Weslian confirma na Globo que votará em Agnelo!

29 10 2010

Ainda restam dois dias.
Como diz o povo… São mais duas edições do Jornal Nacional. O debate da Globo. A capa da Veja. E uma edição da Folha.
Há medo no ar.
Passei naquilo que seria o comitê do Serra aqui no DF. Desânimo.
Passei no comite de Weslian. As pessoas estão cabisbaixas. Havia cobranças. Dinheiro atrasado em fim de campanha é sempre um problema.
Fui na Feira do Paraguai, reduto do rorizismo e me deparei com a cena de ver mais adesivo de Agnelo do que Weslian.
Depois, uma passada pelo comitê de Dilma e Agnelo, que ficam próximos aqui em Brasília – por vezes fica a sensação de que faltou mais interação entre as duas coordenações.
Esta é a minha sexta campanha aqui no DF. Nunca vi o rorizismo tão fraco. Também pudera: o velho morubixaba foi matando todos os que, sendo aliados, poderiam colocar em risco o seu mandonismo.
Assim, defenestrou Valmir Campelo, Abadia (esta, de modo totalmente humilhante, depois de ser chamada de ‘vadia’ por Roriz, voltou a fazer parte de sua ‘base’), Paulo Octávio, Arruda (foi Roriz quem divulgou os vídeos como retaliação por conta do episódio do PMDB) e tantos outros. Restaram apenas que, por serem restos, ninguém mais queria.
Na disputa presidencial, uma constatação: os eleitores de Serra são mais enrustidos. Omitem suas preferências. Em verdade, quem vota nele, vota com vergonha. Vota muito mais por seus preconceitos contra o PT, contra Lula e contra Dilma do que propriamente por ver qualidades em Serra.
Faltam dois dias…
E terá o Serra condições de responder as tantas interrogações que continuam a lhe perseguir:
– Mônica Serra fez aborto. E, segundo o relato das alunas, com conhecimento dele. Serra é a favor do aborto?
– Onde está a Mônica Serra – que sumiu depois de ser desmascarada?
– Qual é a sua efetiva relação com Paulo Preto?
– Por que a Alstom é sinônimo de Psdb?
– Como a filha conseguiu comprar aquela mansão em SP?
– Tem falado com os Vedoin?
– Qual o conceito dele, Serra, acerca da liberdade de imprensa?
– Mandar demitir jornalistas é base do seu conceito sobre liberdade de imprensa?
– o Candidato Serra é a favor da prostituição?
– Qual a opinião do Serra sobre o papel das mulheres na sociedade?
– Qual o seu conceito de aparelhamento da máquina pública?
– Se ele, Serra, é contra acordos, por qual razão Soninha, Márcio Fortes, Roberto Freire e tantos outros políticos de siglas aliadas estão pendurados em empresas paulistas?
E tantas outras perguntas que a gente fica pensando…
Para a Dilma, eu faria algumas perguntas pontuais:
– A senhora e seu partido aprenderam como tratar a mídia?
– No seu mandato, a Secom vai continuar alimentando com dinheiro da sociedade veículos como Globo, Veja e Folha?
– Vai ser apresentada a Lei dos Meios de Comunicação?
– O seu governo vai apoiar de modo mais decisivo a II Confereência de Comunicação?
– O sistema Globo continuará sendo dono do do Ministério das Comunicações?
Sewxta-feira.
O Grêmio foi roubado pelo Herbert no jogo contra o Flu.
Sei, todo juiz erra. Mas juiz que entra de má-fé em campo é perverso.
Herbert é daqueles que odeiam o Grêmio. E sempre afana o time gaúcho. Foi assim no 1º turno nmo jogo do Grêmio x Vasco – outro penalti não marcado.
Pode ser cisma. Mas careca costuma ser problema. Ele é um exemplo. Serra é outro…
Sexta-feira…
Dois dias.
E continua o estranho cheiro de armação no ar.
Domingo, 8 e meia da noite.
Só então meu coração estará sossegado.
São três torcidas que se entrelaçam.
Dilma presidente, 13. Confirma.
Agnelo governador, 13. Confirma.
E para o povo aqui do Entorno é Iris governador, 15. Confirma.

