Ofensiva pró-Dilma mobiliza sindicalistas no DF

13 10 2010

O cenário eleitoral no DF revela uma situação momentânea no mínimo contraditória, para não dizer patética. O eleitorado da capital da República dá forte preferência para Agnelo Queiroz, do PT, que tem cerca de 57% das intenções de voto para o Governo local. Em contrapartida, o eleitor candango ainda mantém Serra na frente na disputa presidencial (43%). Dilma, em fase de crescimento, permanece na casa dos 39%.
Enfatizando: no DF, Serra é o candidato de Weslian, Roriz, Luiz Estevão, Durval e outras figuras nada exemplares da vida pública.
Para reverter esta situação, o movimento sindical decidiu entrar de corpo e alma para mudar o atual quadro na disputa presidencial, buscando alavancar a candidatura de Dilma – vítima do preconceito por ser mulher e por conta de uma sistemática campanha de difamação e de desinformação que os grupos pró-Serra alimentam no dia-a-dia.
A ideia é mostrar de modo sistemático, persuasivo e amparado em fatos, o grande equívoco que é votar em Serra para presidente, sendo que o preferido para governador é Agnelo. Para desmontar o castelo de areia dos tucanos, a estratégia será comparar os oito anos de FHC (onde Serrra foi uma espécie de 1º ministro) com os oito anos do governo de Lula/PT. Lembrando que Serra poderia ter feito muito e nada fez – quer como constituinte, senador, ministro, prefeito ou governador.
O desafio é consolidar a preferência por Agnelo e mostrar para a sociedade que optar por Dilma para presidente é votar na continuidade do atual momento de prosperidade da economia e da sociedade brasileiras.
As próximas pesquisas indicarão se os sindicalistas conseguirão ajudar a eleger Dilma também como a preferida no DF.

A culpa é da Secom

Em verdade, cabe aqui reiterar mais uma vez que o PT e a campanha de Dilma Rousseff pagam o preço por não terem tido coragem de implementar uma política de fortalecimento de meios alternativos de comunicação. Despejando rios de dinheiro na mídia conservadora e tradicional, o Governo Lula/PT virou as costas para segmentos que poderiam, se tivessem apoio, fazer agora uma espécie de contraponto.
A situação é tão patética que até mesmo o Núcleo de Mídia da Secom do Governo Federal é ‘coordenado’ por alguém que sempre se esmerou em se posicionar como anti-petista e ferrenha crítica de qualquer tipo de apoio para a mídia comunitária/alternativa. Mas nisto, o quadro do DF é similar ao que existe em outras unidades da federação.





