Sobre mensalões e os venais da imprensa

3 04 2011

Por qual razão a mídia golpista está requentando o assunto mensalão?
Por uma razão simples: se o STF não for constrangido e achincalhado pela mídia e for julgar apenas pelos autos e as provas já colhidas, poucos serão os condenados. Esta é a opinião de advogados, de pessoas que, sem a paixão política que o caso gera, conhecem todo o emaranhado de documentos.
Basta observar que existe uma espécie de ‘escada’: um veículo requenta bombasticamente um tema já surrado e então entra blogueiros, comentaristas e outras doidivanas a tratar de manter em pauta algo que já está morto.
É ridículo ler, por exemplo, no blog do Josias Souza que ele se arvora no páladino da verdade, na quinta-essência da ala das baianas da Opus Dei. A verdade dele é ridícula e só serve para iludir beócios e imbecis de várias classificações.
Joaquim Barbosa, o ministro do STF sob a responsabilidade de quem está a peça acusatória, já se deu conta de que como está, nada se sustenta. Perguntou coisas, quer saber de novidades para a PF. A bem da verdade, há três novidades:
1 – Menção a um filho de Marco Maciel;
2 – O surgimento da filha de Roriz no imbróglio (e onde não há um Roriz envolvido em falcatrua?),
3 – E a extemporânea inclusão de Aécio – totalmente sem pé e nem cabeça.
Mas, em lugar de retratar estas novidades e, portanto, mostrar que nada há de novo no que diz respeito ao suposto mensalão, a revista Época e os cães que ladram e as viúvas que se lamentam da perda do País que era só deles, revista e jornalistas estão colocando, de forma irresponsável, como sendo ‘novidade’, algo que já foi divulgado anteriormente.
Lá estão as três bombas – que de tão ridículas, vão jogando cada vez mais no descrédito a imprensa oficial da oposição:
1 – O caso do segurança pessoal do ex-presidente Lula.
Este assunto foi largamente veiculado pela imprensa em 2006, mormente pelo jornal O Estado de São Paulo.
2 – O suposto envolvimento de assessores do Ministro Pimentel.
Quando o assunto veio a tona, o hoje ministro demitiu todos os assessores que então trabalhavam com ele.
3 – O custeio da posse de Lula.
Algo que já foi admitido e assumido por Delúbio Soares, ex-Tesoureiro do PT.

De envergonhar

Ou seja: nada há de novo e o que poderia ser novidade, foi ignorado.
Está em curso uma cruzada para chantagear ministros, para submetê-los ao ridículo – para que abandonem a condição e magistrados e passem a ser condicionados pela opinião pública.
Tenho dito e volto a repetir: ao se reduzir a serviçal da mídia, a oposição brasileira se destruiu, sem nenhuma capacidade de articulação e interlocução com a sociedade. A oposição política pensou que o Brasil ainda era dominado e condicionado pela mídia. É ruim, muito ruim, para o Brasil que ele não tenha uma oposição com capacidade de pensar, de entender o que se passa no Brasil. A oposição perdeu o discurso político ao assumir o discurso de rancor e ódio imposto pela mídia.
A mídia, cega em sua cruzada messiânica, não se deu conta ainda de sua dissociação com o Brasil real e com os brasileiros. Incrível como este segmento não percebe a queda na venda de exemplares, a redução da audiência…
Esta pressão, esta chantagem a mídia faz e obtém algum êxito porque ela sabe que hoje só quem a lê, escuta, acompanha e leva a sério é uma elite pestilenta e enojante. Esta minoria é onde os magistrados também se movimentam, razão pela qual, de uma hora para outra, a mídia voltou a requentar matérias – dando ares de bombástica a uma informação que já foi veiculada anteriormente.

O verdadeiro mensalão

Mas se a mídia e a elite estiverem realmente interessados em algo escabroso e que tem muitas provas, basta se debruçar sobre o Mensalão Tucano de Minas, de 1998; a Lista de Furnas de 2002; os escândalos do Governo Yeda no RS (inclusive com mortes nunca elucidadas) e o Mensalão do Dem no DF – que, conforme Arruda disse em entrevista para a Veja, encheu de dinheiro o bolso de demos, tucanos e assemelhados.





Obama e a sabujice da mídia

22 03 2011

O artigo abaixo está na edição 402 do Correio do Metrô.