Antes de encerrar, uma constatação depois do debate de ontem à noite: Weslian Roriz com certeza vota no Agnelo. Basta ver que ela o chamou de ‘nosso candidato’ e também de Governador. Foi muito bom escutar isto. Enfim, a ‘dona’ Weslian mesma sempre disse que falava com o coração. abriu o coração e confirmou: ela vota sim em Agnelo.
Assim, tenho pela primeira vez uma razão para cumprimentá-la pela sábia decisão anunciada solenemente ao vivo na TV Globo…
Dois dias…





A Globo e o aborto do Serra

17 10 2010

É no mínimo sui generis a situação vivida pela famiglia Marinho e os veículos de comunicação da Globo. Assumidamente defensores de Serra e que adoram veicular uma linha editorial que criminaliza os movimentos sociais, que ridiculariza aqueles que defendem um projeto nacional, adversários ferrenhos da política externa brasileira implementada a partir de janeiro de 2003.
Em verdade, há uma postura radical da famiglia Marinho em ser contra tudo aquilo que o Governo Lula/PT defende enquanto política de governo.
E aqui é preciso mais uma vez fazer três registros e um resgate:
1. a famiglia Marinho é contra o Governo, apesar de ter se fartado de ganhar dinheiro deste governo;
2. a famiglia Marinho teve inúmeros benefícios em linhas de financiamento (de igual modo que O Estadão);
3. o governo não teve nenhuma preocupação ou cuidado em fazer valer o seu poder na questão das concessões de rádios e TVs de grupos ligados a TV Globo;
4. o resgate necessário: os petistas babam de desejo, algo que seguramente uma terapia poderia ajudar a resolver, de aparecer na TV Globo. Diria até que têm sonhos eróticos sendo entrevistados pela ex-vênus platinada, hoje reles e sabuja enlameada. Mas é patético observar o desejo de ser entrevistado0 pela Globo. Ridículo seria mais correto dizer.
Diante de um quadro assim tão favorável, a Globo quer Serra por uma questão de afinidade ideológica. De apego ao neoliberalismo – quem sabe na esperança de ‘ganhar’ alguma empresa a ser privatizada.
Mas a Globo também é – ou ainda é – uma empresa jornalística.
E agora está diante de um dilema: como tratar a questão do aborto que, segundo duas testemunhas, teria sido confessado por Mônica Serra em aulas? Continuar omitindo o assunto, como tem feito até agora – ainda que no horário eleitoral gratuito o assunto já tenha sido veiculado? Fingir que nada existe, mesmo o assunto sendo veiculado em jornais, rádios e TVs ‘rivais’? Deixar a água passar por debaixo da ponte, olhando descuidadamente para o outro lado e assim nem reparar que até mesmo ‘seus’ blogueiros tratam do assunto?
O dilema (e/ou quem sabe medo) do jornalismo Global – que me parece ser administrado pelo departamento comercial da empresa – está numa sutileza: se ela der publicidade e veicular o desmentido do carcamano Serra e sua esposa acerca do aborto, estará levantando a bola para o principal assunto político deste 2º turno que para ela ainda não é jornalismo (similar ao imbróglio Paulo Preto, igualmente ignorado pela famiglia Marinho). Se não veicular, estará desrespeitando seu ‘público’, mas para a famiglia isso parece ser coisa de menos importância.
É por estas e outras que apenas alguns petistas ainda continuam tendo sonhos com a Globo, cada vez mais venal, cada vez mais enrascada nas suas próprias contradições.

Em tempo:

Que fique bem claro: não faço nenhum juízo de valor ou julgamento da opção que Serra e Mônica fizeram acerca do aborto. Alegar situação de ‘vulnerabilidade’ é tão óbvio que chega a ser risível: toda mulher e/ou casal é levado ao aborto por uma situação de vulnerabilidade. O que resta aguardar é se o Serra terá uma atitude de homem e vai ser solidário com a esposa Mônica ou vai deixar sobre os ombros dela a responsabilidade individual de uma prática que, no caso do casal, sempre é tomada pelos dois.





