Sinpro: Assembleia na quarta pode deflagrar greve

12 04 2011

Notícia importante para a categoria dos professores, alunos e comunidade escolar:
“Até o momento o Governo do Distrito Federal não apresentou nenhuma proposta diferente daquela que foi rejeitada pela categoria no dia 31 de março. Esperamos que até o dia 13, data da Assembleia tenhamos outro contato por parte do governo que garanta o repasse do reajuste do Fundo Constitucional de 13,83%. Portanto, vamos todos à Assembleia marcada para esta quarta-feira, dia 13 de abril às 9h no estacionamento do Mané Garrincha. Professoras e professores, sua presença é fundamental.” (Sinrpo Notícias)





E viva a passionalidade do torcedor!

31 03 2011

Comecei a escrever este post no dia 19 de março. E o retomo agora – convicto de que vale sim uma provocação.
Antes de mais nada: sou gremista, que isso fique sempre bem claro.
Mas me permito falar de outros times – porque também torcedores de outros falam do meu.
Vamos, pois, aos fatos – uma vez que a mídia hoje só tem olhos e ouvidos e atenção para Obama (quando, na minha opinião, o mais notável é saber que ele veio com esposa, filhas e sogra). E agora começa a colocar os pés num lodaçal tipo Vietnã, Afeganistão e Iraque – sem saber como fazer para derrubar Kadaffi – que não é molenga como Sadam.
De repente, uma estranha contradição: os rebeldes líbios são apoiados pela “Alcaida” do Bin Laden e pelos ianques de Obama. Até parece o samba do afro-descendente com problemas mentais.
Quando Renato chegou ao Grêmio, o time estava na zona do rebaixamento.
Isto todos lembram. Silas era um boneco nas mãos dos jogadores.
Renato chegou e foi para o emocional.
Indicou alguns reforços que se encaixaram perfeitamente e alguns até jogaram bem mais do que podiam.
O 2º semestre de 2010 foi de intensa sinergia entre Renato – time – torcida.
Veio dezembro e diante da tragédia do Goiás, a vaga para a LIbertadores caiu no colo do Grêmio. Uma espécie de prêmio – que se revelou também um castigo.
O Grêmio mudou a diretoria. Saiu um Duda Kroeff que estava mais preocupado com a sua fazenda do que com o Grêmio. Entrou Odone, mais preocupado com seu ego e sua carreira política do que com o Clube.
E Odone desandou a fazer trapalhadas – e o preço está sendo pago agora, com um time que se arrasta em campo… Quis Ronaldinho e deixou Jonas sair de graça. É um pavão que administra o Grêmio com ódio de Koff – que irá derrota-lo no final de 2012. Ou algum dos leitores acredita que com este time limitado, sem esquema de jogo, sem jogadas treinadas, sem dinâmica e nem mecânica de jogo… alguém acredita que se poderá ganhar algo além de um Gauchão?
Dispensou Paulo e Anderson Paixão – pai e filho que fizeram o Grêmio correr no final da temporada atropelando adversários. O novo preparador físico não consegue fazer os jogadores correrem no começo da temporada. Dizem que Renato e nem Odone gostam do Paixão porque ele é voz forte de vestiário, mobilizador e incendiário.
E o que se vê em campo é um time sem esquema tático, cheio de canhotinhos padrão enceradeira (Douglas, por exemplo, é pra mim um Zinho piorado). O time não tem padrão, corre feito um bando. A defesa leva gol de cabeça de jogadores altos, baixos – basta cruzar a bola na área e o pânico está instaurado.
E lá vem o Renato dizer que não escala o Mário Fernandes na zaga porque ele não sabe cabecear? E qual dos atuais sabe? Gilson? Gabriel? Rafa? Rodolfo?
Renato começa a naufragar no Grêmio porque o seu ego não permitiu que tivesse uma compreensão de que futebol não é apenas vamos-vamos.
O Grêmio não tem esquema tático. O Grêmio está mais pra bando do que pra time.
Não é só o Gilson que está ocupando espaço indevido.
O que dizer de Vinicius Pacheco… de Carlos Alberto… de Diego Clementino…
Enquanto isso, o Lins, aquele que veio do Criciúma e que na minha opinião seria o jogador de velocidade lá na frente, nem concentrar, concentra. Ele não faz parte da panela do Renato. Não foi jogador indicado por ele.
Tenho olhado os jogos. Sei que não vamos passar da próxima fase da Libertadores. Pode ser bom, uma vez que assim talvez o Renato comece a trabalhar fundamentos – passes, cobrança de lateral, cobranças de falta (não aquela porcaria de levantamento de bola para a área, nossa única jogada). Coisas assim prosaicas e que revelam o quadro de abandono do futebol do Grêmio.
Hoje o Grêmio precisa de um zagueiro pela direita; um lateral esquerdo; um meia de qualidade e que jogue com o pé direito e um atacante de melhor qualidade do que o Borges.
A torcida sempre é passional. Eu também sou.
Por isso, para mim, este time do Grêmio em 2011 é vergonhoso, patético e ridículo.
A mística da suposta imortalidade não pode nos cegar ao ponto de ver que o Grêmio em 2011 está matando o seu torcedor de raiva e também matando torcedores de outros times de tanto rir deste timeco bem limitado – mas ainda arrogante, sem perceber que a simples identificação com uma mística imortalidade não tem como transformar pernas de pau em jogadores dignos de vestir a camiseta do Grêmio.





A política como um negócio meramente familiar

27 03 2011

Não sei se é pelo fato de eu estar entre aqueles milhões de brasileiros que precisam trabalhar – e muito! – para garantir o meu sustento e o de minha família; não sei se é pelo fato de eu, a exemplo de milhões de brasileiros, não compreender a mágica do enriquecimento de algumas pessoas; não sei se tem algo a ver com minha dificuldade com a matemática desde os tempos que tive aula com a profª Domitila Rodrigues, lá no Ginásio Agrícola Gastão Bragatti Lepage; não sei se ficou faltando algo do período de confirmação com o Pastor Elmer Nicodemus Flor ou de minhas conversas com o também Pasor Aragão… mas a verdade é que não compreendo a cínica mágica de pessoas que sobrevivem, enriquecem, engordam patrimônio e ainda têm lucros sem jamais terem trabalhado.
Uma reportagem hoje, domingo dia 27, veiculada no Correio Braziliense pode ajudar um pouco a revelar esta mágica. Mas ela se refere apenas ao universo de uma família e sua ramificação no DF. Vou colhendo tantos exemplos de pessoas que nunca trabalharam e continuam bancando campanhas milionárias. Possoaqui citar uns 30 nomes, como os de Pedro Simon, Esperidião Amin, Álvaro Dias, José Serra, César Maia e seu filho Rodrigo, Aécio Neves, Marconi Perillo, ACM Neto, José Sarney e seus filhos Roseana e Zéquinha.
É importante que a gente se dê conta e se revolte contra uma perversa realidade: a nossa elite dirigente só briga quando está fora do poder por não ter acesso a benesses. Vejam o caso do velho e nada saudoso ACM com a OAS, corretamente de Obras para os Amigos do Sogro.
Por esta razão, sou totalmente contra toda a reeleição.
Na minha forma de entender o mundo, a pessoa deveria disputar um mando e ao fim do seu exercício deveria ficar igual período em alguma atividade produtiva – comprovando a manutenção do padrão de renda. Só depois ele poderia voltar a se candidatar outra vez. Já disse isso e vou repetir: vereador, deputado estadual ou distrital, deputado federal ou senador que saísse do seu cargo durante o mandato teria de renunciar.
A reportagem do Correio Braziliense deveria servir para uma demorada reflexão sobre estas pessoas que fazem da política a profissão e mesmo com o baixo salário, enriquecem, adquirem patrimônio e vivem impunes.

