O Serra não se emenda

2 06 2010

Com espaço para falar qualquer besteira na imprensa, o deplorável José Serra cada vez mais dá razãoa um aforisma que meu filho gosta muito de usar: muitas vezes, quando a pessoa abre a boca, ela confirma o idiota que o silêncio dela prenunciava. Isto serve como uma luva para o Serra.

Despencando nas pesquisas, rejeitado pelos brasileiros e em fase de acelerado desespero comportamental, Serra começa a se valer das baixarias para ocupar algum espaço. Ou o que epserar de alguém que tem como paladinos da moralidade e referências éticas figuras como Maluf, FHC, Quércia, Bornhausen, César Maia, Itamar ‘pinga’ Franco, Jarbas Vasconcelos, Efrahim ‘fantasma’ Moraes e outras do porte de Regina Duarte, Ana Maria Braga, Arnaldo Jabour… é uma companhia que não recomenda ninguém a coisa alguma…

Esta de se dizer pré-vítima de um dossiê é típica ação de desespero de quem sabe que a sua máscara caiu faz muito. Serra sempre manteve os mesmos métodos sujos, graças a sua influência num segmento inclusive da PF (fruto dos muitos anos de poder).

Se alguém tiver dúvida sobre os métodos de Sera, que pergunte para Roseana Sarney como foi armado o flagrante do dinheiro em seu comitê…

Em tempo: eis que subitamente o Ibope está só pesquisando preferências clubísticas…