José Serra ajoelha e se entrega…

30 06 2010

Está quentinho agora nos portais da internet: o Demo impôs o nome do deputado federal Índio da Costa, do Rio de Janeiro, como o vice de Serra. Na verdade, o estrago já foi feito. E que ninguém se surpreenda se Álvaro Dias, humilhado e ridicularizado, por mágoa e vingança acabar fazendo campanha para Dilma Rousseff.
A notícia da Folha Online mostra que foi uma vitória de César Maia:

DEM emplaca deputado Índio da Costa na vice de Serra

CÁTIA SEABRA
BRENO COSTA
DE SÃO PAULO

O DEM e PSDB acabam de decidir o nome do deputado Índio da Costa (DEM-RJ) como vice do tucano José Serra na disputa presidencial.

Entre os pontos que levaram a escolha do deputado está o fato de ele ter sido o relator do projeto do Ficha Limpa. Também foi levado em conta o fato de ser do Rio de Janeiro, terceiro maior colégio eleitoral do país, e ser jovem.

A escolha é uma vitória pessoal do ex-prefeito do Rio, Cesar Maia, e do presidente do DEM, deputado Rodrigo Maia (RJ). Costa já foi secretário de administração do Rio no governo Cesar Maia.

O martelo foi batido na casa de Serra, onde estão reunidos o tucano, o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, e Rodrigo Maia.

Serra está viajando para Brasília onde ele participará da convenção do DEM. Uma sala foi montado no Hotel Grand Bittar, em Brasília, onde o partido faz a convenção. O vice será anunciado em uma entrevista coletiva marcada para começar às 17h.

Índio da Costa foi escolhido depois da reação do DEM com a indicação do senador Alvaro Dias (PSDB-PR) para o posto.





O Demo perdendo as estribeiras

29 06 2010

Eu me envergonho da imensa maioria dos colegas jornalistas que hoje atuam na imprensa brasileira. Quando alguém do PT comete qualquer deslize, logo surgem reportagens, logo surgem denúncias de que ‘os petistas’ são isso e aquilo. Quando acontece com algum disgramado Tucano – como as agressões do Serra aos jornalistas, sua reconhecida incapacidade de conviver com a crítica, a sua doentia necessidade de ser elogiado e bajulado (tanto assim que tem grupos de comunicação que faturam milhões em verbas publicitárias apenas para bajulá-lo) – agora é a vez de um representante do Demo agredir com um tapa uma jornalista.
Onde está a Fenaj, que não se posiciona?
Precisamos sim de um Conselho Nacional de Jornalistas para nos proteger (e proteger a sociedade brasileira) dos péssimos profissionais, mas precisamos também de um Conselho para nos proteger das ameaças e das agressões do povo tucano, do Demo, da turma esquisofrênica do PPS e da turma do esbulho do PTB.
Vejam abaixo o momento no qual a repórter (não sei se é jornalista)Márcia Pache, da TV Centro-Oeste – filiada do SBT na cidade de Pontes e Lacerda, Mato Grosso – foi agredida pelo vereador Lorivaldo Rodrigues de Moraes (Demo-MT), conhecido como Kirrarinha, quando tentava entrevistar o parlamentar ontem, segunda-feira (dia 28). Márcia levou um tapa no rosto, registrado pelas câmeras da equipe que a acompanhava.