Organograma da Câmara Legislativa revela uma teia de apadrinhados políticos
Lilian Tahan

Ricardo Taffner

Publicação: 27/03/2011 08:16 Atualização:

Antônio Abrão Hizim é advogado, faz bico como vendedor de couro, mas o que tem lhe ocupado a maior parte do tempo desde janeiro é a rotina na Câmara Legislativa. Irmão da distrital Celina Leão (PMN), ele cuida de assuntos administrativos no gabinete da parlamentar, que mal inaugurou o mandato e já entrou na mira do Ministério Público e da Polícia Civil por suposto envolvimento em desvio de dinheiro em Samambaia e suspeita de conivência com a manutenção de servidores fantasmas na época em que era chefe de gabinete de Jaqueline Roriz (PMN).

Como outro funcionário qualquer, Abrão Hizim dá expediente na Câmara Legislativa. Sempre com uma pastinha debaixo do braço, circula com desenvoltura pelos gabinetes dos colegas de Celina. Foi Abrãozinho, como é tratado carinhosamente pela irmã, quem esteve à frente, por exemplo, da negociação de cargos e salários dos funcionários que compõem a equipe da deputada. Apesar da função que exerce, esse não é um caso clássico de nepotismo. Simplesmente porque Abrão não está formalmente contratado pela Câmara. Faz um “trabalho informal” e recebe “uma ajudinha financeira” da irmã. Abrão é casado com Camila Calazâncio, uma das enteadas de Manoel Neto, que era empregada do gabinete de Jaqueline Roriz entre 2007 e 2010. “Sou representante de couro aqui em Brasília, mas como meu trabalho é muito por telefone, acaba me sobrando tempo”, disse Abrão ao Correio. A deputada contou que recompensa a dedicação do irmão. “Abrãozinho me ajuda muito desde a campanha. Sempre que posso, pago umas contas para ele”, disse Celina.

Irmãos

A situação de Abrão é apenas uma das esquisitices do organograma montado pelos distritais com os cargos comissionados. Outra excentricidade: trabalham no gabinete de Celina três irmãos. Dois deles, Sandro de Moraes Vieira e Sílvio de Moraes Vieira, estão lotados lá oficialmente. O terceiro, Alcidino Júnior, tem rotina parecida com a de Abrão. Cumpre tarefas na Câmara em nome de Celina, mas não está oficialmente no gabinete. Na última terça-feira, Maria Balbina de Moraes Vieira foi nomeada com CL 14 de R$ 8,6 mil para a secretaria executiva da Comissão de Ética e Direitos Humanos da Câmara. Maria é mãe de Sandro, Sílvio e Alcidino e foi indicada para o cargo por Celina Leão, que é a presidente da Comissão. Antes, a família Balbino, como é conhecida na Câmara, era vinculada ao gabinete de Eurides Brito, cassada no ano passado por ter embolsado o dinheiro de Durval Barbosa.

Juninho, o Alcidino, não pode ter vínculo formal na Câmara, pois estaria em estágio probatório de três anos como técnico penitenciário. Conseguiu licença do emprego na Secretaria de Justiça sob o argumento de exercer atividades para o sindicato que representa a categoria. Porém é visto no dia a dia da Câmara, tendo acesso, inclusive, ao plenário, que é restrito a servidores da Casa ou do GDF com atuação na área parlamentar.

Jaqueline Roriz foi eleita para a Câmara dos Deputados, mas deixou herança no Legislativo local. Acomodou uma de suas afilhadas no gabinete da irmã Liliane Roriz. Angélica Veras dos Anjos era assessora de plenário de Jaqueline. É requisitada do Serviço de Limpeza Urbana (SLU) para atuar no Poder Legislativo. Entre os colegas, é vista com desconfiança. Há quem acredite que ela ainda mantém vínculos políticos com Manoel Neto, marido de Jaqueline e desafeto de Liliane, de quem é cunhado. Outra ex-funcionária de Jaqueline também foi mantida na Casa. Fabíola Pereira dos Santos ficou alojada no gabinete de Celina Leão por 11 dias e depois foi transferida para o bloco Avanço Democrático, do qual a deputada faz parte.

Engano

Jorcelino Teixeira dos Santos foi nomeado em 3 de fevereiro para o CL 3 no gabinete do distrital Raad Massouh (DEM). Ficou pouco tempo, apenas cinco dias, com um fim de semana no meio, mas o suficiente para causar estranheza. Em dezembro do ano passado, descobriu-se que Jorcelino era caseiro de Manoel Neto, mas recebia salário de R$ 2,8 mil. Ele é casado com Sandra Ribeiro Soares, que era lotada no gabinete de Jaqueline com salário de R$ 12 mil, mas trabalharia como empregada doméstica da então distrital. Raad Massouh disse que a nomeação de Jorcelino foi um erro. “Trata-se de um equívoco da minha chefe de gabinete, Ana Maria, reconhecido por ela própria. Nunca vi essa pessoa, nem sabia da existência dela. Não mandei nomear nem exonerar. Penso que alguém tenha tentado plantar esse funcionário em meu gabinete. Mas não colou, pois o erro foi corrigido de um dia para o outro.”

A teia de apadrinhados é comprida e complexa. Leny Eiró Dias de Oliveira pertencia ao gabinete de Jaqueline Roriz e foi nomeada para trabalhar com Celina Leão. O marido de Leny, José Flávio de Oliveira, é o chefe de gabinete de Liliane Roriz. Pessoa da confiança de Joaquim Roriz, ele trabalhou como secretário de Assuntos Parlamentares do ex-governador, de quem foi tesoureiro na campanha.

