Blogueiros e patrulhas ideológicas

30 03 2011

Já faz tempo que não me debruço sobre os e-mails que chegam por meio de listas pela repetição temática.
Não é um problema ‘desta’ lista, mas que se repete em maior ou mais intensa escala em cada uma delas.
Mas creio que, aqui, tem acontecido algo que tem a ver com o DNA ideológico de boa parte dos seus integrantes e principalmente pelo viés de censura e de imposição de uma só voz que advém do núcleo político-partidário que tenta, insiste e persiste no trabalho de colocar cabresto, de colocar viseiras em um movimento – a blogosfera – que nem a direita e nem a esquerda ainda conseguiram entender e, por isso mesmo, tentam controlar e manipular.
Estive no 1º Encontro em São Paulo e percebi que se tratava da construção de uma escada, na qual caberia a plebe de blogueiros o papel de incensar e emular os escolhidos. Disse isso na minha intervenção e destaquei que havia um claro sistema de castas.
Mantenho um blog que está migrando para um portal onde estarão todos os meus produtos de comunicação. Não posso, não tenho do que me queixar da minha média diária de acessos – 4.158 na última semana. Faço isso sem contar com a escada que outros blogues fazem, exatamente porque não me interesso em fazer parte de panelas. Acho interessante no twitter, por exemplo, como alguns ‘blogueiros’ ajudam os outros. Acho isso bacana, legal – este é o sentido e espírito de uma panela.
Percebo que existe uma preocupação em não fortalecer a diversidade, mas sim em fortalecer uma unidade em torno de alguns. É do jogo. Estamos repetindo aqui a mesma estratégia da grande imprensa: a Folha publica, a Veja replica e a Globo sataniza os personagens. Esta é a escada que ocorre em nosso meio.
Vejo, com preocupação, a tentativa de criar uma ‘linha editorial’ para os blogues. Existe o AI-5 Digital do Azeredo e existe a Sibéria da esquerda – porque nem a direita e nem a esquerda sabem conviver com a democracia, com a diversidade.
Espero que não se queira transformar o II Encontro Nacional dos Blogueiros numa espécie de ‘congresso da Une’, com delegados escolhidos/eleitos nos estados para formar claque. Vejo como infantil a colocação de ‘progressistas’ como parte do nome do evento, porque se trata de um conceito pessoal, um auto-elogio que precisa ser visto de uma perspectiva mais ampla. Ao reduzir a blogosfera entre ‘progressistas’ e ‘atrasados’ estamos criando guetos, porque nada impede que os atrasados se sintam, na verdades, ‘mais progressistas’…
Eu, de minha parte, sei quais os ‘post’ aqui da lista que me interessam ler. Os demais apenas excluo.
Considero petulante, arrogante e descabido que uma pessoa se sinta no direito de pedir que alguém pare de falar ou de tocar em determinado assunto.
A blogosfera precisa ser livre e respeitar a diversidade. Quer a esquerda empedernida e que se auto-intula progressista quer ou não queira.

Sobre o assunto leia também, se quiser:

https://passelivreonline.wordpress.com/2011/02/28/patrulhas-ideologicas-na-blogosfera/