Debate na Band: Dilma desmontou Serra

11 10 2010

Acompanhei o debate ao lado de um ferrenho serrista, destes que apenas a imensa amizade nos faz ser condescendente ao ponto de não interná-lo para um tratamento psiquiátrico. Ele é daqueles que acreditam que Serra e FHC são santos, que o PCC é criação do PT e que até o avião da Gol foi derrubado pelo Lula em 2006 e por isso fez bem o Kamel em não colocar o assunto no Jornal Nacional – mesmo já sendo do conhecimento da editoria…
Pois bem. Ele já tinha desistido de votar na turma do Roriz. E agora está tomando outra garrafa de vinho na tentativa de entender o que está acontecendo com o seu presidente – visto que ele só se refere ao Serra como ‘presidente’.
Mostra-se desconsolado. Atendendo pedido dele incluive tuitei para o Nassif para ver como está a audiência da Band por conta do debate. Ele teme que o massacre acabe por enterrar o esforço que a grande mídia fez nos primeiros dias depois do 1º turno de dar uma sobrevida ao Serra.
Ele se mostra desconsolado. Serra não tem proposta e nem resposta. Serra, o preparado, não sabe nada, titubeia ao extremo. Acostumado a mentir, teme agora usar sua arma preferencial porque pela forma como Dilma está afiada e consistente, será desmascarado.
Até agora, Serra não conseguiu responder coisa com coisa. Deixou todo mundo pendurado no pincel, meu amigo devora queijos, copas e vai sorvendo o cabernet argentino como quem engole o próprio desencanto.
Parou de falar. tem os olhos perdidos. Tenho a impressão de que não escuta mais o que Serra fala. Mas alguém será capaz de escutá-lo?
Qual o marido que seria capaz de deixar a esposa publicamente em maus lençóis? Serra não teve como defender a esposa. E olha que a Dilma ainda nem perguntou da quebra do sigilo bancário que a filha dele orquestrou junto com a filha do Dantas. Não defende o amigo que levou alguns milhões.
Percebe-se que o arsenal de ataque de Dilma é imenso. Nas respostas de Serra, transparece o ódio e o rancor que são típicos de tucanos – e todos os jornalistas que já o entrevistaram sabem bem disso. Ele parece menino criado pela vó: se for contrariado, fica com birra e sai brigando, xingando, esbravejando.
Tenho para mim que este pode ter sido o primeiro e único debate do 2º turno. Não acredito que o Serra tenha ânimo para uma nova rodada. A depender do ânimo qaue vislumbro no meu amigo, pressinto que os dois – Serra e o José – estão contando os minutos para terminar o debate. Para chorar no colo das respectivas esposas.
Os blocos se sucedem. Eu que temia ver a minha futura presidenta ser massacrada pelo Serra, percebo que ele está igual aquele treinador que grita, esbraveja, esperneia ao lado do gramnado mas só consegue transmitir a imagem de um palhaço, de um desequilibrado.
Não conseguiu colocar Dilma nem uma vez em situação de apuro, de dificuldade. Não conseguiu colar nada em Dilma, enquanto irá levar para casa o simpático apelido de ‘mil caras’. Ele vai trocando de assunto como aquele sujeito que não tem conversa e tenta achar alguém com quem compartilhar as angústias existenciais. Para cada pergunta formulada pelo Serra, Dilma contrapõe argumentos claros, informações precisas.
Ao mesmo tempo em que fui pegar uma nova garrafa de vinho, aproveitei e passei na estante para pegar um livro do Miguel de Unamuno que vou começar a ler depois do debate. “Do sentimento trágico da vida”, foi publicado em 1913 – já o li uma vez. Não sei porque, mas vendo o Serra fiquei com vontade de lê-lo outra vez. E agora, ao ler o post do Noblat no twitter, me dei conta de que eles estão ansiosos querendo que o debate termine.
Como eu já falei: Serra é o típico menino criado pela vó.
Reclama, choraminga, esperneia. O retrato mais fiel deste debate da Band é que ele (Serra, o preparado) sai arrasado. Meu amigo que se chama José, já chamou a esposa. Tá pensando em ir para casa. Discute futebol.
Para encerrar, uma tuitada lapidar do Emir Sader: “O problema do Serra não é que circulem a ficha falsa dele. Mas que nós façamos circular a verdadeira”. Este é o problema do Serra: com qual das mil caras ele vai chegar em casa?

Pós: engraçada a matéria do Uol. Nem falou do amigo que sumiu com milhões ou da história da mulher do Serra. É fácil ser candidato com uma mídia complacente…





GDF a serviço de Weslian

8 10 2010

O modo mais nefasto, pilantra e criminoso de fazer política, de colocar a máquina do governo em favor de uma candidatura está sendo posto em prática, mais uma vez, aqui no DF por esta figura esdrúxula, politicamente inútil e eticamente deplorável que é Rogério Rosso – supostamente governador do DF. Ele está trabalhando e determinando que todos, eu disse TODOS no GDF trabalhem em favor da candidatura da Weslian.
Mas o que esta figura menor da política local não sabe, é que o DF está cansado da pilantragem, da esperteza e da vilania que o grupo político ao qual ele é ligado tem como norma de conduta.