A insanidade da Folha

3 10 2010

Tenho para mim que as eleições deste ano entram para a história como o divisor de águas acerca do papel que os meios de comunicação assumem em toda e qualquer campanha. Não que em 2010 tenha sido diferente do que foi nos anteriores. A postura golpista dos meios de comunicação está presente desde antes do suicídio de Vargas.
A diferença é que este ano trouxe um novo protagonista para o ringue: uma blogosfera onde jornalistas mais bem preparados do que os que estavam escrevendo nos jornais fez, pela primeira vez, um contraponto à manipulação.
Não houve nenhuma mentira montada contra Dilma e veiculada pela mídia tradicional, por exemplo, que tenha resistido mais de seis horas de desconstrução pela blogosfera – sendo que a mídia tradicional, muitas vezes, demorou dias para assumir o erro (em alguns casos, a despeito de todas as provas e evidências, manteve-se apegada a sua versão e contribuindo, por teimosia, para o seu próprio descrédito).
O protagonismo propositivo da blogosfera estabeleceu o antes inexistente contraditório – algo assim primário, elementar, mas que pela primeira vez fez valer a diferença. E não se diga, como Serra e alguns sabujos, que o ‘nosso’ papel tenha sido o de fazer o jogo sujo. Pelo contrário: coube a este segmento fazer a limpeza da sujeira colocada na mídia e na rede.
Ao exteriotipar os adversários como ‘sujos’, Serra, a mídia e a elite por seus porta-vozes, acabou atraindo a atenção de muitos para as baixarias veiculadas contra Dilma, a montagem grotesca de fotos, as inverdades e as insanidades – que iam repercutindo em antas como Merval, Eliane, Reinaldo, Diogo. Na medida em que iam sendo desmascarados e condenados, eles próprios tornaram-se vítimas das próprias leviandades.
Assim, um fugiu e os outros foram ficando cada qual do seu verdadeiro tamanho intelectual, profissional e de subserviência profissional. Ou alguém ainda tem estômago para escutar Miriam Leitão? Ou alguém vai me dizer que não ficou arranhada a credibilidade do JN pela agressividade com que o Bonner, esta coisinha rica e fofa, atacou Dilma ao ser entrevistada? Ou não virou hit o pedido de desculpas ao ter que cortar Serra? Ou alguém haverá de esquecer que em face da repercussão negativa da entrevista até a Globo teve que soltar nota dizendo-se neutra?
Não faltam exemplos. Depois das eleições – mesmo que ocorra o improvável 2º turno – jornais como O Globo, Zero Hora (que é um verdadeiro câncer a corroer o RS e só quero ver se o Tarso Genro vai ter coragem de governar sem se ajoelhar para o povo da RBS), Folha de São Paulo e o Estadão terão de se reinventar ou serão cada vez mais jornais identificados apenas com um segmento derrotado da sociedade). O mesmo vale para revistas como a Veja – a despeito de algumas derrapadas, percebe-se que a famiglia Marinho parece que tirou as mãos do Kammel da linha editorial da Época. A TV terá de conviver cada vez mais com outra realidade: ela é a imagem da decadência.
Goste-se ou não de Edir Macedo enquanto empresário – permito-me como Luterano não questionar a suposta teologia da igreja por ele criada – mas a verdade é que ele partiu ativamente para o confronto. Não teve medo. Não aceitou a chantagem global. Correu o risco e está enfrentando a Globo e seus tentáculos com a mesma estratégia de sempre: sem recuar.
Mas… nada superou uma declaração de impotência que a Folha de São Paulo estampou na capa do portal Folha Online:

É o reconhecimento da impotência: Conheça os cargos em disputa; aprenda a votar branco ou nulo.