Giselle Ferreira de Oliveira trabalhou com Jaqueline Roriz e hoje está com Washington Mesquita. Ela é filha de Vera Lúcia Ferreira, que é apontada por ex-colegas de ter agido como laranja no gabinete de Jaqueline. O caso está sob investigação. Poliana Oliveira Melo atua como secretária parlamentar no Bloco Avanço Democrático na cota de Olair Francisco. Na legislatura passada, Poliana foi uma das principais servidoras do gabinete de Jaqueline, tendo, inclusive, chefiado o gabinete da então distrital. A permanência dela na Casa, no entanto, não pode ser atribuída a Jaqueline. Poliana se desentendeu com Manoel Neto.

Olair ainda ficou com o espólio de Júnior Brunelli, que assim como Eurides Brito, saiu do cenário político por ter se envolvido no escândalo da Caixa de Pandora. Getúlio Soares Novaes Frota foi chefe de gabinete de Brunelli e agora trabalha com Olair. Esses são alguns dos casos em meio a muitos semelhantes. Sinal de que os deputados até passam, mas os laços continuam.





Durval Barbosa garante: Alírio recebia mensalão de Arruda

26 03 2011

O Governo Agnelo começa a sofrer as consequências por ter saido montado sem respeitar os princípios defendidos durante a campanha. Entregar secretarias para quem tinha participado dos governos corruptos de Roriz e Arruda (Rosso) foi uma jogada de extremo risco e falta de percepção política da realidade local.
Continuo sendo um defensor do Governo Agnelo e creio que estas denúncias, uma vez reiteradas e comprovadas, devem servir de senha para o governador se livrar de uma série de figuras nefastas, perversas e comprometedoras. Depois de quase 100 dias, Agnelo tem a chance de realmente mostrar para Brasília e seus habitantes que tem compromisso com um novo caminho, sem estar na companhia de pessoas que vivem de velhas práticas.
E se fizer esta limpa, poderá inclusive compor uma base menos fisiológica na Câmara Legislativa. O governo não precisa contar com 22 dos 24 votos. O melhor é ter a maioria. Fica mais barato, inclusive financeiramente. Não sei de onde esta vontade de ter 22 votos. Não entendo de onde esta necessidade.
É preciso fazer uma limpa imediata nas administrações regionais. Não tem cabimento deixar administrações importantes nas mãos de pessoas que tem o único compromisso de esculhambar e acabar com as cidades.

Alírio e Durval – figuras do mensalão do demo

Transcrevo a seguir o material veiculado no portal do Terra Notícias, que por sua vez escreveu o texto a partir de notícias da edição de hoje, sábado, do jornal Folha de São Paulo.

A matéria do Terra é a seguinte:

DF: secretário de Agnelo é acusado de receber mensalão do DEM

26 de março de 2011 • 08h43 – Notícia

Reduzir Normal Aumentar Imprimir O secretário de Justiça do governo do Distrito Federal na gestão do petista Agnelo Queiroz, Alírio Neto (PPS), é acusado ter recebido propina do escândalo de corrupção conhecido como “mensalão do DEM”. Durval Barbosa, delator do esquema, disse em depoimento à Promotoria do DF que encaminhou repasses de R$ 80 mil mensais a Alírio quando o secretário ocupava a mesma pasta na gestão do ex-governador José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM). As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

Alírio presidiu na Câmara Distrital a CPI criada para investigar a corrupção no DF. De acordo com Barbosa, Alírio era um dos beneficiários de parte dos R$ 220 mil desviados mensalmente do Detran. O dinheiro, segundo ele, era arrecadado junto a empresas de informática contratadas pelo Detran e pela Secretaria de Justiça e Cidadania. O secretário nega as acusações e diz que elas têm motivação política. O policial aposentado Marcelo Toledo, que aparece em um dos vídeos gravados por Barbosa entregando dinheiro, seria o responsável por repassar a propina ao secretário.

Entenda o caso

O mensalão do governo do DF, cujos vídeos foram divulgados no final de 2009, é resultado das investigações da operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal. O esquema de desvio de recursos públicos envolvia empresas de tecnologia para o pagamento de propina a deputados da base aliada.

O então governador José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM) aparece em um dos vídeos recebendo maços de dinheiro. As imagens foram gravadas pelo ex-secretário de Relações Institucionais, Durval Barbosa, que, na condição de réu em 37 processos, denunciou o esquema por conta da delação premiada. Em pronunciamento oficial, Arruda afirmou que os recursos recebidos durante a campanha foram “regularmente registrados e contabilizados”.

As investigações da Operação Caixa de Pandora apontam indícios de que Arruda, assessores, deputados e empresários podem ter cometido os crimes de formação de quadrilha, peculato, corrupção passiva e ativa, fraude em licitação, crime eleitoral e crime tributário.

Já a reporragem veiculada pela Folha de São Paulo é a seguinte:

Secretário do DF é acusado de receber propinas
Delator do mensalão do DEM diz que R$ 90 mil eram repassados a político

Secretário da Justiça já ocupava pasta na gestão Arruda; Alírio nega as acusações e diz que elas têm motivação política

FERNANDA ODILLA
DE BRASÍLIA

O atual secretário de Justiça do governo do petista Agnelo Queiroz, no Distrito Federal, é acusado de receber propina do mensalão do DEM, de acordo com depoimentos até agora inéditos do delator do esquema de corrupção na capital do país.
Durval Barbosa, denunciante do escândalo, revelou à Promotoria do DF que encaminhou repasses de R$ 90 mil mensais a Alírio Neto (PPS), quando o secretário ocupava a mesma pasta na gestão do ex-governador José Roberto Arruda.
Segundo Barbosa, Alírio era um dos beneficiários de parte dos R$ 220 mil desviados mensalmente do Detran. O dinheiro, segundo ele, era arrecadado junto a empresas de informática contratadas pelo Detran e pela Secretaria de Justiça e Cidadania.
Alírio Neto nega as acusações e diz que elas têm motivação política.
Barbosa detalha a participação do secretário no esquema em dois depoimentos no dia 14 de setembro do ano passado. Não faz menção a vídeos registrando a entrega do dinheiro a Alírio, que presidiu a CPI criada para investigar a corrupção no DF.
Barbosa afirma nos depoimentos que “eram arrecadadas propinas” junto a duas empresas que prestavam serviços de informática no Detran e uma na Secretaria de Justiça e Cidadania.
“Por determinação do então governador Arruda, parte desses valores era repassado diretamente ao deputado distrital Alírio Neto, então secretário da referida pasta”, afirmou Barbosa.
Quem repassava a propina ao secretário, segundo os depoimentos, era o policial aposentado Marcelo Toledo, que aparece em um dos vídeos gravados pelo delator entregando dinheiro.
Ao falar sobre a Secretaria de Justiça, o delator afirma que os repasses de R$ 90 mil foram feitos no quando Alírio permaneceu na pasta- de fevereiro e novembro de 2009.
No caso do Detran, Barbosa diz que Arruda determinou que cerca de 30% do arrecadado na área de informática do Detran fosse entregue a Alírio e ao ex-deputado Leonardo Prudente.