Demo: a cachorrada não morde

29 06 2010

Todos acompanharam as manifestações de empáfia e basófia da turma do demo. Gritaram. Bateram na mesa. Ameaçar revelar-se. Tiveram a coragem verborrágica de colocar Serra e Dias em seus devidos lugares. Arvoraram-se de uma dignidade que a história do partido e a biografia de cada um dos emissores das bizarrices não registra. Parvos, tentaram levantar a voz – como se a turma do Demo não fosse tal qual os ratos e as baratas: se alimentando de restos.
Hoje, bem mais dóceis, voltaram ao seu natural de andar curvados. Quem não aprendeu a a andar ereto, vive de beijar e bajular. Passa a vida agradecendo migalhas. Passa a vida sem um pingo de difgnidade. A turma do Demo – junto com o PPS e o PTB – é hoje a banda mais enojante na política nacional. A caminho da extinção, os três representam aquilo que nós, enquanto sociedade, precisamos extirpar da vida política nacional.
Cabe semrpe lembrar que este Demo é da mesma turma que lambia as botas de generalecos. Eles trazem no seu ‘dna’ a condição de subalternos, de serviçais, de puxa-sacos aos quais cabe carregar as bandeiras e aplaudir. Cabe o papel de mula – e ainda querem ser tratados como se tivessem algum valor.
Foram muitas as risadas lendo as bravatas de imbecis como Caiado, Demóstenes, Rodrigo Maia, ACMNeto, o parlapatão Bornhausen e uma pirralhada que se esmera na arte de se superar na capacidade do ridículo.
Vão ficar quietinhos. Vão usar a coleira que lhes é devida. Vão ficar caladinhos, como sempre ficaram. Irão se contentar com um papel subalterno – antes de sumirem do mapa. A derrota do Serra será fundamental para que eles se dêem conta de quem o tempo das ratazanas já se foi.
Como espero a convenção do Demo na quarta para ver eles, ajoelhados, pedindo para apanhar na cara sem-vergonha, sendo obrigados a engolir a empáfia. Se desculpando por existirem… ou melhor: por pensar que ainda existem.





Aflições tucanas

28 06 2010

Duas manchetes muito representativas, véspera de Brasil e Chile.
Quem já se separou ou terminou uma relação afetiva ou de interesses, sabe bem que os conjuges ou sócios (quando não cúmplices, que é o caso aqui no caso), naquele período que antecede o inevitável rompimento e o naufrágio da relação, costumam imputar ao outro as razões do fim.
É o que se pode entender da entrevista do presidente do PSDB, Sérgio Guerra, dizendo que a reação do Demo à sugestão do nome de Álvaro Dias pode comprometer a viabilidade eleitoral do Serra.
Uma verdadeira pérola…
Mais tormentos
Mas, a tucanaiada que já deve andar desesperada, agora por certo partirá para o chamado ‘cariri baiano’, um método de suicídio muito praticado pela turma que junta num barco só os ícones da ética nacional: Quércia, Maluf, Serra, Maia, Banestadohausen, Dias, Yeda, Roriz, Jefferson, Jarbas, Agripino, Mão Santa, o senador dos fantasmas e outros.
Vejamos esta matéria veiculada pela Folha Online:

Fitch antecipa que pode melhorar “nota” de risco do Brasil
DE SÃO PAULO

A agência de classificação de risco Fitch advertiu nesta segunda-feira que mudou a perspectiva de revisão do “rating” (nota de risco de crédito) soberano do Brasil, de “estável” para “positivo”.

Essa mudança significa que, em sua próxima revisão da “nota” brasileira, há maiores chances de que esse valor seja elevado (“upgrade”) contra as probabilidades de um rebaixamento (“downgrade”). O “rating” atual do Brasil é “BBB-“, já dentro da classificação “grau de investimento”, reservada para países ou empresas com menor risco de calote ou de suspensão dos pagamentos.

Na escala de “ratings” da Fitch, a próxima nota acima de “BBB-” é “BBB” e posteriormente, “BBB+”. O Brasil foi “promovido” de “grau especulativo” para “grau de investimento” em 29 de maio de 2008. Em geral, dois anos é o período em que as agências de “rating” fazem ajustes em suas classificação.

Hoje, o país está no mesmo grupo de países como a Bulgária, a Croácia ou a Índia, na escala de “ratings” da Fitch. Indo para “BBB”, o Brasil ganha a companhia de Lituânia, México e Rússia.

No comunicado publicado hoje, a agência afirma que essa revisão de perspectiva reflete a “resiliência” (resistência) melhor do que o previsto e o desempenho econômico do país frente à recessão global. A agência também elogia as políticas econômicas “relativamente prudentes”, com efeitos positivos sobre o nível de renda e de solvência das contas públicas.

