Dilma abra 12 pontos de vantagem na pesquisa do Ibope divulgada na quarta-feira, dia 20. Ninguém tolera a leviandade e a irresponsabilidade de alguém que no afã de conquistar a presidência acaba optando pelo ‘vale tudo’.
Este quadro de irresponsabilidade se repete aqui no DF, onde a turma do atraZo despenca nas pesquisas e na tentativa de sobrevivência, parte para um proselitismo político que revela a leviandade que norteia suas ações demagógicas. Quem eles pensam snsibilizar com a promessa de anistiar multas? Só aqueles que já estavam com eles e que adoram ilegalidades e falcatruas. O que a turma do atraZo esquece é que aqui no DF vivem também pessoas com dignidade e com responsabilidade – que, conforme o 1º turno, representam a imensa maioria dos habitantes.
Fala-se em coisas bombásticas, mas o eleitor está vacinado: vindo da turma do atraZo não tem credibilidade. Afinal de contas, são sempre os mesmos, usando os mesmos métodos – valendo-se do mesmo roteiro da mentira. Nesta reta final da campanha para o 2º turno é preciso ficar atento e prestar bem atenção. Muitas ‘denúncias’ serão lançadas ao ar, tentarão destruir a reputação de muitas pessoas, muitas promessas estapafúrdias serão anunciadas.
A turma do atraZo e o pessoal do Serra ainda não se deu conta que o povo cansou de ser tratado como massa de manobra, como se não tivesse capacidade de decidir acerca do seu próprio destino.





Domingo sem futebol

3 10 2010

Claro, hoje é dia de eleição.
Hoje é dia de votarmos para que o Brasil continue mudando.
Mesmo distante, torço para que o meu Rio Grande deixe de ser manipulado pela RBS e eleja um governador que nos dê orgulho. E que este governador não fique de joelhos para a RBS. E que a futura presidenta do Brasil não trate a RBS com tanto dinheiro como o governo do Lula tratou.
Hoje é dia de nós, que vivemos, que escolhemos o DF para viver, morar e criar nossos filhos, começarmos a enterrar a página mais nefasta, vergonhosa e deprimente da nossa incipiente vida política local. É preciso enterrar Roriz, Arruda, PO, Rosso, Estevão e tantos outros e começar a reconstgruir o DF.
Por contraditório que seja, ao menos para mim, hoje é dia de torcer pela vitória de Anastasia em Minas – porque será insuportável ver um funcionário da Globo como governador das Gerais. Este mesmo funcionário da Globo que enquanto Ministro das Comunicações desencadeou sistemática, violenta e fascista campanha contra as rádios e tvs comunitárias. Que os petistas mineiros me perdoem, mas foi um equívoco o poder central determinar a aliança com Hélio Costa.
Ainda que hoje seja dia de eleição, nunca custa lembrar de futyebol e daí saudar o crescimento do Grêmio. Comendo pelas ‘berada’, está em 8º – o que é muito para quem, faz pouco, estava em penúltimo.
Está a 3 pontos do Atlético Paranaense – contra quem jogará na 35ª rodada (21/11 às 16h no Olímpico) – que seria o 4º clube brasileiro na Libertadores de 2011.
Eu acredito que o futebol brasileiro recuperará esta vaga, afinal de contas trata-se de algo que já estava valendo quando a competição (Brasileirão) começou e que portanto não poderia mudar durante o desenrolar da competição.
De qualquer sorte, são nove pontos longe do Cruzeiro (contra quem o Grêmio joga no Olímpíco na 30ª rodada, dia 17/10 às 16h). Mas se os ponteiros da competição continuarem vacilando e facilitando como na rodada do fim de semana (antes das eleições), não duvide…
Basta lembrar que antes da bola rolar no sábado, dia 2/10, o Grêmio estava a 15 pontos do Flu (51 a 36). Terminados os jogos, ficou a 13.
Sonhar, nunca é demais…
Por falar nisso, estimado leitor: você já votou para transformar em realidade o nosso sonho de continuar mudando o Brasil?