Patrulhas ideológicas na blogosfera

28 02 2011

Passada a eleição de 2010, quando houve uma natural convergência e sinergia de todos os blogueiros inconformados – que alguns erroneamente ainda tentam enquadrar e estereotipar como ‘progressistas’ – em favor da candidatura de Dilma Rousseff (até para oferecer um contraponto de informação e de resistência ao apoio massivo da mídia tradicional em favor da candidatura de José Serra), é mais do que natural que as diferenças que antes eram relegadas a um segundo plano, passem a destacar os olhares distintos entre os vários atores daquela verdadeira batalha virtual que foi travada.
Para mim, o primeiro ponto de discórdia sempre foi a questão da tentativa de padronização partidária que alguns tentam impor para os blogueiros – como se todos tivessem que responder a uma só cartilha. Passo seguinte – e num certo sentido até anterior a tudo isso – foi a percepção de que um grupo (que eu chamo de panela) tentou servir de referência para todos os blogueiros. As coisas naturais também podem ser impostas e este grupo passou a agir da mesma forma que a grande mídia. Quis se transformar em emissor e fonte onde ‘los de abajo’ deveriam se espelhar e sempre reproduzir os seus comentários. É, em síntese, o mesmo procedimento que a chamada ‘grande mídia’ faz com a mídia sem grife, na infeliz expressão de uma certa secretária de comunicação.
Lembro bem que passada a eleição, esta panela conseguiu uma audiência/entrevista com o então presidente Lula. Fui o primeiro a denunciar que, a despeito da importância daquele evento, era uma demonstração de desrespeito da panela com o conjunto dos blogueiros. Deixei bem claro que ali não havia representatividade, tendo em vista que a escolha foi a partir de vínculos de amizade, de conveniências grupias, afinidades ideológicas/partidárias. Para falar a verdade, até hoje não sei o que foi tratado na entrevista, porque sou de um tempo onde o conceito de democracia só tinha valor com uma efetiva prática democrática cotidiana.
Estes assuntos que incomodam e questionam, são sempre escamoteados e eliminados por uma força tarefa que tem o papel de massacrar qualquer ponto de vista diferente. Existe um grupo dentro do grupo que tem o papel de dizer o que o grupo pode discutir. A blogosfera está em polvorosa, principalmente nos grupos de discussão. Onde antes havia uma condescendência com as diferenças, uma convergência por conta do desafio maior que era ajudar a derrotar o obscurantismo e o atraso, agora ficam cada vez mais claras as diferenças.
Assustados, alguns observam por exemplo que a presidente Dilma Rousseff e o seu partido, o PT, continuam mantendo a mesma política de bajulação da grande mídia. Parece que nem o PT e nem a Dilma aprenderam com as eleições de 2006 e 2010. Mas nisto não deve haver nenhuma surpresa, tendo em vista a imensa dificuldade do PT em trabalhar um projeto de comunicação que não seja de subserviência. Não é só o Suplicy, o Mercadante e o Vacarezza que fazem das tripas coração para ocuparem espaços na TV Globo, na Veja, na Folha e nos demais ‘grandes’ meios de manipulação e de desinformação. O ministro Paulo Bernardo, das Comunicações, por exemplo, está cada vez menos convicto de que vai ser possível efetivar a regulação dos meios de comunicação. E olha que ele ainda parece ser uma das poucas vozes comprometidas com esta bandeira.
Pode-se dizer que no campo da esquerda há um preconceito muito grande com posicionamentos críticos. Há um olhar torto e rancoroso para quem pensa diferente, para quem não tem o hábito de curvar a espinha. Talvez pela visão ‘partidarizada’ que sempre move as pessoas. Talvez pela compreensão, dos ‘capas’, de que eles sabem o que a raia miúda deve pensar. Talvez pela doutrinação excessiva, como se sempre houvesse um inimigo externo a ser abatido – real ou imaginário. Talvez por outra razão qualquer, mas a verdade é que o pensar diferente incomoda e quem o exercita, acaba sendo vítima das perversas patrulhas ideológicas.
Alguns aspectos causam pavor e espanto, principalmente porque há indícios de que muitos gostariam de monitorar e de tutelar a blogosfera, mantendo-a quietinha e ordeira, dentro de um comportamento que não contempla nenhum questionamento. Quando a presidente Dilma foi na festa da Folha, quem ousou criticar a atitude dela foi patrulhado – como se a nós, povo, fosse dado apenas o direito de aplaudir os atos dos ‘eleitos’.
Posso falar com tranquilidade sobre o assunto, porque o ato da presidente Dilma não me frustrou e nem me surpreendeu. Apenas confirmou o pior dos presságios que tenho comigo: deste mato, não vai sair cachorro. Basta observar que a visão que hoje domina o PT é muito semelhante a visão que as elites têm de boa parte dos assuntos prioritários para o País (deles). Ao migrar para o centro e flertar com grupos de centro-direita, o PT acabou se transformando na alternativa segura para boa parte das elites. Pode-se dizer, gerando ódios, que o PT acabou sendo aquilo que a elite esperava do PSDB.
Dentro desta minha visão, a ida da presidente Dilma para o regabofe da Folha foi um tapa de mão cheia na cara dos militantes, mas algo pra lá de natural dentro da visão – volto a dizer – de boa parte dos dirigentes petistas que sonham em fazer as pazes com a mídia, em serem aceitos pela mídia. Fazem de tudo para isso, inclusive deixam de lado a lei que deveria botar ordem no grande prostíbulo que é a comunicação em nosso País.
O quadro é desanimador, porque não há uma alternativa a esta situação.
Observo estarrecido a juvenilização, no pior sentido, dos preparativos para o II Encontro Nacional dos Blogueiros. A realização dos chamados encontros estaduais em lugar de servir prioritariamente para a discussão da realidade local, está sendo usado, de modo dissimulado, para a escolha da claque que irá para o Nacional. É dentro desta visão que digo que a partidarização da blogosfera é um risco muito grande – porque foi esta prática que acabou matando e tirando a representatividade da UNE, da CNBB, da OAB e de tantas outras instituições históricas. Ao servirem para defesa ‘corporativa’, acabaram se suicidando.
Sejamos francos, depois das eleições de 2010, quem ainda consegue levar a sério algum posicionamento da CNBB? E com as últimas diretorias da OAB, alguém ainda considera o posicionamento dela para qual coisa? E a UNE… que se transformou apenas em uma entidade em defesa do lucro das carteirinhas?
Quem não tiver bem claro o valor pelo respeito à diversidade de pontos de vista de quem faz a blogosfera precisa rever seus conceitos. Ou assumir o papel de dono da verdade. Não adianta bater no peito e se ufanar da democracia quando em nível pessoal coloca em prática o pior dos obscurantismos que é revelado pelo patrulhamento ideológico.





