2º turno no DF e Presidência: resultados da pesquisa no sábado

7 10 2010

As equipes de pesquisa da Exata estão em campo coletando dados para a 1º pesquisa para o 2º turno – projeções, perspectivas e intenções de voto – para Governador e Presidente(a). A coleta está acontecendo no DF, Goiás e Mato Grosso e os dados deverão ser divulgados sábado pela manhã.
Segundo Marcus Caldas, diretor da Exata, a base da pesquisa será ampliada com vistas a dar uma visão mais clara e confiável acerca das intenções de voto. Cabe lembrar, também, que esta pesquisa não trará o impacto da retomada do horário eleitoral – exceção feita à veiculação do meio dia, levando-se em conta que haverá ainda coleta de dados na parte da tarde desta sexta-feira.
Depois de enfrentarem o calor e a seca nas pesquisas realizadas para o 1º turno, agora os pesquisadores sofrem com as chuvas.





Lula, Dilma e Agnelo no Valparaíso

7 09 2010

Filipeli, Iris, Dilma, Agnelo, Lula e Rollemberg no comício no Val

Foi uma festa da democracia. E uma demonstração de que aqui no DF, o medo, o atraso e o obscurantismo serão derrotados em 3 de outubro. Mais de 10 mil pessoas estiveram no Céu Azul, bairro de Valparaíso de Goiás, para participar de um ato que confirmou a profunda identidade do Governo Lula, do PT, de Dilma Rousseff, de Agnelo Queiroz e seus aliados com os anseios do povo brasileiro. Como disse com muita propriedade, enquanto o adversário consegue apenas fazer passeatas com meia dúzia de gatos pingados, a coligação que representa  um Brasil e os brasileiros que querem continuar melhorando tem rteunido multidões pelo País afora.

Apenas para exemplificar a diferença. Na última sexta-feira, dia 3, Serra esteve em Joinville – a maior cidade de Santa Catarina. Não conseguiu encher o salão de um clube local, sendo que menos de 300 cabos eleitorais se fizeram presentes. Por não contar com o respaldo do povo é que Serra tem apelado para a baixaria, para uma campanha amplamente apoiada pela mídia.

O comício serviu também para tonificar a campanha de Iris Rezende ao Governo de Goiás – tendo em vista que o chamado Entorno de Brasília é o segundo colégio eleitoral do Estado. E faz oito anos que esta região foi abandonada pelos Governos de Perilo e Cidinho. Faz oito anos que o Governo de Goiás trata o Entorno com desprezo – dando-se ao luxo de manter um hospital quase pronto fechado apenas porque foi obra realizada no governo de Maguito Vilela.

No comício, Iris reiterou seu compromisso de resgatar o estado de Goiás, que hoje é administrado com miopia e sem compromisso com os segmentos mais humildes da população. Ele lembrou que os últimos govcernos estaduais apenas administraram  o Estado para fortalecimento dos mais abastados.

Agnelo, por sua vez, reiterou a importância de fazer um governo sério e ético e que ataque de frente os estragos causados por 12 anos de desgoverno. Neste período, houve o sucateamento dos serviços públicos, o inchaço populacional e a perda brutal da qualidade de vida dos brasilienses.

Dilma, por sua vez, reiterou que a oposição sempre apostou no fracasso do governo, dizendo que o Brasil mergulharia no caos com um presidente metalúrgico. Como quebraram a cara, passaram a apostar no preconceito contra as mulheres.  Como isso também não deu certo, trataram de ir para a baixaria, para as mentiras e apelam para os chamdos factóides – que é um nome um pouco mais chique para a velha e surrada fofoca. A oposição hoje, digo eu, vive de fofocas e futricos. Cada vez mais longe do povo.

Quanto ao discurso de Lula… bem, Lula é Lula – ou alguém precisa falar mais alguma coisa?

Em tempo: quando sera o comício de Serra com Roriz aqui no DF ou no Entorno?





Trabalho escravo em Goiás

5 06 2010

Recebo do sempre diligente e competente Luis Henrique Parahyba a informação que interessa a todos os brasileiros de bem: no governo Lula, a turma que gosta de trabalho escravo não tem descanso – para azar do Demóstenes Torres, da Kátia Abreu e outros…

TRABALHADORES ESCRAVOS SÃO RESGATADOS PELO MINISTÉRIO DO TRABALHO, MPT e POLÍCIA FEDERAL, APÓS DENÚNCIA DA FETAEG

Ao todo, 99 trabalhadores rurais que atuavam no despendoamento de milho, no município de Joviânia-GO, foram resgatados, após a constatação que estavam em situação análoga a escravidão. Os trabalhadores estavam em situação precária no alojamento e sem alimentação, segundo constatou os Auditores Fiscais do Trabalho, numa ação com a Polícia Federal e o Ministério Público do Trabalho (MPT). A denúncia da situação de escravidão dos trabalhadores, chegou até a FETAEG, através de uma denúncia de um trabalhador. Segundo José Maria de Lima, presidente em exercício da Federação, a denúncia foi encaminhada para o MPT, para que investigasse o caso, que ora foi confirmado.

Os trabalhadores rurais são migrantes do nordeste brasileiro, e estavam submetidos à situações degradante. Segundo o Dr. Roberto Mendes Auditor-Fiscal do Trabalho da SRTE-GO e Coord. de Fiscalização Rural da Sup. Reg. do Trabalho e Emprego em Goiás, que atuou no flagrante,os trabalhadores prestavam serviços de despendoamento de pendões de milho para a empresa DU PONT do Brasil do Grupo da Pionner (fabricação de sementes). Ainda segundo o Auditor do Trabalho, Depois de um acordo com a empresa, os 99 trabalhadores receberam um acerto de contas no valor de R$ 300 mil reais, e já se deslocaram para seus estados de origem.

Para José Maria de Lima, presidente em exercício da FETAEG, essa situação acontece devido a atuação do “gato” – intermediário de mão-de-obra – que engana os trabalhadores com salários acima da média e na verdade é um golpe da informalidade. “Lutamos para a formalidade do emprego no campo e fiscalizamos o cumprimento da legislação para garantir os direitos dos trabalhadores rurais”, declara José Maria.

MAIS INFORMAÇÕES SOBRE LISTA SUJA DO TRABALHO ESCRAVO

http://www.mte.gov.br ou http://www.reporterbrasil.com.br