Diretor da Regional de Ensino do Plano Piloto denuncia assédio moral

O diretor da Regional de Ensino do Plano Piloto, Fábio Pereira, pediu exoneração do cargo e denunciará ao Ministério Público a prática de assédio moral na Secretaria de Educação. Fábio comunicou a decisão durante reunião pedagógica com os diretores de escola na manhã desta sexta-feira,8, e disparou: foi pressionado pelo secretário de Educação a demitir todos os cargos de confiança que não estivessem engajados na campanha da candidata Weslian ou que fossem militantes do PT. “Para não tomar uma atitude tão sem ética, preferi me demitir”, afirmou.
Segundo ele, na última terça-feira, dia 5, em reunião com os diretores de regionais de ensino, o secretário de Educação, Sinval Lucas, ordenou que todos dedicassem meio expediente do seu horário de trabalho para fazer campanha para Weslian. O secretário teria dito também que todos os cargos de confiança da Regional e das escolas deveriam fazer o mesmo, ou seja, usar o horário de trabalho para trabalhar em campanha. “Nós já temos carências de pessoal, como podemos aceitar impassíveis a esse tipo de ordem?”, questiona ele.
A denúncia de assédio moral indignou as diretoras e diretores de escola presentes ao encontro pedagógico, que aconteceu no teatro da Escola Parque 308 Sul. Natércia Ribeiro, diretora do Centro de Ensino Fundamental da 214 Sul considerou a atitude do secretário uma falta de respeito com a educação da cidade. “Sou diretora de escola há 18 anos e em respeito aos alunos das escolas públicas não podemos aceitar um uso político do Estado como pretende a Secretaria”, afirmou. Ela lembrou que os diretores são eleitos e não devem temer denunciar este tipo de pressão.
Para a diretora da Escola Classe 304 Norte, Roberta Callaça, “estão subestimando a inteligência dos dirigentes de escola e de toda a comunidade escolar”. “Além de segurarmos as mazelas da educação no DF, ainda temos que assistir a uma pessoa ser pressionada descaradamente a dedicar um período de seu tempo de trabalho para fazer campanha? É lamentável”, afirmou ela.
O Sindicato dos Professores no DF considera um exemplo a atitude do professor Fábio e condena todo e qualquer uso político da Educação. Temos informação de que os diretores regionais de Taguatinga, Gama e Samambaia também entregarão seus cargos. Mas são 14 regionais de ensino e realmente o Ministério Público precisa ficar atento para evitar a arregimentação de servidores públicos para trabalho eleitoral.

E agora… o que fará o Ministério Público? O que fará a Justiça Eleitoral?





Lula, sempre Lula

8 10 2010

O PT, convenhamos, é mesmo uma grande incógnita.
Terminado o 1º turno e sendo o grande vencedor das eleições – quer para governos, assembleias, Congresso Nacional e também para a presidência da República – os petistas sentiram o impacto da mídia e passaram a se posicionar como se tivessem sido derrotados.
Postei aqui dois ou três comentários sobre o fato do PT ser paulista demais para a realidade do Brasil, sendo que Lula é o único a fugir deste modelito do PT ser uma espécie de irmão siamês do Psdb.
E digo isto de forma tranquila, porque os dois partidos são dominados por caciques paulistas, onde os demais estados não passam de núcleos periféricos.
A diferença é que o PT tem Lula. Não fosse o Lula e o PT seria exatamente igual ao Psdb, sem nunca saber o que fazer, sempre esperando um chefe para decidir.
Depois de passar uma semana se lamuriando, eis que finalmente vem o Lula para colocar as coisas nos seus devidos lugares: Dilma foi sim a grande vencedora destas eleições. Chegou aos 47% dos votos e mesmo contra a mídia golpista, os porta-vozes do obscurantismo tanto católico quanto evangélico, ela é sim a favorita para o 2º turno.
Infelizmente o PT tem uma imensa dificuldade com as críticas a sua postura política. Quem se atreve a criticar o paulistanismo da cúpula petista logo é visto, tachado e considerado inimigo. Mas a verdade é que o PT precisa nacionalizar seu discurso – hoje, volto a dizer, esta visão é restrita a Lula.
É típico desta postura de irmão siamês dos tucanato o desejo pessoal de boa parte dos dirigentes petistas em viver sob luzes, holofotes e se sentem particularmente regozijados quando aparecem nos jornais da burguesia. Tanto assim que a Secom do Governo Federal é hoje um pequeno território do modo tucano de ver a vida.
A diferença entre o PT e o Psdb é que o primeiro tem Lula…