Blogueiros com Lula: vitória da esperteza

24 11 2010

Eu tenho dito aqui e em todos os lugares: assumo tudo que eu penso, não aceito cabresto e nem o ar de serenidade de certas figuras que são ridículas quando tentam travestir sua falta de caráter com ares de fidalguia. Comigo, isto não funciona.
Comigo funciona é dignidade, olho no olho e não picaretagem.
Para mostrar como foi ridícula a encenação dos ares de democracia da escolha dos blogueiros, o próprio Miro por telefone me confirmou que no começo viria só aquilo que alguns gostariam de ser a elite da blogosfera, que se pensa acima do bem e do mal – um seleto grupo de iluminados capaz de levar a luz para imbecis e cegos. E como fez bem saber que pessoas como Paulo Henrique Amorim, Luis Nassif, Rodrigo Viana e Luiz Carlos Azenha acharam por bem não participar da picaretagem – algo que só os dignifica ainda mais.
Transcrevo a seguir um post do blog ‘O terror do nordeste’ que vale a pena ser lido – como também vale a pena acompanhar o seu conteúdo no dia-a-dia:

LAMENTÁVEL

É triste ver a assessoria do governo Lula desprestigiando quem, realmente, merece.

Li no Blog do Rovai que Lula será entrevistado, no dia de amanhã, por um grupo de blogueiros intitulados de progressistas.

Dentre os blogs convidados, encontra-se o Acerto de Contas, aqui do Recife, de Pierre Lucena.

Na terra que Acerto de Contas for considerado um blog progressista, o Blog da Dilma, que parece que não foi convidado, é de extrema esquerda.

Até as pedras do Palácio dos Campos da Princesa sabem que Pierre Lucena é jarbista doente e que Marcos Bahé é tucano.Os dois são críticos ácidos do governo Lula, assim como foi do ex-prefeito João Paulo.

Indigna-me saber que tantos blogueiros inteligentes e decentes foram preteridos por blogueiro do tipo Pierre Lucena.A assessoria de Lula deveria ter chamado também Jamildo Melo, do Jornal do Comércio.

Miguel do Rosário, Oni Presente, Daniel Pearl, Jussara Seixas, Nogueira Jr, Enio Barroso, DiAfonso, Giovani Moaris, Magno e tantos outros, jamais poderiam ter ficado de fora dessa entrevista concedida por Lula.