Obama e a sabujice da mídia

Alfredo Bessow

A recente visita do Barack Obama e sua “entourage”, parafernália que foi da água de beber ao prosaico papel higiênico – em 10 aviões que trouxeram, entre outras coisas, armas, três limusines, helicópteros e toda sorte de parentes, serviu para mostrar uma vez mais, o baixo nível da mídia nacional.
Não houve cobertura jornalística do evento, mas sim uma babação enojante, uma bajulação subserviente e uma devoção típica de dementes e fãs histéricos. Em lugar de buscar informação, os nossos bravos ‘repórteres’ se esmeraram em prestar atenção no vestido da Dilma para saber se estava de acordo com a ocasião, falaram dos cabelos brancos do Obama.
Ele deve ainda agora estar sonhando em ter lá nos EUA uma mídia assim capacha e bajuladora – porque lá, o mínimo que os meios de comunicação disseram foi que Obama e sua família fizeram um exótico tour turístico por um país aliado. Isto ficou patente quando a própria 1ª dama de lá disse que tinha trazido as filhas porque ela costuma levá-las junto para países que, em outras circunstâncias, jamais visitariam.
A nossa mídia revelou todo seu fascínio, portando-se como tietes que esperam no quintal a visita do coronel. Tem horas que sinto vergonha, noutras a minha sensação é de absoluto nojo pela forma como os meios de comunicação brasileiros são subservientes. Eles moram no Brasil, mas vivem 24 horas por dia sonhando e se portando como sub-ianques. Usam toda parafernália descartável, são beócios que se comprazem em babar diante de qualquer coisa vindo de lá.
Hoje, o Brasil é o retrato acabado do colonialismo. E isto é uma nefasta conquista da mídia, que bestializou o brasileiro, que entupiu o nosso povo com o lixo cultural onde gagás da vida é que viraram símbolo e parâmetros de referência em termos de comportamento. Vale a promiscuidade, a banalização da sexualidade, o desrespeito ao perfil cultural do brasileiro.
Eu fico pensando o quanto nós estamos longe do que é uma efetiva referência de poder. A mídia, porque Obama foi um evento apenas midiático, se portou como esperava o império: de cócoras, disposta a bajular e a rir de tudo. Nenhum questionamento pela armação do golpe de 1º de abril de 64; nenhuma palavra sobre o treinamento de militares brasileiros em técnicas de tortura; nenhum pio sobre o dinheiro de ladrões brasileiros investidos em bancos e fundos nos EUA…
A nossa valorosa mídia, de tão enojantemente puxa-saco e babona, não teve nem mesmo coragem de dizer que houve manifestações contrárias e que redundaram em prisões de militantes de alguns partidos.
Nestas horas, sinto inveja da altivez de outros povos. O Obama que saiu bajulado daqui, foi vaiado e duramente cobrado no Chile pelo apoio que os EUA deram ao golpe que matou Allende e instalou em nosso vizinho andino a mais sangrenta ditadura do hemisfério no séc. XX – comandada por um animal de farda chamado Pinochet.
Confesso: fiquei com inveja dos chilenos e uma imensa vergonha do papel de ‘geni’ que a mídia assumiu e que os colegas jornalistas acabaram, também para manter o emprego, aceitando.





Passe Livre 474: Quem tem medo da CPMF?

10 11 2010

Nesta quinta, dia 11, estará sendo distribuída aqui na rodoviária de Brasília a edição 474 do Jornal Passe Livre que tem entre os comentários e notícias em destaque traz a pergunta:
Quem tem medo da CPMF?
Além desta abordagem, a constatação: A imprensa AINDA não aceitou a derrota.
Leia o Jornal Passe Livre!
Indique-o para os amigos!

Para ampliar/Tela cheia: clique em menu (bem à esquerda) e depois clique em View Fullscreen.





Weslian confirma na Globo que votará em Agnelo!

