Jornal Passe Livre – 80 mil exemplares semanais

10 06 2010

A partir da próxima semana, o Jornal Passe Livre – lançado em fevereiro de 1998 e distribuído semanalmente na rodoviária urbana de Brasília (sempre às terças-feiras) – terá um acréscimo de 20 mil exemplares na sua tiragem, passando a 80 mil/semana.

Trata-se de conquista importante, porque – mesmo sem NENHUM apoio do Governo Federal (afinal de contas o Governo Lula precisa injetar muitos milhões de reais na Abril, na Globo, na RBS, no Estadão e outros veículos da ‘grande mídia’ para que ela tenha condições de atacar o Lula, o PT, outros partidos do campo popular e democrático, demonizar e criminalizar os movimentos sociais) – estamos conseguindo manter e ampliar um instrumento em defesa das propostas do Governo, ressaltando a importância de mudar a condução política no DF e assumidamente defender as candidaturas de Dilma Roussef e Agnelo Queiroz.

Chegamos a 80 mil/semana e vamos chegar a 100 mil/semana. Para desespero do pessoal da Secom do Governo Federal…





Prefeitos do Psdb, Demo e Pps apoiam continuidade do Governo Lula

20 05 2010

Esta notícia é muito reveladora do processo de fritura da candidatura do Serra – e deve ser por isso que FHC ainda acalenta o sonho de ter Aécio como vice. Mas não se admire se o candidato a presidente for mesmo Aécio e o Serra for jogado fora, descartado.

Prefeitos do PSDB, do DEM e do PPS apoiam continuidade do Governo Lula

19/05/2010

Fonte : Brasília Confidencial

Prefeitos filiados ao PSDB, ao DEM e ao PPS, que formam a facção aliada em torno da candidatura presidencial de José Serra, compareceram ontem a um ato multipartidário com a presença da pré-candidata petista, Dilma Rousseff, para afirmar que desejam a continuidade do Governo Lula e que trabalharão por isso.

“Eu quero falar em nome dos prefeitos de cidades pequenas que, pela primeira vez, foram respeitadas, não como pontinho no mapa, mas como entes federativos – e respeitadas pelo Governo Lula”, discursou Marcos Carvalho, do PSDB, prefeito do município mineiro de Itamonte”. E continuou com uma conclamação::

“Não podemos voltar atrás! Infelizmente, não falo pelo meu partido, mas como cidadão. Quando cheguei a Brasília nunca me perguntaram qual era meu partido. Sempre trouxe meus projetos e, desde que estivessem corretos, levávamos os recursos”.

Gustavo Lopes, do PPS, prefeito de Jaguariúna, em São Paulo, anunciou que seguirá com Dilma.

“Eu não sei qual vai ser o meu futuro partidário, mas o meu compromisso é com o futuro do povo brasileiro. Eu seguirei aquela que foi indicada pelo presidente Lula para dar continuidade a esse trabalho que melhorou a vida de milhões de brasileiros”.

A continuidade do Governo Lula foi defendida também pelo prefeito de Sopé, na Paraíba, filiado ao DEM, durante o evento de que participaram aproximadamente 1.100 governantes municipais.

Dilma, em pronunciamento, enalteceu a coragem dos prefeitos filiados aos partidos de oposição em contrariarem suas agremiações. E voltou a exaltar a importância de parcerias entre o governo federal e as prefeituras.

A pré-candidata do PT, Dilma Rousseff, ressaltou hoje que o governo federal precisa sempre fazer uma gestão com foco municipalista e construir parcerias produtivas e criativas com os prefeitos.

“Melhorar cada vez mais a gestão de vocês e ajudar vocês está expresso no PAC 2. Temos que ajudar os prefeitos e prefeitas a desenvolver projetos. Vamos ter que estabelecer um diálogo produtivo e criativo para criar condições para que não se retroceda”. E prosseguiu:

“Temos clareza do quanto mudou e melhorou, mas não conseguimos melhorar tudo, até porque é uma trajetória de situações muito difíceis para os municípios. Avançamos muito, até porque recebemos os prefeitos para um diálogo positivo. Não colocamos cães e polícia em cima dos prefeitos”.

REDUZIR IMPOSTOS

Em entrevista coletiva, Dilma defendeu um regime tributário específico para alimentos, medicamentos, energia e telefonia.

“Em questões básicas como energia, telefonia, remédios e alimentação, temos que ter política clara de desoneração, porque isso melhora substancialmente o ambiente econômico e a vida das pessoas”.

Para a pré-candidata petista, uma reforma no sistema tributário produzirá avanços importantes para a economia.

“Acho que no Brasil tem que reduzir tributo e não aumentar. Sempre tenho dito que sou a favor da Reforma Tributária, porque a questão do tributo no Brasil já beirou o limite. Isso vai significar desoneração da folha de salários, desoneração dos investimentos e melhorar uma coisa que é crucial, que é a dificuldade imensa de devolução dos créditos fiscais das empresas, que elas não têm como recuperar e utilizar. Acho que devolução tem que ser automática.”





Bóris e o preconceito das elites

2 01 2010

Para quem se assustou, ficou horrorizado ou decepcionado com a manifestação de desprezo do Bóris Casoy ao vivo no Jornal da Band, um alerta: este é o pensamento permanente das elites. Além disso: o que esperar de uma rede (Band) cuja filha do dono apresenta um telejornal e trabalha na Secretaria de Comunicação do governador Serra? A Band é uma demonstração cabal também da fraqueza do Governo Lula em redimensionar a destinação das verbas publicitárias. Não tem cabimento que a Secom continue a inundar as contas de revistas como Veja, Época e Isto É com dinheiro público se elas estão a serviço apenas das elites. O que dizer das verbas na CBN, na Band, na Globo e em outras concessões públicas que não passam de cloacas a despejar diariamente, financiadas pelo dinheiro público, o preconceito de classe que usam para balizar todos os seus julgamentos?
Não sou a favor de ações tipo “tirar o Bóris do ar”. Basta que o Governo tenha coragem de tirar a publicidade da emissora e nós, enquanto consumidores, deixarmos de comprar produtos de anunciantes que veiculam publicidade por lá -s eguindo o ensinamento de Martin Luther King. A única censura que eles sentem, é a do dinheiro. Enquanto o Governo Federal e mesmo governos do campo democrático continuarem inundando de verbas nos veículos, eles continuarão a agir de modo impune.
Reitero e insisto: a Secom do Governo Federal comete um equívoco ao injetar recursos numa rede que tem vinculações pessoais e políticas com a mentira, com a desinformação e com manipulação. Bóris Casoy é igual ao biltre do Fernando Mitre, do William Bonner e de qualquer outro ‘porta-voz’ das elites. O azar dele foi ter sido flagrado, mas não pense que os outros pensam diferente.
Portanto, sejamos francos: o responsável por manifestações como esta do Bóris – que tem um histórico de serviços nefastos prestados ao País, inclusive cedendo veículos da Folha de São Paulo (onde trabalhava) para que o Dops-SP fizesse perseguições ao que eram contra a ditadura militar no Brasil – é o preconceito que as elites tem arraigado em seu comportamento. Para a elite, o povo é aquilo que o Bóris falou: uma merda. E ao ridicularizar os votos de feliz ano novo, ele apenas externou a convicção de que será este povo simples que fará de Dilma Roussef a presidente em 2010. Para desespero das elites, das quais os meios de comunicação, financiados pelo Governo Federal, são porta-vozes…

Em tempo: se você ainda não escutou as pérolas do Bóris, acesse http://www.youtube.com/watch?v=f_E4j7vi3js&feature=player_embedded