Na mesma edição, Alírio Neto se defendeu:

OUTRO LADO

Acusações têm motivação política, afirma Alírio Neto

DE BRASÍLIA

O secretário de Justiça e Cidadania do DF, Alírio Neto (PPS), negou todas as acusações do delator do mensalão do DEM e disse que as declarações de Durval Barbosa têm motivação política.
Segundo Alírio, ele e Durval sempre foram de grupos adversários dentro da Polícia Civil do DF. O secretário disse desconhecer os depoimentos prestados pelo delator à Promotoria do DF, mas afirmou saber que Barbosa fala mal dele “há muito tempo”.
“Todo mundo que ele acusa, apresenta vídeo. É fácil falar, quero ver um vídeo com minha imagem e minha voz.”
O governo do DF informou não ter “conhecimento oficial sobre qualquer denúncia contra o secretário”.
Procurado pela Folha, o advogado de Marcelo Toledo disse que não o localizou. Também não foi localizado o defensor do ex-deputado Leonardo Prudente. Os advogados de Arruda não atenderam ligações da reportagem.


Ou seja: uma boa oportunidade para o Governo Agnelo se livrar de Alírio e a Câmara Legislativa inicra um processo de cassação do seu mandato.





39,29% consideram ‘péssimo’ início do governo Agnelo

17 03 2011

Enquete realizada por este blog apontou que para 39,29% dos internautas que participaram, o começo do governo Agnelo/PT é péssimo. Esta sensação de que nada acontece no ‘novo caminho’ se dá por uma série de equívocos que são apontados pelos próprios petistas com os quais conversei nos últimos dias. Para eles, Agnelo hoje contabiliza muitos erros e não consegue ‘faturar’ com os eventuais e esporádicos acertos.
Falta coordenação, falta sincronia, falta competência, falta capacidade de trabalho, falta criatividade… nas conversas, depois de preencher alguma spáginas com avaliações negativas, resolvi nem mais anotá-las – tamanha a carga de críticas que são feitas pelos próprios petistas.
Enquanto isso, 20,54% o consideram ótimo. A terceira opção com 15,18% foi para ‘Espero que melhore’. ‘Não inovou muito’ teve 13,39% dos votos; ‘Acima do esperado’ obteve 8,04% e ‘Outro’ apenas 3,57%.
Ou seja: fica a impressão, a estranha sensação de que o governo Agnelo para muitos acabou antes mesmo de começar!





Tem gente arrudeando no novo caminho…

16 03 2011

Com o chefe chamuscado e tendo se tornado sinônimo de ‘deslumbrado político’ e flagrado em cenas nada recomendáveis quando foi aberta a Caixa de Pandora aqui no DF, algumas das figuras que tinham muita notoriedade no mundo e submundo arrudeano estão tentando colocar as manguinhas de fora. O êxito é relativo, mas a sorte tem sido benfazeja para com certos detentores de biografias nada recomendáveis. Teve aqueles que, mais destemidos, viraram até secretários na atual gestão – outros ainda vicejam nas sombras, mais preocupados em se livrar de pensas e condenações.
Mas tem causado particular espanto a movimentação de duas pessoas próximas ao hgomem do Mensalão do Demo e que pretendem assumir a presidência do Sinduscon. Para quem não é enfronhado ou não convive com o cotidiano da máquina pública, o Sinduscon é, sob a fachada de um sindicato empresarial, na veradde uma máquina a normatizar a corrupção – vez que é em suas reuniões que são definidos os acertos que antecedem as concorrências das grandes obras. Não por acaso é uma seceretaria disputada a unha, dente e rasteiras quando da composição de qualquer governo estadual. No DF, não foi diferente. Agnelo e o PT bem que tentaram tirar das mãos do Pmdb de Felippelli – que foi inclusive secretáriode Obras de Roriz e depois esteve com Arruda. Não conseguiu tirar das mãos do Pmdb e muito menos teve força de impedir que um ex-aliado de Arruda assumisse a pasta de Obras. Ou seja: onde se fazem obras, continuou valendo o velho caminho. Agora, sabe-se da movimentação de Márcio Machado e Dalmo Perez trabalhando para assumir o Sinduscon-DF. E qual a principal credencial que apresentam: serem próximos, terem acesso e serem aliados do secretáriod e Obras do GFG.
Mas… calma aí: quem são estes dois candidatos? Márcio Machado foi presidente do Psdb-DF e secretário de Obras de Arruda e denunciado na Operação Caixa de Pandora. Quanto ao segundo, é pai da esposa do homem do mensalão.
Assim fica mais fácil fechar a equação ou alguém ainda precisa desenhar para que se perceba que o mesmo grupo que comandou a máquina de corrupção nas obras durante os últimso anos no DF está se articulando 24h por dia para manter intacto o esquema no Governo Agnelo.
Depois, que ninguém venha dizer que não foi avisado…





Delação premiada ou autorização para chantagear?