Ibope: Dilma tem 50%. Só o Datafolha salva o Serra

29 09 2010

Tirante o Datafolha, que se presta a servir de escada para a campanha de Serra, os demais institutos de pesquisa confirmam que Dilma Rousseff ganha a eleição no 1º turno. Depois do alento da pesquisa Datafolha trazendo números sob medida para reanimar a turma do Demo e os verdes, eis que voltamos à realidade: tanto para o Vox Populi, quanto para o Ibope, a fatura está liquidada.
Para desespero da mídia, a pesquisa do Ibope divulgada hoje é devastadora para os planos da imprensa e aponta que a fatura, salvo alguma hecatombe de última hora ou uma manipulação estrondosa do noticiário. Os dados coletados nos dias 26, 27 e 28 de setembro indicam que Dilma tem 50% das intenções de voto; Serra, sabe-se como, consegue ter 27% e a Marina ‘sem sentido’ consegue 13%. Os outros, entre os quais o Plínio, somam 1%.
Noves fora, tirante um percentual de brancos e nulos (4%) e de indecisos (4%), pode-se dizer que a fatura está liquidada e a vaca do Serra e sua trouppe foi para o brejo.
Vamos ver como a mídia vai manipular estes dados.





Serra, o inigualável

4 09 2010

É de impressionar a forma como Serra usa do cinismo e da cara de pau para contar as mais deslavadas mentiras, a antecipar as mais deslavadas armações que ele faz. Tenho para mim que o Serra não faz nada disso sozinho.

Duvido que uma pessoa só, sem apoio e assessoria, consiga ser tão idiota assim. Ninguém me convence que o Mainardi, que a turma da Globo, que os babacas da Folha e aquele guru indiano, além do Gilma Mendes e  Daniel Dantas não sejam os verdadeiros mentores do besteirol que o Serra vocifera.

Ele, que não é economista e nem engenheiro, agora passa a sedr também a negação do político que ele, em seus devaneios, um dia sonhou ser. Até onde ele conseguirá ir, embalado por uma mídia complacente e o acesso a certas instâncias de poder (como os seus inegáveis vínculos dentro da Receita e mesmo da PF – bases aparelhadas ao longo de muitos anos pelos tucanos e assemelhados).

Do que sobrevive a campanha do Serra? De factóides e debilóides, como esta verdadeira excrecência da vida pública que é o tal do Roberto Jeferson – este sim um desempregado e que desde que deixou de ser deputado sobrevive às expensas do partido (PTB). Ou será que já está em algum conselho de alguma empresa tucana, a exemplo do que ocorre com Roberto Freire?

Vamos ver até quando resiste esta afirmação de que o procurador da filha dele é do PT. Será que naquele assalto pra lá de suspeito a sede do PT em Mauá não andaram roubando algumas fichas? Em se tratando de Serra e do PSDB, que ninguém duvide de nada…





Oposição, mídia e judiciário preparam o golpe

2 09 2010

Assumindo a derrota nas urnas, logo eles que pensavam que seriam aclamados como os salvadores do caos, os tucanos armam o circo para preparar o terreno para um golpe ou apostar na ‘ingovernabilidade’ pelo verdadeiro inferno que pretendem criar caso Dilma Rousseff confirme nas urnas em 3 de outubro o que apontam as pesquisdas.

É importante dizer que o governo Lula em muito contribuiu para este estado de coisas em três instâncias.

Primeiro, ao manter na Secom um grupo com um modo de agir tucano – marcado pelo cinismo, pela hipocrisia e pelo reiterado culto aos padrões do mercado. Qual outra justificativa para o governo despejar generosos milhões de reais.

Em segundo ao render-se ao poder das bancas na indicação de ministros ao STF – sendo que estas sempre usaram Marcio Thomaz Bastos como mensageiro de seus intereses junto ao presidente. A manutenção de um Supremo com um viés reacionário não condiz com as indicações de um governo democrático e popular.

Em terceiro, ao não fortalecer os mecanismos alternativos e populares de comunicação. E neste ponto volta-se outra vez para o nefasto papel cumprido pela Secom. Dizer que houve a pulverização na liberação dos recursos é misturar alhos com bugalhos. Distribuíram recursos sim, mas para representantes da mesma velha e preconceituosa mídia, valendo-se dos mesmos mecanismos de protecionismo político. A ‘pulverização’ não contemplou com um montante específico – 40%, o que seria o mínimo – para rádios, jornais e tvs comunitárias.

A Secom com suas mentiras e sua manipulação afronta a inteligência de qualquer pessoa que consiga viver sem o cabresto da conveniência. E hoje o governo e a sociedade pagam o duro preço do padrão tucano de legalismo e de hipocrisia.

