Libertadores 2011: naufrágio a vista ou apenas turbulência?

4 03 2011

A largada da Libertadores da América 2011 não tem sido aquela idealizada pelos clubes e incentivada pela chamada mídia esportiva. O fato de termos os principais clubes do País na disputa – Grêmio, Inter, Corinthians, Santos, Fluminense e Cruzeiro – gerava a certeza de que a principal disputa seria para saber quem seria o vencedor. Os demais times de outros países seriam apenas e tão somente figurantes.
Olhando a performance dos clubes, apenas pelos resultados – afinal de contas assisti somente um jogo de cada time – a situação é tensa.
Dois clubes estavam na fase eliminatória da Libertadores, que alguns erroneamente chamam de pré-Libertadores. O Grêmio foi sofrível nos dois jogos contra o Liverpool de Montevidéu, que mais parecia um time de amigos do bar que se reúnem para uma pelada, mas ao menos passou para a fase seguinte. Pior foi o Corinthians, que simplesmente não jogou diante do Tolima. Com esta performance, o time virou motivo de piada e constrangimento para sua sofrida massa de torcedores.

Grupos

Favorecidos por tabelas que possibilitaram dois jogos em sequencia em casa, Flu (grupo 3) e Cruzeiro (grupo 7) vivem realidades distintas. O primeiro respira por aparelhos e o segundo encaminhou bem a sua classificação com todos os indicativos de que fará a melhor campanha. Indicativos, não certeza… O Flu, por sinal, tem jogo decisivo no Engenhão dia 23 contra o mesmo América que o derrotou esta semana.
Quem não está conseguindo empolgar ninguém é o Santos (grupo 5), que contratou muitos jogadores e demitiu o técnico. Fez dois jogos, empatou ambos e ainda está devendo. Está em 3º no grupo, mas não deve ter problemas para se classificar. Pode ser beneficiado pelo fato de ter dois jogos ‘na volta’ na Baixada.
O Inter (grupo 6) é um enigma. Dono do maior plantel do futebol brasileiro, o time vive uma incompatibilidade entre os métodos do seu treinador e o gosto da torcida. Tem credenciais para ser tri, mas vai se defrontar com um desafio regional depois do carnaval: com o fracasso do chamado Inter B, o time A terá de se desdobrar em duas competições – algo que não é do agrado do treinador. Empatou fora, um jogo que estava ganho e fez 4 em casa – sem jogar bem. Fechará sua participação jogando em casa.
O Grêmio chegou à Libertadores amparado por uma surpreendente reação no Brasileirão e principalmente ao fracasso do Goiás na final da Sul-americana. O time de 2011 não consegue a mesma mecânica de jogo de 2010 – e o time se tornou previsível e repetitivo. E isto se deve não apenas por ter perdido Jonas, mas por conta de algumas bizarrices de seu treinador – como esta teimosi em jogar com dois centroavantes de área e manter a escalação de Carlos Alberto que parece ganhar a titularidade por afinidade e não por qualidade. Ao contrário de muitos, creio que o Grêmio precisa de um zagueiro pela direita, um lateral esquerdo e um atacante de velocidade – que poderia ser Éder Luis do Vasco, o único que tem algumas características de 2º atacante de velocidade.
Na minha opinião, o Grêmio entrará como 2º do grupo, mas pode crescer na fase do mata-mata.

Resumindo

Dos times brasileiros, apenas o Cruzeiro está dando conta do recado. O Fluminense decepciona. O Santos empaca. O Inter se debate em suas dúvidas, inclusive da conveniência de manter o treinador. E o Grêmio ainda busca reencontrar sua cara…





Um pitaco no futebol

2 01 2010

Aviso aos navegantes: gosto muito de futebol. Torço apenas para dois times. Para o Grêmio e quem joga contra o Internacional, afinal de contas é a mesma emoção torcer e secar. Como eu já disse, sou politicamente incorreto e assumo isto sem nenhum medo ou receio.