Imprensa dá aula prática de manipulação

28 09 2010

Uma das práticas mais perversas da direita brasileira encastelada nos meios de comunicação – bancados e financiados basicamente com dinheiro público – é a de manipular sistematicamente a verdade.

O vídeo abaixo desmascara as manchetes de jornais, portais, revistas e esvazia argumentos de comentaristas de plantão que trataram de acusar Zé Dirceu de ter dito que no Brasil há excesso de liberadde de expressão. Observando o vídeo – originalmente postado no Blog do Noblat – percebe-se que a frase de Zé Dirceu nega o que foi dito pela imprensa.

A que ponto chegamos: a mídia recria uma frase apenas para distorcer os fatos. Mesmo quem não gosta do Zé Dirceu haverá de concordar: ele tem muitos defeitos. Menos o de ser burro. Ou desinformado. Ou não saber se expressar. Assista ao vídeo e tire suas conclusões:





Virada no DF: Ibope também confirma Agnelo em 1º

4 09 2010

A voz das ruas enfim está sendo captada também pelas pesquisas: para o Ibope, Agnelo Queiroz, do PT, lidera a disputa para o GDF. Seria no mínimo uma grande estupidez que o povo de Brasília c onduzisse a um novo mandato alguém que enxovalou a política candanga com práticas deploráveis de mercantilização do poder (numa aliança espúria com as incorporadoras imobiliárias, prática esta que foi aprofundada no governo Arruda), destruição dos serviços públicos e permanente omissão (para não dizer apoio) diante de ações de invasão de áreas públicas, pirataria e a ocupação das ruas e dos espaços públicos por camelôs.

Roriz, cassado pelo TRE-DF e também pelo TSE; Arruda, preso e defenestrado do poder; Abadia, que teve sua situação aliviada pelo TRE-DF e cassada pelo TSE; Paulo Octávio, que renunciou para não ser cassado e preso – e tantos outros – têm algo em comum: são todos membros de um esquadrão que tomou de assalto o GDF em janeiro de 1999 e que agora a sociedade tem a oportunidade de ser livrar deles. Espera-se que de modo definitivo.

A sociedade do DF anseia por ética. Está cansada de passar vergonha. De se sentir humilhada pela imagem de bandalheira que os políticos locais transmitem para o País. Que os dados das mais recentes pesquisas sejam um reflexo da realidade e que sirvam para que mais brasilienses se engajem nesta luta e nesta cruzada.

Estes são os números da mais recente pesquisa Ibope divulgada hoje à noite.

03/09/2010 – 20h01

Ibope: Com 40% das intenções de voto, Agnelo lidera disputa pelo governo do DF

UOL Eleições
Em São Paulo

Pesquisa Ibope divulgada nesta sexta-feira (3) mostra o candidato Agnelo Queiroz (PT) à frente de Joaquim Roriz (PSC) na disputa pelo governo do Distrito Federal. De acordo com o levantamento, o petista tem 40% das intenções de voto, contra 32% de Roriz.

O candidato Toninho do PSOL está na terceira posição: 2% do eleitorado afirma que vai votar nele. Eduardo Brandão, do PV, e Rodrigo Dantas, do PSTU, vêm logo depois, cada um com 1%. E 24% dos entrevistados estão indecisos ou disseram que irão votar nulo ou em branco.

Os candidatos Newton Lins (PST), Ricardo Machado (PCO) e Frank (PCB) não pontuaram na sondagem.

O Ibope entrevistou 1.806 pessoas entre os dias 31 de agosto e 2 de setembro. A pesquisa tem margem de erro de três pontos para mais ou para menos e está registrada no TRE-DF com o número 28845/2010.