A bem da verdade, a única rede de sustentação que o governo ainda mantém é pela internet, onde o trabalho militante acontece. Enquanto o governo despeja milhões na Veja, os blogueiros que fazem a resistência penam para defender o emprego do pessoal da Secom. Estranha e absurda ironia.

É dentro deste quadro que a oposição arma, de modo descarado na repetição da aliança entre a mídia e o Judiciário, o cenário para um golpe e, este não podendo acontecer, para a infernalização do mandato de Dilma.

Volto a dizer: boa parte da culpa de trudo que acontece hoje foi pela prevalência do modo tucano de agir de muitos pseudo-petistas.





A estranha mania de bajular

12 08 2010

Observando o comportamento da mídia nacional – em suas manifestações de desenfreada parcialidade e partidarização, a despeito de uma cínica defesa da imparcialidade, neutralidade e democracia/liberdade – não tem como não culpar o Governo Lula e o PT pela manutenção de uma mesmice no que diz respeito aos meios de comunicação. Depois reclamam do tratamento que o Jornal Nacional, que a Veja, que a Globo e que o escambau destina ao veicular informações, ao manipular notícias e dados, ao entrevistar quem tenha qualquer vínculo ou relação com o Governo Federal.
Todos nós desejávamos que os deuses petistas tivessem aprendido que não adianta bajular, puxar o saco e babar os ovos dos donos da verdade. Mesmo tendo assumido, governado e reinado em municípios, estados e mesmo em nível federal, a verdade é que os petistas são sábios demais para aprender com os próprios erros e ególatras demais para ver os erros alheios e deles tirar lições.
Trata-se de algo doentio em termos de PT – e num certo sentido, algo que se repete em termos de PSB, PDT e outras siglas do consórcio amplo do chamado campo popular e democrático. A verdade é que os salamaleques dos poderosos, suas roupas bem cortadas, suas secretárias sempre obsequiosas, os presentes e cortesias acabam servindo para embotar a realidade e quando chegam ao poder – qualquer nível de poder e isso se dá também em boa parte dos sindicatos e mesmo na CUT se observa a obtuosidade com que a comunicação é tratada – deixam do lado de fora, de preferência na lata de lixo mais próxima, qualquer esboço ou idéia de fortalecer os meios e mecanismos alternativos de comunicação. Parece que existe o medo de ver algo surgir sem que possam manipular, usar ou assumir a ‘paternidade’.
Em lugar de ter uma política de fortalecimento de meios de comunicação alternativos, fomentar a criação de novas redes e assim quebrar a hegemonia da informação que é usada para a desinformação sistemática, percebe-se que os partidos ‘das esquerdas’ optam por se iludir, pensando que os empresários trocarão de lado pelo dinheiro. Ou abandonarão suas arcaicas e carcomidas ideologias em troca de uma visão de mundo coletiva.
Assim foi em São Paulo (prefeitura), Porto Alegre (prefeitura), Rio Grande do Sul (estado), DF e todos os demais níveis de poder – vergonhosamente também em nível federal. Em lugar de romper com a velha mídia, o pessoal prefere fazer conchavos e assim acaba fortalecendo-a. Em lugar de despejar milhões em veículos de linha editorial comprometida com o atraso, os chamados governos dos campos popular e democrático deveriam se preocupar em criar uma nova alternativa de comunicação, apoiando o surgimento de novos jornais, de novas redes de rádio e de TV.
Estamos prestar a acompanhar o início de um novo governo, tanto em nível federal quanto aqui no DF – onde se espera que Agnelo consiga vencer as eleições ainda não se sabe contra quem. É pouco provável que Roriz sobreviva, mas de qualquer modo ele usa a estratégia de manter-se na campanha, mesmo sabendo que será impedido pelo TSE, para difundir o papel de que está sendo vítima de uma armação – quando na realidade ele apenas um ficha suja a mais que tenta continuar usufruindo as benesses do poder. Reiterando: estamos prestes a começar ‘novos’ governos, mas não pensem que eu tenho qualquer otimismo quanto a uma mudança de postura, de comportamento ou mesmo de relacionamento dos ‘donos do poder’ com a mídia tradicional.
Não vejo em Dilma Rousseff, nem em Tarso Genro (RS), nem em Agnelo Queiroz (DF) e nem em qualquer outro dos candidatos do chamado campo popular e democrático qualquer lampejo de coragem e de compromisso em romper com este esquema.
É lamentável, mas continuaremos – nós, os produtores de mídias alternativas e por ironia do destino também o povo humilde – sendo solenemente ignorados por governantes que não têm a ousadia de um Roberto Requião (que mandou a Globo às favas, fortaleceu a TV e a Rádio públicas no Paraná, injetou recursos em mídias alternativas, etc).
Não falo do desconhecido. Basta ver como as assessorias de comunicação da Dilma e do próprio Agnelo se relacionam com a mídia alternativa. Se os produtores desta mídia não correm atrás, são ignorados. As equipes de comunicação são compostas por jornalistas contratados, por altos salários, de empresas tradicionais e portanto com os vícios de acharem que apenas os ‘grandes’ merecem tratamento em termos de agenda, de entrevistas.
Fico pensando: será que depois de tanto apanhar este povo ainda não teve capacidade de aprender?