E a proximidade do calendário eleitoral no Brasil não é considerado como um fator de risco para a agência. “A Fitch não espera uma mudança significativa na direção principal das políticas [econômicas] após as eleições presidenciais de outubro”, afirma a equipe de analistas.

Ou seja:
Vai ser um suicídio coletivo, tendo como técnica o chamado ‘cariri baiano’…





Quem será o vice do Serra?

9 06 2010

Para um candidato moribundo, que se arrasta nas pesquisas, empacado no patamar de 36% das intenções de voto, a situação começa a ficar patética. Os nomes sondados para vice, logo tratamd e sair de fininho, alegando outros compromissos, aniversário dos filhos e uma cólica. Na verdade, até mesmo aos aliados, Serra e seu jeito de permanente azedume, trata-se de alguém indigesto.

Percebe-se, a cada dia mais, que o vice dela será por exclusão – tipo: ficou alguém na sala, este será.

A bola da vez está apontando para dois nomes que, destituídos de representatividade política, poderiam aceitar o fardo. Especulam-se os nomes de Álvaro Dias, senador tucano pelo Paraná, que ficou famoso por ter feito um dossiê contra FHC com ajuda de um funcionário seu e depois ter tentado imputar a responsabilidade ao governo, e o de Patrícia Amorim – a tucana que preside o Flamengo do Rio, time que mais deve no futebol mundial, algo acima dos R$ 350 milhões.

São dois nomes sob medida para Serra. Será a típica soma do nada com coisa alguma.

O difícil será convencer a turma do Demo que já avisou que quer o posto de vice e só abriria mão em favor de Aécio que, pelo visto, está cada vez mais fechado com Dilma…





A sinuca do PPS-DF

27 05 2010

Realmente delicada a situação do PPS na Capital da República – dentro de um quadro de contradições que não é de hoje.

Desde o começo, o PPS sempre serviu basicamente para garantir um mandato de federal a Augusto Carvalho. Depois, descobriu que valia e muito a pena ter um distrital, desde que este fosse assumidamente pró-GDF – sem importar de qual viés político ou adpeto de quais práticas. O importante era estar próximo ao GDF e asism poder usufruiur as benesses dos cargos e das vantagens decorrentes de um modod e fazer política que se baseia no princípio da fisiologia e da corrupção.

Veio a debacle de Arruda e com ela o naufrágio do ícone que o partido tinha, ficando refém de políticos sem expressão e que não possuem compromissos com o Partido. Usam a sigla para se eleger e depois viram as costas para a estrutura partidária e para os ‘companheiros’.

Na verdade, o PPS-DF queria estar com Agnelo – mas a nacional não permitiu. O PPS-DF não quer Roriz de jeito nenhum, mas se não vingar uma ‘terceira’ via (Demo – Pps e outros), terá apenas duas opções: ou contraria a Nacional e se junta ao PT e tenta assim garantir uma sobrevida a Augusto ou se alia a Roriz – queé a opção preferida por um segmento sem vinculação orgânica com o PPS e que ‘está’ no Partido pela necessidade de uma sigla.





Passe Livre 430 – Em defesa da intervenção

4 05 2010

A cada novo dia, mais robustas são as razões e justificativas de quem defende a intervenção federal no DF. Além da podridão que solapa as estruturas da Câmara Legislativa, de boa parte do TC-DF e de parcelas significativas do Judiciário local, os moradores são obrigados a conviver com um governador incompetente, incapaz e que não passa de marionete a serviço da mesma estrutura de poder que tomou de assalto o GDF em janeiro de 1999. É um festival de atos que demonstram que ‘ele’ é apenas um fantoche a ser manipulado por empresas e estruturas viciadas. Trata-se de algo patético. São grupos que perderam até o pudor e no afã de se locupletarem, desprezam qualquer preocupação ou compromisso ético. Isto tudo passa pela forma vergonhosa como se deu a eleição do ‘governador’, com votos de distritais enlameados na sujeira da corrupção que estourou em Arruda, mas começou em Roriz e cujos personagens continuam no mando e comando do GDF.