Roriz e Serra em baixa no DF

2 09 2010

Se até o Correio Braziliense, típico subproduto do pior jornalismo brasileiro, reconhece que Agnelo lidera a disputa ao Buriti, imagine-se o que será a realidade. É preciso entender que hoje a opção por Roriz sobrevive nos grotões. Além dos números ndas pesquisas, há algo mais a preocupar Roriz e isto se manifesta na contudência de suas agressões verbais e na treuculência de seus meliantes, melhor, pseudo-militantes.

Ele sabe que está perdido. Ele sabe que muitos candidatos a distrital pegam os tickets de combustível e vendem – porque sabem que a aventura eleitorald ele é totalmente furada. Roriz vive a mesma situação eleitoral de Serra: derrotados, apelam. Como diz um velho aforisma dos tempos de infância: apelou, perdeu.

E o que não tem faltado são agressões. No Riacho Fundo é assim. No dia do julgamento do TSE foi assim. Ontem à noite ao final do debate na Associação Comercial do DF também foi assim, tanto que os marginais contratados para causar tumulto impediram que o vice de Agnelo, Tadeu Filipeli, saísse do prédio.

A pesquisa a seguir foi veiculada no Correio Braziuliense de hoje e mostra que Agnelo, Dilma, Rorigo Rollemberg e Cristovam Buarque são os preferenciais no DF.

Agnelo lidera corrida pelo GDF; para o Senado, Cristovam está na frente
Publicação: 02/09/2010 05:00 Atualização: 02/09/2010 11:42
Em pesquisa realizada pelo Instituto CB Data (1), o candidato do Partido dos Trabalhadores, Agnelo Queiroz, tem a liderança das intenções de voto para governador do Distrito Federal com 40%. Joaquim Roriz, do PSC, vem em segundo lugar com 34%. A margem de erro é de 3%, para mais e para menos.

A vantagem do candidato do PT refere-se à abordagem estimulada, quando uma lista com o nomes dos candidatos é apresentada. A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral do DF (TRE-DF) com a inscrição 28640/2010 e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número 27326/2010. Os questionários foram aplicados a 1.100 eleitores do Distrito Federal entre 29 e 31 de agosto.

Toninho do PSol aparece em terceiro lugar com 2% das intenções, seguido por Eduardo Brandão, do PV, que tem 1%. Os outros candidatos não pontuaram. Os votos nulos totalizaram 8%. Já os brancos e indecisos somaram 14%. A rejeição de Roriz é de 38%, contra 23% de Agnelo.

Planalto

A candidata do PT ao Planalto, Dilma Rousseff, também tem a preferência do brasiliense, com 42% dos eleitores. José Serra (PSDB) aparece em segundo, com 22% das intenções, seguido por Marina Silva (PV), que receberia 15% dos votos.

Dilma também lidera a disputa na pesquisa espontânea, quando não é apresentada uma lista com os nomes dos candidatos. Ela tem com 36% das intenções, seguida por Serra, com 17%, e por Marina, com 13%. Quando o assunto é rejeição entre os três mais bem colocados, 36% não votariam em Serra, 28% em Marina e 25% na postulante do PT.

Senado

Para as duas vagas que estão sendo disputadas no Senado Federal, Cristovam Buarque, do PDT, aparece com 49% das intenções de voto, seguido pelo companheiro de coligação Rodrigo Rollemberg (PSB) com 31%. Maria de Lourdes Abadia (PSDB) é a terceira com 26% e Alberto Fraga (DEM) tem 10%. Chico Sant’Anna (PSol), Milton Tadashi (PTN), Robson (PSTU), Rosana Chaib (PCB) e Gerônimo (PSL) somaram 1% cada.