Veja que o jornalista Alfredo Bessow, do Passe Livre, ainda que por outos argumentos, no qual na maioria eu dircordo, também expressa essa indignação.
===
Por minha conta e risco também transcrevo alguns comentários:
Márcio Lacerda de Araújo disse…
Concordo Terror .. palhaçada que da terra do Lula vá um blog tucano-jarbista representando os blogs sujos ..
escrevi o seguinte comentário lá no Acerto: “Nunca ouvi falar desse blog .. aproveitem seus 15 minutos de fama nas costas do presidente Lula .. pq com a Dilma não vai ter colher de chá pra vcs não ..”

TERROR DO NORDESTE disse…
Marcio, eu conheço o AC de longas datas, briguei muito nesse blog na última eleição para prefeito.Abraços.

DiAfonso disse…
Cumpadi… esquenta, não…

a assessoria do nosso grande presidente está devendo faz tempo. Lula sabe que estes assessores são uns aloprados. O importante é que ele, no íntimo, sabe quem o ajudou a ganhar as eleições (duas vezes + uma com Dilma). Ele sabe que fomos nós, os que fazem a Blogosfera altenativa e progressista, fomos nóis, cumpadi… lá no Marco Zero e dividindo a labuta com as blogagens, mesmo não tendo tempo para muita coisa e, muitas vezes, deixando nossa família de lado. Eu, por meu turno, estou tranquilo e com o papel que desempenhamos.

Grande abraço!





Audiência com Lula: panelinhas tentam tomar conta da blogosfera

23 11 2010

A blogosfera brasileira tem na sua diversidade uma de suas principais características. Há milhões de blogueiros – e não creio que a importância deles seja pelo chamado número de acessos, porque isto depende de muitos outros fatores. (Esta, por sinal, é uma luta dos editores de revistas e jornais que lutam contra o modo tucano que domina a Secom, onde o custo por mil é mais importante do que a qualidade do conteúdo) No Encontro dos Blogueiros Progressistas, em SP, eu coloquei a minha preocupação com a clara tentativa de criar um sistema de castas – onde o estrelismo e o egocentrismo contam mais que fatores como solidariedade.
Infelizmente, os meus piores presságios – e lembro que na oportunidade o Nassif disse, por estar na mesa, que era uma visão equivocada minha. Agora, percebo que não. Conformou-se e confirmou-se a percepção de que o mesmo necrosado e pelos brasileiros derrotado paulistanismo – que tanto mal faz para o jornalismo brasileiro (Veja, Globo, Estadão, Folha), para a política nacional (PSDB, PPS e segmentos deslumbrados do PT), para a nossa brasilidade (vide as manifestações de ódio, preconceito e racismo) e poderia elencar outros setores nacionais que penam por conta deste paulistanismo – tenta transformar a blogosfera num território dominado por uma panelinha de paulistas. Neste desenho, os demais blogueiros tem, como está posto na mensagem recebida, o direito de transmitir…
Quem definiu a nominata dos ‘convidados’?
No jogo de empurra, disseram que foi o Planalto.
E o Planalto não escolheu nenhuma blogueira mulher?
E o Planalto só chamou blogueiros paulistas (ainda que morem em outros estados), ou que também trabalhem em ‘veículos’ paulistas?
O assunto vem sendo tratado com tal sigilo que, quando inadvertidamente alguém me falou deste assunto ontem, pediu pelo amor de Deus manter segredo – para não ter problema com a repercussão.
Posso dizer que pelos nomes revelados, ali está a mesma panelinha que tem como pressuposto a arrogância de querer mandar e comandar a blogosfera. É a carcomida visão paulistana de que o mundo gira em torno do umbigo deles e que o resto… bom, o resto é só o resto…