Cegueira ou idiotia?

29 05 2010

Algumas questões pontuais da semana:
1 – Serra sofre de cegueira ou apenas está comprovando o seu elevado grau de idiotia?
Porque não tem cabimento e nem lógica os ataques que tem feito ao governo boliviano, até porque o Uribe, que é o queridinho dele, preside a Colômbia que é de onde vem a maior parte da cocaína consumida no Brasil.
2 – A indústria bélica americana manda na família Clinton que, pelo jeito, está mandando no Obama. Até parece a repetição da cena: os brancos sempre mandam mais.
Ou seja: a indústria bélica não pode aceitar a idéia de paz, por isso colocou o Irã no centro dos debates. O Paquistão tem bomba atômica e isso parece não preocupar os empresários da morte.
3 – A mídia já não consegue mais manipular tanto assim a informação.
Hoje existe toda uma reação contra a política de desinformação que os jornais e demais meios de comunicação – porta-vozes de uma elite atrasada e retrógrada – usam como prática cotidiana. Que o governo aprenda e no próximo mandato não libere mídia para estes veículos comprometidos em destruir o Brasil.
4 – E se a Dilma ganhar no 1º turno?
Será que Gilmar Mendes, o Collor primo do Mello e outras excelências de nenhum saber, aceitarão o resultado ou tentarão ganhar no tapetão?





Sobre o Brasileirão

8 05 2010

Ao mesmo tempo em que sou obrigado a conviver com a vergonhosa manipulação do noticiário, sobra ainda tempo para acompanhar os jogos do Brasileirão 2010. Mas, antes de tentar dar os pitacos sobre os jogos da rodada, algo que farei a cada semana, quero discorrer aqui um pouco sobre a verdadeira patrulha de boa parte da mídia ‘paulista/carioca’ contra o presidente do Corinthians e contra o Luxemburgo – e o que eu acredito que esteja por trás desta ‘patrulha’ da direita rancorosa que também está no jornalismo esportivo.

Tanto Andrés Sanchez, presidente do Corinthians, quanto o Luxemburgo cometem dois pecados mortais: são petistas, pró-Lula. Tanto assim que alguns cronistas e blogueiros de SP deixaram de lado, por um momento, a disputa entre os dois bairrismos e se uniram em ver na vitória do Fla, a vitória do Psdb ao qual a presidenta Patrícia Amorim é filiada.

Mas vamos pois aos palpites – só Série A

1ª rodada – jogos de sábado dia 08 de maio

Botafogo e Santos – vou de Botafogo, porque o Santos tá de olho na Copa do Brasil.

Palmeiras e Vitória – sou Vitória desde criancinha. Diria até que o Palmeiras, time do Serra, é candidato ao rebaixamento.

Atlético GO e Grêmio – mesmo com toda paixão pelo tricolor gaúcho, claro está que se trata de jogo para que o Atlético (estranhamente patrocinado por empresas envolvidas no Mensalão do Dem, aqui em Brasília) ganhe os 3 pontos e assim confirme a minha expectativa de que será o ‘time’ 10 primeiras rodadas (depois vai faltar elenco).