11 03 2011

Foi preciso que alguém fora do viciado círculo político de Brasília resolvesse levantar a voz e dizer que está na hora de dar um basta nesta pantomima na qual se transformou o espetáculo deprimente que Durval Barbosa vem produzindo no DF, com a divulgação a conta gotas e a seu bel-prazer de farto material colhido na sua pratica criminosa de filmar reuniões e encontros. Volto a dizer: para mim, não existe bandido bom ou ruim. Sem querer ser maniqueísta, mas para mim existem bandidos e existem pessoas de bem. Um ato isolado, ainda que supostamente beneficie ‘meu’ grupo político ou atinja algum inimigo ‘meu’, mas praticado por um bandido continuará sendo um ato praticado por um bandido. O caminho para bandidos é a cadeia – depois de julgados e caso forem condenados pela Justiça.
É dentro desta ótica que vejo e lamento muito que as pessoas estejam si divertindo com o circo armado, onde nós, eleitores, somos os verdadeiros palhaços. Por isso saúdo o presidente da Câmara dos Deputados, o gaúcho Marco Maia (PT) ao dizer que a concessão da ‘Delação premiada’ implica na entrega de todo o material e não pode servir (interpretação minha) como escudo para a veiculação de ameaças e através de recadinhos – como pode ser lido em tuits e mesmo em blogs, onde supostas bocas de aluguel usam as chamadas redes sociais para a disseminação de boatos, tentando gerar um clima de apreensão e, quem saberá?, facilitar a prática de negociações excusas.
A fonte é sabida, mas a impunidade acaba gerando uma atenção desmerecida a tais figuras – muitas delas partes do mesmo lamaçal de onde emergiu o escândalo. Por vezes é hilário, noutras chega a ser patético o ataque sistêmico tipo: o rolo vai começar, as imagens estão sendo editadas, tem gente perdendo o sono… Cria-se a falsa impressão de que a classe política em sua totalidade é podre – clima propício, digo uma vez mais, para a perversa prática deletéria da generalização.
Há quem diga, de fonte segura, que a divulgação destas imagens de Jaqueline Roriz foi fruto apenas de desavença financeira e sensação de abandono. E que ao divulgá-las, estaria mandando um recado para algumas pessoas que não estariam cumprindo os acordos de silêncio, proteção e apoio já firmados. Volto a dizer: teve uma atitude correta o deputado Marco Maia ao não silenciar diante da pilantragem, de não calar diante da patifaria, de não pactuar com bandidos.
Se tem fitas/imagens com A, B ou C… que sejam divulgadas e que cada um assuma seus erros, responda por seus atos e se justifique perante o eleitor e trate de arranjar outra profissão bem longe da necessidade de referendo popular. É preciso emparedar o MP, que já se sabe também tem seus pecados, para que a coisa ande. Da mesma que respondo por meus atos e meus pecados, que cada um se vire pelo que fez – mesmo que tenha sido em alguém em quem eu tenha votado. Não me cabe pactuar ou passar a mão sobre a cabeça de ninguém. Quem errou que arque com as consequências.
Mas quero enfatizar: não é justo o MP e a PF manterem o benefício da Delação premiada para quem apenas a usa como escudo e nuvem de fumaça para manter-se no noticiário e usufruir outras benesses.
Ao circular por Brasília hoje de manhã, me deparei com toda sorte de ilações – mas não consegui encontrar nenhuma pessoa, independente de paixão ou facção partidária que tenha achado que Durval está divulgando estas fitas por ter algum compromisso com a ética e a justiça. A opinião pública que em um primeiro momento até pode ter visto no gesto do delator uma demonstração de hipócrito desejo de refazer o caminho, já descobriu que ele usa tais imagens para continuar usufruindo vantagens.
Que a PF e o MP cessem imediatamente os benefícios da Delação premiada e que ele passe a responder pelos crimes que já responde e por mais outros decorrentes destas práticas subterrâneas que fazem parte do seu modus operandis.





DF: Onda de boatos e leviandades outras

10 03 2011

Alguns se dizem colunistas, outros se apresentam como articulistas e tem aqueles que se escondem por detrás do epiteto de ‘jornalistas’, mas estes todos estão se esmerando nos últimos dias a uma só prática e rotina no DF: disseminar e realimentar os boatos que eles próprios criam. Formam-se grupos que atuam de modo quase que orgânico, focados no mesmo objetivo.
A bem da verdade, eles andavam sumidos depois da vitória de Agnelo. Voltaram com a montagem da equipe frankenstein que o nosso governador entregou para a população – que em alguns casos foi um verdadeiro soco no estômago dos que realmente (como eu) acreditavam e ainda acreditam (como eu) na proposta de um novo caminho.
Depois de um ou dois dias nos quais estas pessoas ficaram claramente ‘passadas’ por terem se sentido traídas por Durval – afinal de contas ele entregou um vídeo editado e cortado que jamais tinha sido apresentado no cineminha que rolava numa certa casa no Park Way.
A onda de boatos assim está servindo muito mais para disseminar vontades do que amparados pela realidade. Fala-se com tanta convicção de coisas que nunca foram vistas que chega a beirar a irresponsabilidade. Leio, observo e me reservo o direito de acreditar que não passa de um trauma pelo inusitado da fita onde a própria filha de Roriz está com Durval.
Tudo bem… tem gente dizendo, insinuando que os últimos dias foram de intensas atividades de edição de imagens – mas e se entre as imagens houver alguma de Roriz, por exemplo, com Durval? Sabe-se que ele, Durval, devolveu ao menos a um personagem todo o material que teria desta figura. Será isto verdade ou apenas um boato a mais?
O que eu percebo é que muitos dos coleguinhas estão mais inseridos no exercício de um papel do que comprometidos com a informação.
Dentro desta visão – não estou aqui absolvendo ninguém e muito menos dizendo ou julgando, estou apenas me posicionando: para mim, boato pode virar notícia quando estiver amparado em fatos e não atendendo a um desejo ou necessecidade pessoal. É também importante saudar a postura firme, enérgica e clara do presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia, para quem não tem cabimento alguim o Durval continuar usufruindo do instituto da Delação Premiada e ir soltando o material na base do conta-gotas, como se só liberasse depois de não obter vantagens. Suspendendo o benefício da Delação Premiada, ele voltaria a ser um reles réu – ainda que seja daquelas figuras de alto poder destrutivo e com uma carga de ódio muito grande.
Já disse antes e este é meu posicionamento via Jornal Passe Livre desde que eclodiu o episódio das fitas de Arruda: para mim, Durval não passa de alguém encrencado na Justiça. Para mim, não existe bandido bom ou bandido ruim. É preciso acabar com este circo – que hoje serve apenas para alimentar uma imensa rede de boatos que tem como fontes emissoras um grupo de viúvas. E que os envolvidos – inclusive magistrados, pessoal do TCDF, políticos, jornalistas e agregados em geral – paguem exemplarmente por participarem desta bandalheira.





Jorge Martins – O crocodilo de 9 de março

10 03 2011

GLOBO PODE PERDER A VEZ

Parece não haver no Clube dos 13 qualquer dúvida de que dificilmente a Rede Globo cobrirá proposta da TV Record na briga pelos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro no triênio 2012/2014. Para superar a emissora do Bispo Edir Macedo, a Globo terá de abrir demais o cofre para convencer os dissidentes e ainda entrar em acordo com a emissora ganhadora da licitação do C-13, já que, nesse caso, a emissora carioca não teria uma competição (nem internacional) para substitur o Braileiro, que até aqui tem sido seu carro-chefe nos esportes e sustentáculo da sua audiência.
A grande expectatitva do C- 13 é em relação aos valores a serem oferecidos ela Record, que nos últimos anos fez propostas mais vantajosas, embora sempre tenha saido derrotada pela Globo, devido aos adiantamentes e empréstimos que oferecia para os clubes necessitados de grana imediata. Artifício (mais o aval da CBF) que teria sido o maior responsável pela continuidade da exclusividade Global.
No próximo dia 11, com ou sem dissidentes, o Clube dos 13 lançará os editais das demais plataformas da mídia: TV fechada, internet, mobile e placas estáticas.
O bicho vai pegar.

