Baixaria dá voto?

22 10 2010

Me criei fazendo campanha no tempo em que se discutiam propostas. Lembro que participei da campanha do Brossard (MDB) contra o Nestor Jost (Arena) – mesmo o Jost sendo da minha cidade (Candelária-RS). Lembro ainda de um discurso, em 1974, do Brossard, feito no CTG Sentinela dos Pampas onde ele, com aquele sotaque de fronteira dizia: “Nós temos que perder o medo. Nós temos que voltar a acreditar na democracia. Esta noite não poderá ser eterna”.
Nesta reta final de campanha, lembro do Brossard (aquele que sendo um liberal, na oposição ao regime militar virou um democrata radical). Temos que perder o medo da imprensa. Temos que perder o medo do poder das trevas que o Serra representa. E nós aqui no DF, precisamos voltar a ter orgulho de dizer que somos ‘brasilienses’ e não partícipes de uma bandalheira como forma os oitos anos de Roriz e os quatro anos de Arruda.
Transcrevo a seguir o texto ‘de capa’ do Jornal Passe Livre que circulou hoje em Brasília – 150 mil exemplares distribuídos gratuitamente – na rodoviária, em Taguatinga, na Ceilândia e no Guará.

BAIXARIA DÁ VOTO?

Na medida em que se aproxima o 2º turno das eleições para presidente em todo país e para governador no DF e em outros estados, o eleitor volta a conviver com o estigma da baixaria e da mentira.
Mas o eleitor está cansado de tanta patifaria e de tanta armação. As ‘revelações’ da turma do atraZo e da campanha do Serra não conseguem mais ludibriar ninguém. O problema do Serra e da turma do atraZo é que eles gostam de tratar o eleitor como se ele fosse um burro, uma anta e não tivesse capacidade de entender que tudo não passa de coisas enjambradas, mutretas e vídeos editados.
As mentiras e a hipocrisia do Serra estão fazendo com que Dilma abra 12 pontos de vantagem na pesquisa do Ibope divulgada na quarta-feira, dia 20. Ninguém tolera a leviandade e a irresponsabilidade de alguém que no afã de conquistar a presidência acaba optando pelo ‘vale tudo’.
Este quadro de irresponsabilidade se repete aqui no DF, onde a turma do atraZo despenca nas pesquisas e na tentativa de sobrevivência, parte para um proselitismo político que revela a leviandade que norteia suas ações demagógicas. Quem eles pensam snsibilizar com a promessa de anistiar multas? Só aqueles que já estavam com eles e que adoram ilegalidades e falcatruas. O que a turma do atraZo esquece é que aqui no DF vivem também pessoas com dignidade e com responsabilidade – que, conforme o 1º turno, representam a imensa maioria dos habitantes.
Fala-se em coisas bombásticas, mas o eleitor está vacinado: vindo da turma do atraZo não tem credibilidade. Afinal de contas, são sempre os mesmos, usando os mesmos métodos – valendo-se do mesmo roteiro da mentira. Nesta reta final da campanha para o 2º turno é preciso ficar atento e prestar bem atenção. Muitas ‘denúncias’ serão lançadas ao ar, tentarão destruir a reputação de muitas pessoas, muitas promessas estapafúrdias serão anunciadas.
A turma do atraZo e o pessoal do Serra ainda não se deu conta que o povo cansou de ser tratado como massa de manobra, como se não tivesse capacidade de decidir acerca do seu próprio destino.