Metodologia
Como em 3 de outubro os eleitores escolherão dois senadores, para ter um quadro das intenções de voto o Instituto CB Data formulou perguntas de respostas múltiplas, situação em que mais de uma opção é anotada. Assim, explica o coordenador da pesquisa, Adriano Cerqueira, a soma dos percentuais de todos os candidatos chega a 200%, pois cada entrevistado apontou dois nomes entre a lista apresentada. A pesquisa foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do DF sob o número 28640/2010 e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número 27326/2010.

1 – CB Data
» O Instituto CB Data foi criado em 2006 e atende exclusivamente a demanda do Correio Braziliense por pesquisas eleitorais. O Instituto CB Data, a exemplo do EM Data, que trabalha para o jornal Estado de Minas desde 2002, não atende partidos políticos nem candidatos. Nas eleições de 2006, o CB Data realizou seis pesquisas de opinião durante a campanha no DF.




Oposição, mídia e judiciário preparam o golpe

2 09 2010

Assumindo a derrota nas urnas, logo eles que pensavam que seriam aclamados como os salvadores do caos, os tucanos armam o circo para preparar o terreno para um golpe ou apostar na ‘ingovernabilidade’ pelo verdadeiro inferno que pretendem criar caso Dilma Rousseff confirme nas urnas em 3 de outubro o que apontam as pesquisdas.

É importante dizer que o governo Lula em muito contribuiu para este estado de coisas em três instâncias.

Primeiro, ao manter na Secom um grupo com um modo de agir tucano – marcado pelo cinismo, pela hipocrisia e pelo reiterado culto aos padrões do mercado. Qual outra justificativa para o governo despejar generosos milhões de reais.

Em segundo ao render-se ao poder das bancas na indicação de ministros ao STF – sendo que estas sempre usaram Marcio Thomaz Bastos como mensageiro de seus intereses junto ao presidente. A manutenção de um Supremo com um viés reacionário não condiz com as indicações de um governo democrático e popular.

Em terceiro, ao não fortalecer os mecanismos alternativos e populares de comunicação. E neste ponto volta-se outra vez para o nefasto papel cumprido pela Secom. Dizer que houve a pulverização na liberação dos recursos é misturar alhos com bugalhos. Distribuíram recursos sim, mas para representantes da mesma velha e preconceituosa mídia, valendo-se dos mesmos mecanismos de protecionismo político. A ‘pulverização’ não contemplou com um montante específico – 40%, o que seria o mínimo – para rádios, jornais e tvs comunitárias.

A Secom com suas mentiras e sua manipulação afronta a inteligência de qualquer pessoa que consiga viver sem o cabresto da conveniência. E hoje o governo e a sociedade pagam o duro preço do padrão tucano de legalismo e de hipocrisia.

A bem da verdade, a única rede de sustentação que o governo ainda mantém é pela internet, onde o trabalho militante acontece. Enquanto o governo despeja milhões na Veja, os blogueiros que fazem a resistência penam para defender o emprego do pessoal da Secom. Estranha e absurda ironia.

É dentro deste quadro que a oposição arma, de modo descarado na repetição da aliança entre a mídia e o Judiciário, o cenário para um golpe e, este não podendo acontecer, para a infernalização do mandato de Dilma.

Volto a dizer: boa parte da culpa de trudo que acontece hoje foi pela prevalência do modo tucano de agir de muitos pseudo-petistas.





Filipeli no Bom dia, Servidor

16 08 2010

O deputado federal Tadeu Filipeli, do PMDB e candidato a vice-governador pela Coligação Novo Caminho, será o entrevistado desta terça-feira (17) no programa Bom dia, Servidor que vai ao ar de 6h às 7h pelas rádios Brasília 1.210 AM e pela 88,9 FM.
A entrevista – cujo espaço está aberto para outros candidatos a governador e vice do DF – terá sua temática centrada na questão da ampliação e da melhoria na qualidade dos serviços públicos hoje oferecidos à sociedade e também as políticas de valorização dos servidores.





Lula e o papel dos sonhadores

16 08 2010

Vale a pena escutar o Lula – pena que o povo da Secom, do ‘nosso’ governo não pensa a mesma coisa…