SALGUEIRO(II)

Com justíssima razão, um amigo da coluna procedeu uma retificação na materinha sobre a má sorte do Salgueiro no desfile da Sapucaí no tocante ao berço daquela portentosa e tradicionalíssima escola de samba. Chama à atenção para o fato de que a escola tem sua origem no próprio Morro do Sagueiro, e não no Borel, território, sim da Unidos da Tijuca. Certíssimo! Falha minha. Mas apenas distração de quem escreve e falta de um bom revisor conhecedor da terra carioca. O próprio nome, Salgueiro, diz tudo. Mas tais lapsos acontecem nas melhores famílias.
Quem estudou por 9 anos na área tijucana, entre Instituto Lafayette (8 anos) e Colégio Vera Cruz (1 ano) sediados no coração do bairro, a 200 metros da sede do América, onde aconteciam os ensaios do trepidante Bafo da Onça (Nessa Onda Que Eu Vou), o equívoco é até inaceitável. Mas acontece. Curioso é que frequentei por algum tempo o Morro do Salgueiro. Não, porém, para assistir os ensaios oficiais da escola. Ia com três expoentes daquela comunidade, meu irmão Noaltir Martins, e dois grande amigos, o saudoso advogado Humberto Telles e seu colega de escritório, Nadji Teixeira. Em meio a algumas cervejinhas e uiscadas do Telles, o encontro semanal acontecia no bar do Bigode, onde os grandes compositores do Salgueiro se encontravam e nos presentevam com a execução dos inéditos sambas que disputariam a condição de samba-enredo da escola. Por vezes, o oba-oba ia até 4, 5 horas da manhã… O Telles, respeitadíssimo e querido na área, era um dos advogados da rapaziada (que não era nada fácil). Mandava no pedaço. Acontecia a mesma coisa quando o território escolhido para a noitada era o Morro de São Carlos. Sozinho, o cara não passava de certo pedaço. Era cartão vermelho mesmo. Com o Telles, o sinal verde jamais falhou. Na época o tráfico ainda não entrara lá e o “grande crime” era apenas o jogo do bicho, os banqueiros. Meu Deus! Que diferença! Que bons tempos aqueles!
Eu poderia até ser salgueirense, podia mesmo. Sempre fui maravilhosamente bem trado pela turma dali. O problema é que, de repente, fui conhecer a Portela. E foi amor à primeira vista. Verdadeiro rio que passou em minha vida. É isso aí!

OPINIÃO

amigo,
Até quando veremos os irritantes agarra-agarra dos zagueiros com os atacantes? Nossa Senhora. Recentemente assisti um jogaço, inter e bayer de munique. Foram 9o minutos sem nenhum, nenhum, meu caro, puxão, abraços pelas costas, pela cintura, pelo pescoço, nada. Um belíssimo jogo. Nenhuma vez o arbitro precisou advertir nenhum dos jogadores para este tipo de recurso(?) tão feio e usual no nosso futebol. E os que jogaram lá fora, como Ronaldo Gaúcho, sofrem, coitados, com tamanho exemplo de mediocridade do adversário. Forte abraço (fora da área!) do Limongi

(Vicente Limongi Netto, jornalista de Brasília)

MANCHETES IMPOSSÍVEIS

RJ: VAI-VAI E ARUC DESFILARÃO SÁBADO NA SAPUCAÍ
FBF PREMIARÁ CAMPEÃO DO DF COM R$ 5 MILHÕES
BRASILIENSE TENTA A CONTRATAÇÃO DE DECO(FLU)
DF: CAMPEÃS DO CARNAVAL DO DF DIVIDIRÃO R$ 10 MILHÕES
APÓS VISITA AO BRASIL, OBAMA IRÁ À VENEZUELA

C R O C _ S

O PRESIDENTE do Corinthians, Andrés Sanchez, declarou no programa “Camarote PFC”, que o estádio corintiano dificilmente ficará pronto até o dia 10 de maio de 2013, a menos de um mês da abertura da Copa das Confederações, como quer a Fifa. /// A DECLARAÇÃO do corintianho arrepiou a entidade, que mandou recado informando ser imprescindível que o estádio esteja pronto na data prevista. E detonou: ou o Morumbi poderá ser novamente indicado. O que não é nehuma novidade, vez que o estádio do São Paulo, na base da vedade-verdadeira, jamais jamais foi carta fora do baralho desde que o Itaquerão atrasou o início da construção. /// A FIFA quer uma certeza até junho deste ano,quando confirmará as datas e sedes do evento-teste de 2013. /// A FIFA quer o estádio paulista e o Maracanã prontos para à abertura e encerramento, respectivamente, do Mundial. /// O DR. SÓCRATES é o mais novo brasileiro a extravasar sua insatisfação com os grandes empresários do país, que geralmente (são raras as exceções) só aparecem para lucrar, jamais para realmente ajudar o país. Sócrates pronunciou-se após saber que 98%,dos gastos com o Mundial (obras dos estádios, etc) sairão de bancos e empresas estatais. Mostra-se assustado, também, com a lentidão das obras dos estádios, a execução do planejamento viário, hoteleiro, dos aeroportos e demais itens fundamentais para a viabilização do evento. /// SE um dia o Sócrates souber como os empresários brasilienses tratam o esporte local, mormente do futebol, certamente terá um grande desgosto. /// DEU pena ver o excelente Aroldo Costa no meio de convidados – comentaristas tão despreparados nos desfiles da Sapucaí. Mostraram, todo o tempo, total desconhecimento do assunto. Foi um verdadeiro festival de baboseiras. Lamentável! /// ATÉ parece que no Rio não existem profissionais mais capacitados… /// o narrador Luis Roberto, numa crise de “aparício”, chegou a deixar a torre de transmissão e fazer a gracinha de aparecer subitamente na passarela quando do desfile da Unidos da Tijuca. Isso para não falar da sua companheira de cabine, Glenda (que mais parecia uma fonte repetidora do narrador ) com os seus constantes enaltecimentos ao diretor de bateria daquela escola. Coisa horrível mesmo! /// ALIÁS, nos 82 minutos de desfile da Imperatriz Leopoldinense, ninguém lembrou-se de colocar sequer a letra do samba da escola. A ânsia de falar foi mais forte que o respeito com a escola e telespectadores. /// NO DESFILE da Portela, foi preciso o repórter Renato Ribeiro avisá-los para prestar mais atenção na bateria portelense, que naquele momento, pela sétima no desfilie, apresentava uma nova e espetacular paradinha. Meu Deus!- É Isso Aí!