Domingo – dia 09 de maio

Flamengo x São Paulo – vou de São Paulo, com a estréia de Fernandão e o Fla nas nuvens depois de ter conquistado a admiração dos jornalistas esportivos de SP.

Atlético-MG x Vasco – claro que será Galo na cabeça, com direito a dois gols de Tardelli, o Diego que deveria estar na seleção, mas vãp levar o zé cachaça do Adriano em seu lugar…

Internacional x Cruzeiro – o colorado do atero de Porto Alegre vai com os reservas, que são melhores que os titulares. Mesmo assim vou de Cruzeiro, que será o campeão da Libertadores 2010.

Corinthians x Atlético-PR – Jogo que o ‘Curintia’ deve vencer, ainda que com o processo de desmobilização pela desclassificação na LIbertadores. Mas vai enfrentar o Atlético-PR, sério candidato ao rebaixamento.

Ceará x Fluminense – joguinho que vais er brabo de assistir. No Flu, o chorão do Murici vai ter oportunidade de mostrar que sabe treinar times com elencos limitados. Seus últimos trabalhos, foram uma vergonha para quem já tem tantas conquistas. Memso acreditando que o ceará voltará para a B em 2011, neste jogo creio que o ‘Vovô’ deve vencer…

Guarani x Goiás – Outro jogo brabo. Mas acho que dá Goiás. O Guarnai depois de ter subido para a Serie A do Brasileirão deste ano, só vem acumulando resultados e desempenhos pífios…

Avaí x Grêmio Prudente – Vou de Avaí, que desmancho o time, mas tinha bom elenco. Vai penar na continuidade da competição por conta de ter esfacelado seu plantel… mas por enquanto, vai afzer boa figura…





1º de Maio – Dia do Trabalhador

4 05 2010
É impressionante a manipulação que a mídia gosta de fazer da realidade. Não bastasse a necessidade cotidiana de desvirtuar notícias, boa parte da mídia brasileira tenta, de todas as formas e com a conivência de muitas pseudo-lideranças sindicais, despolitizar algumas datas – enquanto que ao mesmo tempo trata de DEMOnizar os movimentos sociais.
Foi assustador escutar durante todo o 1º de Maio os repórteres das principais emissoras de TV do Brasil – e até da TV Brasil, que na minha opinião hoje funciona como uma espécie de sub-TV a serviço da direita – insistindo na tese de que se tratava do ‘Dia do Trabalho’. É preciso resgatar a data como marco dos trabalhadores em sua luta contra o trabalho escravo, contra as condições de vida degradantes que ainda hoje são comuns.
Do ponto de vista histórico, a data nos leva ao distante 1º de Maio de 1886, quando em Chicago, então meca da industrialização, milhares de trabalhadores foram às ruas reivindicar melhores condições de trabalho, entre elas, a redução da jornada de trabalho de treze para oito horas diárias. Neste mesmo dia ocorreu nas terras do Tio Sam uma grande greve geral dos trabalhadores.

Dois dias após os acontecimentos, um conflito envolvendo policiais e trabalhadores provocou a morte de alguns manifestantes. Este fato gerou revolta nos trabalhadores, provocando outros enfrentamentos com policiais. No dia 4 de maio, num conflito de rua, manifestantes atiraram uma bomba nos policiais, provocando a morte de sete deles. Foi o estopim para que os policiais começassem a atirar no grupo de manifestantes. O resultado foi a morte de doze trabalhadores que faziam protestos e dezenas de pessoas feridas.

Foram dias marcantes na história da luta dos trabalhadores por melhores condições de trabalho. Para homenagear aqueles que morreram nos conflitos, a Segunda Internacional Socialista, ocorrida na capital francesa em 20 de junho de 1889, criou o Dia Mundial do Trabalhador, que seria comemorado em 1º de maio de cada ano.

Aqui no Brasil existem relatos de que a data é comemorada desde o ano de 1895. Porém, foi somente em setembro de 1925 que esta data tornou-se oficial, após a criação de um decreto do então presidente Artur Bernardes. (As pesquisas sobre a data foram feitas na Internet em vários sites e referências diversas).