Marina faz opção pela direita

17 10 2010

O pior na covardia e no oportunismo é quando as pessoas buscam revestir a sua falta de dignidade com argumentos onde procuram imputar aos outros sua própria falha. Tenho para mim que Marina poderia ter optado por Serra ou por Dilma. Teria este direito, afinal de contas ela se julga acima do bem e do mal. Ela se julga maior que o PT, que a fez senadora e que num ato de estranha generosidade não o requereu (lembremo-nos, o mandato é do partido, não do candidato)quando ela ‘saiu’ – tenho para mim que ainda haverá um dia no qual o PT haverá de se livrar desta visão de piedade e de oportunismo que marca a ação política dos Suplicis da vida.
Mas Marina preferiu a hipocrisia da neutralidade – mero aforismo para tentar ficar bem com a mídia e com a sociedade. Mas esta farsa tem um preço e ela sabe. Depois deste ato, só lhe restará a jornada rumo à direita. Logo-logo estará junto de Aécio Neves – que herdará o tucanato com a derrota de Serra. E Marina estará com Serra do mesmo modo que Heloísa Helena esteve com Luiz Estevão – as duas, por sinal, são muito amigas…
É preciso entender o ato de Marina como o medo de que a mídia passasse a atacar seu marido caso ela optasse por se aliar com Dilma. De outro lado, não pode confessar-se optante do Serra porque nem mesmo o seu oportunismo e cegueira política podem ser suficientes para encobrir a realidade do quão distante estão seus ideais dos professados por Serra e seus aliados.
Do PV, nada a comentar. Não se trata de um partido. Trata-se de uma confraria de negócios. Uma espécie de balcão ‘ecológico’ sempre ao dispor de quem está disposto a pagar por tê-los no seu governo – como quem tem um aborrígene guardado no quartinho dos fundos para ser mostrado às visitas ilustres.
Só para lembrar: o PV é Lula, é Serra, é Yeda, é Aécio. É de quem pagar, tal qual certa ‘moça’ tão bem retratada em sempre lembrada música de Chico Buarque.
Ao contrário de alguns, creio que fará bem para a campanha da Dilma não contar com este moralismo de fachada, de fancaria, que a Marina hoje revelou ter com a sua base espiritual. É destas que usam Deus e a religião não para assumir responsabilidades, mas para se omitir.
Resta observar a movimentação que Marina fará com vistas a 2012 – quem sabe um mandato de vereadora lá pelo Acre. Ou no Rio. Ou em São Paulo. Para ela e o PV (se é que ela vá ficar no PV, o que muito duvido), sempre é tempo de negócios…





Marina com os dias contados no PV

8 10 2010

Acostumada com a democracia interna do PT, a ainda senadora Marina Silva está com os dias contadois dentro do PV. Há uma ação nacional daqueles que mandam na sigla no sentido de desidratar o seu papel e o seu espaço. Ela já vem sendo publicamente desautorizada pelos donos do PV que alertam ser ela uma ‘cristã nova’ e portanto sujeita às ordens e determinações dos caciques e donos da sigla.
Os ataquies públicos que sofre da cúpula do partido estão levando Marina a uma relexão acerca do seu futuro político. Nos últimos dias, confidenciou a pessoas próximas que vai repensar o seu caminho – dando-se conta, afinal, que foi apenas usada por alguns fisiológicos que precisaram dos seus préstimos para se fortalecer na vergonhosa barganha por apoio e cargos.
Por conta dos ataques que sofre do próprio partido, Marina também avalia a possibilidade de não mais se manter neutra no 2º turno, vindo a apoiar Dilma Rousseff. Cabe lembrar, ainda, que Marina manteve uma relação muito próxima com os donos do PT no Acre e não deverá ser nenhuma surpresa se ela, no médio prazo, voltar a se filiar ao partido…