Jorge Martins – O crocodilo de 8 de março

9 03 2011

A partir desta semana estaremos publicando O CROCODILO – mais do que um ‘material’ produzido pelo Jorge Martins – ele que é presidente da ABCD-Associação Brasiliense dos Cronistas Desportivos, botafoguense convicto, fanático e lúcido e acima de tudo um baita de um ser humano.
Deliciem-se todos com as informações, dicas e opiniões do Jorge Martins:

O CROCODILO – 08/MARÇO-2011
Por Jorge Martins

Destaques
Candangão: até o Brasília ainda tem chances
Apesar da vitória sobre o Voltaço,nem tudo são flores no Fogão
Tabela do Brasileirão continua engavetada na CBF
Mano Menezes, agora no Rio, está apaixonado pela cidade
Novo campo (Cave) do Guará não pode ter donos: é bem público
Presidir o Brasília é ato heroíco
Prefeitura de Floripa dá calote na Grande Rio

SALGUEIRO MERECIA MELHOR
Diante do belíssimo, empolgante, harmônico e luxuoso desfile que realizou, o Salgueiro não merecia o castigo imposto pelo destino nos últimos 12 minuto do desfile na Sapucaí. Não mesmo. A escola do Borel realizou um desfile para colocá-la entre os melhores e mais fortes favoritas ao título deste ano. Na minha opinião, a melhor, mesmo considerando as ”mágicas” levadas à passarela pela Unidos da Tijuca, o sempre e constante oba-oba em cima da Mangueira e das luxuosas apresentações da Mocidade, Imperatriz e Beija-Flor. Com um sambão cantado todo o tempo pelos integrantes, excelente evolução, bateria nota 10, muito samba no pé, belíssimas fantasias e fantásticas alegorias, o Salgueiro tinha tudo para ser o grande campeão. O problema dos últimos carros alegóricos na passarela e consequente atraso na conclusão do desfile, foi um castigo que seus componentes não mereciam A perda de um ponto numa competição tão acirrada, certamente que pesa na balança. Pode, sim, prejudicar sensivelmente a escola. Claro que nem tudo está perdido e que a esperança é a última que morre. De repente,quem sabe, as demais poderão perder pontos preciosos dos jurados, cujas cabeças nos últimos anos têm sido pior que bumbum de criança: ninguém sabe o que pode acontecer. Como aquele que no ano passado deu nota 8 para a bateria da Mocidade Independente. Indecente de pai e mãe!.
Já a União da ilha, não tenham dúvidas, venceu o trauma do fogo nos barracõs e incendiou a Sapucaí. Com o enredo “Mistério da Vida”, sobre a teoria da evolução, de Charles Darwin, conquistou corações e mentes nas arquibancadas. Como o Salgueiro, não apelou para famosos entre a galera para fazer vibrar o público, mostrando,sim, figurinos simples, de extremo bom gosto, que somados a uma boa bateria, bom samba provocou uma animação incomum dos seus figurantes, isso após ter duas mil fantasias destruídas pelas chamas. Valesse pontos, e certamente ela tinha tudo para estar entre as seis primeiras.
O que aconteceu também com a Grande Rio, outra que foi bastante prejudicada, superou-se e levou para a passarela um grandioso carnaval.
A Beija-Flor possivelmente ficará entre as favoritas. Fez um belo e luxuoso desfile, com bom samba, excelentes fantasias, muita harmonia e evolução. Pode sair campeã. Seguem-na, no mesmo nível, Mocidade Independente, Imperatriz, Mangueira e Porto da Pedra também têm boas chances. Pelo menos de ficarem entre as seis que desfilarão no sábado.
Como o Salgueiro, a Unidos da Tijuca foi excelente, mas teve problema na evolução, o que deverá tirar-lhe alguns pontinhos.
Apesar de também bastante prejudicada pelo incêndio e dos seu figurantes mostrarem incrível garra e de uma bateria realmente espetacular, fora de série mesmo, a Portela precisa repensar os seus desfiles. Valesse pontos, caisse alguma escola, e certamente estaria em má situação. Dizem que até o final desta semana seu atual presidente poderá cair. E já cai tarde. Vinte e uma vezes campeã, a azul e branco de Madureira não pode esperar que a sorte lhe bafeje sempre. Para isso, basta o afilhado, o Botafogo.Tem, sim, de trabalhar mais seriamente e entender que, hoje, tradição não vence carnaval. Ou acompanha a evolução, para valer, ou ainda poderá sentir a tristeza de uma queda para o grupo de acesso.

CANDANGÃO VOLTA COM
TUDO E DEFINE POSIÇÕES

Com o Brasiliense como mero espectador, já classificado, o Candangão prosseguirá nesta 4ª.feira de Cinzas com três jogos, onde todos (à exceção é o CFZ, já rebaixado) ainda reunem condições de classificação para as semifinais. A rodada, portanto, não terá estandartes de bronze, prata ou de ouro, como consolação. Será vencer ou vencer, vez que a derrota (e até mesmo empate) lhes colocará sob o risco de terem suas respectivas posições ameaçadas e seriamente complicadas na tabela. Ou seja: o que desafinar e atravessar seu futebol, terá de fazer das tripas coração para reagir e descontar a perda sofrida na rodada.
Nessa difícil jornada para não desafinar e acertar na evolução e harmonia, estarão o Gama e o Formosa(17), o Botafogo (l6), Ceilândia (15 Ceilandense (14) e o Brasília (8), que apesar da mais baixa pontuação entre os postulantes, se é que aparece como zebra, vai depender de suas forças e, claro, torcer para o tropeço de algum dos adversários, o que neste Candangão não é impossível, tal a imprevisibilidade decorrente dos muitos tropeços verificados.
Como a lógica admite que aquele que joga em casa aparece como favorito, o Gama tem tudo para melhorar sua posição e jogar para escanteio exatamente o seu indesejável companheiro na tabela, o Formosa, que depois pegará o Brasília e o Ceilândia, respectivamente. Já o Formosa, terá posteriormente o já rebaixado CFZ (em Formosa ), encerrando sua participação no returno contra o Ceilândia, no Abadião. Nesse caso, o empate seria aceitável? Na minha opinião, bom não é, mas tendo em vista a tabela, acho que não seria o pior dos estragos. Matematicamente, o empate diante do Gama e uma possível vitória no Diogão lhe ensejaria chegar aos 21 pontos e esperar que Ceilândia e Botafogo empatem e o Jacaré jante o Ceilandense. Impossível? Não acho, não acho. No Abadião, na última rodada com certeza o Gama pegará um Ceilândia desesperado e disposto. Isso para não lembrar o aperto que o Periquito poderá passar diante do imprevisível Brasilia.
O Botafogo? Bem, aparentemente até que o Botafogo surge com alguma vantagem no contexto. Afinal, fará dois jogos em casa. No Cave, contra o Ceilandense e CFZ. A empatar ou superar o Ceilândia nessa rodada…zás! O fato de atuar em casa poderá dar-lhe a tranquilidade que necessita.
Mas nada até estará realmente resolvido até a última rodada. Se um ou dois conseguir seu intento,os demais ainda terão de degladiar-se na busca pela classificação. Favorito mesmo só o….Brasiliense. E só! É isso aí!