Desafios da blogosfera: nós e nossos umbigos

9 10 2010

Nem sempre tenho tempo para ficar ‘passeando’ pelos blogues – afinal de contas, são tantos e por vezes é impossível acompanhar as postagens. Diria até que, muitas vezes, fica até difícil de ir postando novas mensagens – até porque sou meio jurássico, na medida em que apenas posto mensagens de minha máquina.
Mas, tem algo que me preocupa – e isso desde bem antes do chamado e histórico Encontro dos Blogueiros Progressistas que aconteceu em São Paulo. Percebo que numa escala crescente os blogueiros trouxeram para ‘cá’ uma prática que muitas vezes condenamos quando utilizada pela mídia convencional.
A Folha publica, o JN repercute, a Veja trata do tema, o Estadão e assim por diante. Como se fosse uma academia do mútuo elogio. Se formos observar, veremos que esta prática acontece entre os blogueiros – onde um grupo de estrelas faz o mesmo jogo, tratando os demais de modo periférico.
Pode parecer antipatia, mas esta é a percepção que se tem: o umbigo e o ego dos blogueiros é realimentado, ensejando uma disseminação dos mesmos entre os mesmos e, num certo sentido, usando os periféricos como ‘cadeia de transmissão’.
Trata-se de algo delicado, na medida em que, no meu modo de pensar, estamos falando no mais das vezes para nós mesmos. Percebo inclusive a repetição dos nomes de autores de comentários em vários blogues.
O que fazer para romper esta repetição que acaba sendo um fator limitante na expansão de nossas idéias? Eu creio que um dos mecanismos está na utilização de ferramentas auxiliares, mas neste sentido deveríamos buscar uma parceria com jornais de entidades sindicais, associativas.
Aqui no DF, por exemplo, entidades como o Sinpro e o Sindicato dos Bancários possuem jornais e informativos com tiragens bem elevadas – mas ainda percebe-se uma tibieza na construção destas parcerias. Mas este é o melhor caminho. Outra alternativa estaria numa parceria com rádios comunitárias e mesmo canais comunitários – ainda que restritos ao espectro das chamadas ‘tvs por assinatura’. Até porque muitos dos blogues ‘matriz’ do outro lado estão dependurados em portais de jornais, revistas, TVs e por aí afora – o que por si só já enseja milhares de acessos.
Enquanto não conseguirmos romper o limitado de nossos umbigos, o poder de intervenção da blogosfera no ‘cotidiano’ continuará sendo muito limitado – até porque há um ‘outro lado’ que tem jogado com mais virulência, truculência e baixaria.
Como vencer este fator que é hoje um limite real?
Como fazer para não trocarmos apenas o nome da prática que condenamos nos outros e continuarmos com uma postura verticalizada de repetição e de reforço?
Como fazer para resgatar na blogosfera algo que está ausente no cotidiano real que é a solidariedade? Percebo, também, que os blogues ‘de lá’ são muito mais sujos em seu conteúdo, muito mais agressivos – mas os percebo mais solidários entre si (como não transito por aquelas bandas não sei qual o clubismo que adotaram, mas a verdade é que eles se divulgam e se protegem com mais vigor).
Este foi, inclusive, o teor da minha intervenção no Encontro dos Blogueiros – porque percebi o quanto o ego esteve acima da solidariedade. O que nós precisamos é fortalecer os meios de ‘levar’ os blogues para além dos limites e das almas já conquistadas. Mas isto não se dará, na minha modesta opinião, mantendo-se o atual padrão vertical e centralizado, mas pela construção de parcerias paralelas – com o fortalecimento de um contraponto dos blogues regionais.
Aqui não se trata de estipular verdades, mas apenas um desejo intenso e imenso de questionar algumas práticas, avaliar algumas posturas e, acima de tudo, descobrir (compartilhando experiências e angústias) meios, mecanismos e caminhos para transcender o limitado de nossos próprios umbigos.





Cloaca: emoção e reconhecimento

25 08 2010

O 'Sr. Cloaca' e Paulo Henrique Amorim - justa homenagem a quem não deu tréguas à imbecilidade da mídia


Um dos pontos altos do 1º Encontro Nacional dos Blogueiros Progressistas foi a entrega do Prêmio Barão de Itararé 2010 ao mais ‘representativo’ blogueiro do País. Por aclamação, a láurea coube ao ‘Sr. Cloaca’, que conseguiu com seu estilo irreverente, ácido e bem humorado ser uma pedra permanente no sapato de toda diretona.
Ficou emocionado, foi parar na Santa Casa de São Paulo, também por conta da nicotina, e teve como principal cabo eleitoral, José Serra e seu ataque aos ‘blogues sujos’.
Na foto, o ‘Sr. Cloaca’ e o jornalista Paulo Henrique Amorim – os linkes dos dois blogues estão ao lado, nesta página..





Lula e o papel dos sonhadores

16 08 2010

Vale a pena escutar o Lula – pena que o povo da Secom, do ‘nosso’ governo não pensa a mesma coisa…