29 10 2010

Ainda restam dois dias.
Como diz o povo… São mais duas edições do Jornal Nacional. O debate da Globo. A capa da Veja. E uma edição da Folha.
Há medo no ar.
Passei naquilo que seria o comitê do Serra aqui no DF. Desânimo.
Passei no comite de Weslian. As pessoas estão cabisbaixas. Havia cobranças. Dinheiro atrasado em fim de campanha é sempre um problema.
Fui na Feira do Paraguai, reduto do rorizismo e me deparei com a cena de ver mais adesivo de Agnelo do que Weslian.
Depois, uma passada pelo comitê de Dilma e Agnelo, que ficam próximos aqui em Brasília – por vezes fica a sensação de que faltou mais interação entre as duas coordenações.
Esta é a minha sexta campanha aqui no DF. Nunca vi o rorizismo tão fraco. Também pudera: o velho morubixaba foi matando todos os que, sendo aliados, poderiam colocar em risco o seu mandonismo.
Assim, defenestrou Valmir Campelo, Abadia (esta, de modo totalmente humilhante, depois de ser chamada de ‘vadia’ por Roriz, voltou a fazer parte de sua ‘base’), Paulo Octávio, Arruda (foi Roriz quem divulgou os vídeos como retaliação por conta do episódio do PMDB) e tantos outros. Restaram apenas que, por serem restos, ninguém mais queria.
Na disputa presidencial, uma constatação: os eleitores de Serra são mais enrustidos. Omitem suas preferências. Em verdade, quem vota nele, vota com vergonha. Vota muito mais por seus preconceitos contra o PT, contra Lula e contra Dilma do que propriamente por ver qualidades em Serra.
Faltam dois dias…
E terá o Serra condições de responder as tantas interrogações que continuam a lhe perseguir:
– Mônica Serra fez aborto. E, segundo o relato das alunas, com conhecimento dele. Serra é a favor do aborto?
– Onde está a Mônica Serra – que sumiu depois de ser desmascarada?
– Qual é a sua efetiva relação com Paulo Preto?
– Por que a Alstom é sinônimo de Psdb?
– Como a filha conseguiu comprar aquela mansão em SP?
– Tem falado com os Vedoin?
– Qual o conceito dele, Serra, acerca da liberdade de imprensa?
– Mandar demitir jornalistas é base do seu conceito sobre liberdade de imprensa?
– o Candidato Serra é a favor da prostituição?
– Qual a opinião do Serra sobre o papel das mulheres na sociedade?
– Qual o seu conceito de aparelhamento da máquina pública?
– Se ele, Serra, é contra acordos, por qual razão Soninha, Márcio Fortes, Roberto Freire e tantos outros políticos de siglas aliadas estão pendurados em empresas paulistas?
E tantas outras perguntas que a gente fica pensando…
Para a Dilma, eu faria algumas perguntas pontuais:
– A senhora e seu partido aprenderam como tratar a mídia?
– No seu mandato, a Secom vai continuar alimentando com dinheiro da sociedade veículos como Globo, Veja e Folha?
– Vai ser apresentada a Lei dos Meios de Comunicação?
– O seu governo vai apoiar de modo mais decisivo a II Confereência de Comunicação?
– O sistema Globo continuará sendo dono do do Ministério das Comunicações?
Sewxta-feira.
O Grêmio foi roubado pelo Herbert no jogo contra o Flu.
Sei, todo juiz erra. Mas juiz que entra de má-fé em campo é perverso.
Herbert é daqueles que odeiam o Grêmio. E sempre afana o time gaúcho. Foi assim no 1º turno nmo jogo do Grêmio x Vasco – outro penalti não marcado.
Pode ser cisma. Mas careca costuma ser problema. Ele é um exemplo. Serra é outro…
Sexta-feira…
Dois dias.
E continua o estranho cheiro de armação no ar.
Domingo, 8 e meia da noite.
Só então meu coração estará sossegado.
São três torcidas que se entrelaçam.
Dilma presidente, 13. Confirma.
Agnelo governador, 13. Confirma.
E para o povo aqui do Entorno é Iris governador, 15. Confirma.

Antes de encerrar, uma constatação depois do debate de ontem à noite: Weslian Roriz com certeza vota no Agnelo. Basta ver que ela o chamou de ‘nosso candidato’ e também de Governador. Foi muito bom escutar isto. Enfim, a ‘dona’ Weslian mesma sempre disse que falava com o coração. abriu o coração e confirmou: ela vota sim em Agnelo.
Assim, tenho pela primeira vez uma razão para cumprimentá-la pela sábia decisão anunciada solenemente ao vivo na TV Globo…
Dois dias…





Ibope: Dilma tem 50%. Só o Datafolha salva o Serra

29 09 2010

Tirante o Datafolha, que se presta a servir de escada para a campanha de Serra, os demais institutos de pesquisa confirmam que Dilma Rousseff ganha a eleição no 1º turno. Depois do alento da pesquisa Datafolha trazendo números sob medida para reanimar a turma do Demo e os verdes, eis que voltamos à realidade: tanto para o Vox Populi, quanto para o Ibope, a fatura está liquidada.
Para desespero da mídia, a pesquisa do Ibope divulgada hoje é devastadora para os planos da imprensa e aponta que a fatura, salvo alguma hecatombe de última hora ou uma manipulação estrondosa do noticiário. Os dados coletados nos dias 26, 27 e 28 de setembro indicam que Dilma tem 50% das intenções de voto; Serra, sabe-se como, consegue ter 27% e a Marina ‘sem sentido’ consegue 13%. Os outros, entre os quais o Plínio, somam 1%.
Noves fora, tirante um percentual de brancos e nulos (4%) e de indecisos (4%), pode-se dizer que a fatura está liquidada e a vaca do Serra e sua trouppe foi para o brejo.
Vamos ver como a mídia vai manipular estes dados.