Neste começo de temporada, algumas questões em torno dos Clubes.

Atlético Mineiro – será que desta vez ganha ou ajuda a afundar ainda mais a carreira do Luxemburgo que, depois dos problemas com a mídia serrista/tucana de SP nunca mais teve paz para trabalhar? O grande erro de Luxemburgo é não querer mais ser só treinador – no que ele é um dos melhores do mundo, mas misturar o papel de empresário também.

Cruzeiro – entra como favorito na Libertadores. Mas será que não vai tremer de novo na final?

Sport, Náutico e Santa Cruz – alguém acende a luz para o torcedor pernambucano? Não há futebol brasileiro de verdade sem um time da terra do Allan Sales e da Banda Maria Fulô na 1ª divisão…

Ceará – de volta para a elite, mas quem aposta que não é candidato a rebaixamento de novo? Tomara que eu queime a língua.

Vitória e Bahia – será um sonho ver os dois de novo na 1ª divisão do futebol brasileiro?

Vasco, Flamengo, Botafogo e Fluminense – é preciso ver até quando o Pet vai conseguir jogar, porque sem ele, o Flamengo não existe. Qual o Fluminense que teremos em 2010: o da reta final ou aquele se arrastando em campo? O Botafogo… será que consegue escapar de novo de ser rebaixado… mesmo sem Jobson? O Vasco… o time é limitado para a 1ª Divisão, mas será fundamental que ele se mantenha na elite para enterrar de vez o fantasma de Eurico Miranda.

São Paulo, Corinthians, Santos e Palmeiras – torci muito pela volta da Portuguesa para a 1ª divisão… mas, tomara que este ano aconteça… Por falar nisso: qual é mesmo o time do Boris Casoy? São Paulo vai mudar a fotografia do seu time, mas ficará ainda preso mais a memória do que ao futuro. Corinthians é o time do ‘gerovital’, contratando um leque de vovôs: Roberto Carlos, Tcheco, Ronaldão – mas é o principal favorito entre os representantes brasileiros para a Libertadores. Santos… ah, os santos, para quem acredita neles e lhes deve devoção, terão muito trabalho para fazer o ‘Peixe’ voltar a ser grande. Por fim, o Palmeiras… treinado pelo Muricy e tendo Serra como torcedor, tem tudo para continuar afundando.

Coritiba, Atlético e Paraná – alguém entende como clubes estruturados vivem o dilema dos times da terra do Requião?

Avaí e Figueirense – o time do Avaí foi todo desmanchado, rompendo-se a estrutura de um grupo que vinha junto há dois anos.O Figueirense teve problemas com a empresa de investimento que lhe dava sustentação. Será muito pouco provável que o ‘leão da ilha’ repita o desempenho do ano anterior. Tudo indica que em 2011 os dois estarão juntos na B.

Grêmio e Inter – o Grêmio vai lutar para não ser rebaixado, o que já será motivo de muita alegria para a maior torcida do RS. Pode ganhar o Gauchão e entra como favorito na Copa do Brasil, onde a priori terá como maiores adversários o Vasco, o Atlético de Minas e o Palmeiras. Engraçado mesmo é o Inter: os principais jogadores querem sair. Depois do episódio Guiñazu, que pediu para seu empresário encontrar um time decente onde pudesse jogar, agora foi a vez do Dalessandro confessar a rádios de Buenos Aires que quer voltar ao River, para voltar a  ser feliz. Ou seja, os dois principais jogadores querem cascar fora o mais rápido possível. Por falar nisso, um aviso: gesta-se no RS um dirigente esportivo com o mesmo perfil do Eurico Miranda, trata-se de Fernando Carvalho…

Futebol de Brasília – no ano em que a cidade-estado completa 50 anos, o futebol entre nós continua sendo apenas e tão somente uma eficiente lavanderia.