MICO DA SEMANA

O troféu Mico da Semana vai para o governador Sergio Cabral, do Rio de Janeiro. No afã de responder a alguns repórteres sobre a liberação de verbas do PAC para o Rio de Janeiro, o dileto vascaíno não deixou por menos:
– Não teremos problemas. A “presidente Lula” já nos garantiu tudo.
Ái! Úi! Êta Cabral! Tome mico!

CALOTE

Além de ter sido prejudicada pelo incêndio que destruiu todas as suas fantasias no Palácio do Samba, a Grande Rio enfrenta mais um problemão: receber da prefeitura de Florianópolis R$ 3 milhões pelo enredo que analteceu a bonita e simpaticíssima capital catarinense.
O dinheiro chegaria aos cofres da escola carioca Via Ley Rouanet. Até agora, porém, nada!

TEMPORARIAMENTE SOB CONTROLE

Pelo menos por enquanto a situação parece estar sob controle no Botafogo. Apesar de ter repetido muitos erros também na vitória por 4 X 2 em cima do Volta Redonda, mesmo sem convencer em termos de um futebol mais coeso, mais ajustado e, sobretudo, mais ofensivo, o time venceu, o que deu ao técnico Joel Santana uma folga. O técnico, desde que chegou ao Botafogo, nunca esteve tão fragilizado diante da galera alvinegra.
Mas para que a coisa não degringole de vez, o time não apenas terá de vencer o Nova Iguaçu nesta quarta-feira de Cinzas como o treinador terá de escalar melhor sua equipe principalmente com jogadas outras que não apenas os cruzamentos para o uruguaio Loco Abreu, que muito marcado queixou-se de que o Botafogo precisa alternar jogadas e tocar melhor a bola. Loco e Santana, por sinal, tiveram uma conversa a dois visando melhorar o ambiente. Não creio que tudo esteja sanado. Não mesmo. O presidente Maurício Assumpão deve deixar-se levar por essa aparente calmaria.
O time está mal, muito mal. Fora Jefferson e o zagueiro Antonio Carlos(que também não esteve bem contra o Voltaço) ninguém tem se destacado no grupo. Todos os demais contratados ainda não disseram o que foram fazer em General Severiano. Rodrigo Mancha, Marcio Azevedo, Arévalo, enfim, nenhum conseguiu até aqui nota mediana da torcida. E os que já estavam lá, como Alessandro, Caio, Herrera(está muito mal, muito), Rosário, Alex e Renato Cajá, estão distantes de se destacarem dos demais.
Pior do que o time, porém, foi o presidente Asumpção declarar que, quer queiram ou não, esse é o elenco que defenderá o Botafogo até o final da Copa Rio, como se a instabilidade e carência do time fossem normais e Flamengo, Fluminense e Vasco estivessem errados ao investirem em novas contratações. Pobre Botafogo! É isso aí!

C R O C _ S

NENHUM dos grandes cariocas conseguiu mostrar muito nessa primeira rodada do returno(Copa Rio). Se é que o Botafogo meteu 4 X 2 no Voltaço, o resultado deveu-se muito mais a fragilidade do adversário do que a mérito do alvinegro, que esteve mal e conseguiu seus gols graças a verdadeiras pichotadas da equipe de Volta Redonda. /// O MESMO aconteceu com a dupla Fla-Flu. Tocaram mais a bola, tiveram o domínios dos jogos mas mostraram falhas defensivas e falta de potência ofensiva. O Fla continua sem um homem de área capaz de resolver satisfatoriamente as jogadas e o Flu, sem Fred (que deve voltar na próxima rodada), também perdeu muito em termos ofensivos. Mas, bem ou mal, o Flu ainda tem Araujo e outros bons reservas,o que não acontece com o alvinegro. /// QUANTO ao Vasco, merecia melhor sorte. Mas futebol é isso mesmo: não adianta dominar, ter maior posse de bola se os gols não sairem. Foi o que aconteceu: dominou, ameaçou, mas ficou por aí. E perdeu de forma surpreendente dentro de São Januário. /// O TÉCNICO Mano Menezes, da Seleção Brasileira, é o mais novo morador apaixonado pelo Rio. Está adorando a cidade. /// A CBF continua sem divulgar a tabela do Campeonato Brasileiro. Será que só o fará faltando uma semana para o início da competição? Organização é isso aí. Saravá! /// APÓS sambar na Sapucai na segunda, o técnico Vanderley Luxemburgo foi o convidado especial do ”Programa Sócio do PFC”, nessa terça-feira de carnaval. Voltou a insistir que a presidente Patrícia Amorim deve botar seu bloco na rua visando a realização do grande sonho da Nação Rubro-Negra: ter seu próprio estádio. /// NÃO demora, exigirá também que ela arranje recursos para a contratação do Messi, Riquelme e Kaká para resolver o problema ofensivo da equipe. /// É FAÓLICA a situação do América. Sem recursos (e hoje sem o apoio e auxiílio do saudoso Giulite Coutinho, americano que deu um estádio ao clube) a salvação está toda baseada no baixinho Romário. Sem ele, sei não. /// NO FUTEBOL do Distrito Federal, convenhamos que a existência do Brasília chega a ser um ato heróico do presidente Roberto Marques. Sem ele, não tenham dúvidas que o clube já teria deixado de existir. Luta sozinho todo o tempo. /// PERGUNTAR não ofende: a quem a Administração do Guará está pretendendo entregar o controle e administração do campo de futebol que está concluindo ao lado do estádio do Cave? Se for para algum clube, a coluna pretende reunir amigos residentes naquela satélite e embargar na justiça a transação. Não faz sentido. Ainda mais se for de papel passado em Cartório. /// DO SECRETÁRIO de esportes do Distrito Federal, o íntegro e conhecido desportista Célio Renê:” a administração do estádio Bezerrão pertence à Sectetaria de Esportes.” Pois é… /// A ABCD-Associação Brasiliense de Cronistas Esportivos- agradece ao presidente da FBF, Paulinho Araújo, a cessão de 50 coletes para a efetivação do trabalho da entidade nos estádos da cidade. Gente fina é outra coisa. Obrigado,pUalinho,obrigado ////É isso aí!