A hipocrisia do PV

8 10 2010

Em verdade, o PV é o desaguadouro natural de todo o lixo e a escória da política nacional. Uma espécie de depósito de frustrados, fisiológicos e gente que se pensa mais do que é. Há exceções, pessoas que realmente têm a exata compreensão do que a sigla significa. Mas estes estão fora dos postos de direção, de comando e de ingerência nos destinos da sigla. Os demais.. bom, os demais estão naquela postura de um Gabeira, de um Feldman – são verdes por terem vergonha de serem tucanos… ou serem do Demo…
Então veio Marina, que de verde tem muito pouco – porque na essência sempre foi e continua sendo petista. Tenho para mim, inclusive, que Marina logo-logo voltará ao PT. Se dará conta de que há uma distância ‘amazônica’ entre as suas concepções políticas, suas convicções pessoais e sua vivência ‘petista’, com a pilantragem que norteia a ação do PV.
O PV, cabe sempre lembrar, consegue se moldar e se adaptar às circuntâncias. Houvesse no Brasil um partido nazista e certamente o PV acetaria compor aliança com eles – bastaria que fosse oferecido algum cargo.
Basta olhar a história recente e veremos a verdadeira gelatina ideológica que sustenta o PV – que é Lula, que é Serra, que é Arruda e asism por diante. Neste sentido, foi muito importante o desabafo de Martina revelando que o PV Nacional em verdade quer usar ela e os votos dela – sim, porque as pessoas votaram na Marina, não no PV; como antes votaram em Heloísa Helena e não no PSol – para barganhar cargos no governo. Seja ele quem for.
Com o seu desabafo, Marina reconquista parte da admiração que havia perdido ao aceitar ser candidata por um partido como o PV…





Marina Silva, a Heloísa Helena de 2010

7 06 2010

Guindada a uma condição de ‘estrela’ – num cuidadoso movimento da direita representada pelo PV no snetido de que não houvesse apenas uma mulher na disputa presidencial de 2010 – a senadora Marina Silva se encaminha lentamente para cumprir o mesmo papel rumo ao ostracismo que no passado coube a Heloísa Helena, outra ex-petista cujas luzes, pelo suporto calor, criaram nela probelmas de compreensão da realidade e do papel que cabia a ela dentro deste contexto.

Neste sentido, vale a pena ler material veiculado no portal ‘Folha Online’ que mostra a perigosa confusão entre o interesse público de uma campanha e os já insidiosos tentáculos da natura, empresa do seu vice. Imagina se José de Alencar tivesse usado a sede de suas empresas em Minas para abrigar a equipe de Lula em 2002. Teria sido uma festival de asneiras e de suposições.

Esta é a matéria…

07/06/201008h37

Marina usa estrutura da Natura para a campanha

BERNARDO MELLO FRANCO
DE SÃO PAULO

O escritório dos sócios da Natura na rua Amauri, no Itaim Bibi, em São Paulo, tem sido usado como bunker informal da campanha da pré-candidata do PV à Presidência, Marina Silva.

A prática contraria o discurso do vice Guilherme Leal, que disse que se afastaria do comando da empresa e que não usaria sua estrutura para fins político-partidários.

Embora os verdes tenham montado o comitê oficial numa casa na Vila Madalena, o escritório do Itaim Bibi abriga as reuniões mais importantes, que não aparecem na agenda pública da senadora.

Além de Marina e Leal, só pisam lá alguns dirigentes da campanha e os assessores mais próximos da dupla. Jornalistas e profissionais contratados pelo PV não têm acesso aos encontros.

Na última sexta-feira, por exemplo, a pré-candidata passou a tarde a portas fechadas no escritório. Sua assessoria se limitou a informar que ela estava em São Paulo, sem compromissos públicos.

Os controladores da Natura ocupam dois andares do edifício da rua Amauri. O endereço aparece várias vezes em documentos da Natura. A sede da empresa fica em Itapecerica da Serra (SP).

A assessoria de Marina afirma que o escritório não está registrado em nome da Natura, e sim da Janos, empresa que administra o patrimônio dos controladores da fabricante de cosméticos.

Isso, segundo os verdes, descaracterizaria o uso da estrutura da fabricante de cosméticos na campanha.
De acordo com a assessoria, o endereço é usado para reuniões por oferecer estrutura melhor que o comitê e por ficar perto do hotel em que Marina costuma se hospedar em São Paulo.





PV tucanou ou como o dinheiro fala mais alto

13 01 2010

Recebo do sempre atento Emerson Menin esta veraddeira preciosidade, extraída de um dos endereços eletrônicos obrigatórios para quem não suporta a imbecilidade dos meios de comunicação e dos blogs compromentidos com a turma do Demo e o dinheiro dos tucanos. Alfredo Bessow

SOBRE A ÉTICA DO PV

PV de Marina Silva se alia a demos e tucanos no Rio para erguer palanque favorável a Serra; Gabeira topa ser o candidato de aluguel dos verdes na aliança; em troca, tem a promessa demotucana de uma embaixada em Paris, se Serra vencer as eleições
(Carta Maior e os rumos de quem saiu do PT pela coerência ética; 13-01)