As etapas do golpe

23 09 2010

Muito tem sido dito acerca da movimentação da mídia na preparação de um golpe contra a eleição de Dilma Rousseff. Não sou destes que vêem fantasmas em tudo, mas reitero que é preciso neste momento considerar algumas realidades pontuais:

1. De um lado, a responsabilidade direta do presidente Lula e a omissão imperdoável de seu partido, o PT, em não tratar a mídia da forma como ela precisa ser tratada. Ela não está assumindo ares golpistas agora, mas desde janeiro de 2003 – e  o governo não teve coragem de efetivar o enfrentamento político que se fazia necessário. Pelo contrário – insistiu em manter intacto dentro da Secom e como política de comunicação o modo tucano de agir (sempre para os mesmos de sempre). Não tiveram – o presidente e o seu partido – coragem de implementar uma decisão de seu próprio Congresso de criar um jornal popular, nacional e que servisse de contraponto à manipulação da mídia. Manteve no Ministério das Comunicações um serviçal da Globo, perseguindo rádios comunitárias e impedindo que se estabelecesse uma rede de emissoras em nível nacional.

2. A manutenção da postura de deslumbrado, ensejando tratamento diferenciado para a chamada mídia tradicional. Muitos da chamada esquerda sonham em aparecer na mídia golpista. A própria Secom sempre foi conivente com as práticas e os preconceitos das agências – e volto a dizer que o Núcleo de Mídia, dirigido, coordenado, comandado ou a palavra que o valha por uma anti-petista, ex-serviçal de Roriz, é o retrato acabado de como o modo tucano de agir está impregnado no governo do PT. O mesmo acontece na Caixa, no BB e em outras instâncias do governo – onde os que mandavam nos tempos de FHC de um certo modo, continuam mandando no Governo Lula e do PT e com muito mais arrogância.

3. Lula repete agora a sua opção de confrontar com a grande mídia que adotou quando seu mandato esteve ameaçado. E o faz indo para junto da classe trabalhadora – que ele e o seu partido por vezes esqueceram, mormente quando se observa a conivência do Governo Federal com os lucros abusivos, escorchantes e imorais do sistema financeiro.

4. O governo não procedeu a uma devassa necessária nos meios de comunicação – porque se uma pequena revista ou jornal tiver algum débito, não pode nem pensar em pleitear publicidade. Mas a grande mídia que deve milhões para a Previdência, esta continua recebendo aportes milionários de modo diário.

5. Seria fundamental que o Governo Federal colocasse em cada anúncio veiculado em jornais, revistas, rádios e mesmo na TV qual o valor daquela inserção – e certamente ficaria patente que as empresas privadas cobram muito mais caro do governo do que dos anunciantes ‘privados’.

6. O governo Lula e o PT não tiveram a capacidade de terminar com a odiosa prática – principalmente da Caixa – de compra antecipada de espaços nos mesmo meios tradicionais.

Ou seja: o golpismo da mídia existiu desde 1º dee janeiro de 2003 e desde então o Governo Lula e o PT tem sido reiteradmente coniventes. Inclusive financiando-os.

O cenário golpista de hoje é o mesmo que existia em 2005. Lá como hoje – e só então – o presidente Lula vem buscar no povo a força para resistir ao golpe. Golpe que, repito, ele Lula, seu Governo e o PT ajudaram a alimentar. Percebo que o PT sonha em verdade em ser aceito pelas elites, em ser parte delas – e isto vale também pela relação dúbia mantida pelo governo com a mídia. Foi o Governo Lula quem financiou a mídia e não criou mecanismos para o surgimento de uma mídia alternativa de caráter popular.

O Governo Lula apoiou de modo pífio a mídia alternativa e quando o fez, não teve o viés de partir para o campo da comunicação popular ou massiva e preferiu apoiar iniciativas tipo ‘leitura cabeça’ como se falava nos anos 80.

Em verdade, Lula e o PT pagam hoje por seus erros e pela incapacidade de aprender com eles, visto que repetem o memso modo de agir que antes fizeram em prefeituras, governos estaduais e também em nível federal.

Certa feita escutei algo que costumo lembra:

AS PESSOAS MUITO INTELIGENTES, APRENDEM COM OS ERROS DOS OUTROS.

AS PESSOAS INTELIGENTES APRENDEM COM OS PRÓPRIOS ERROS.

E TEM OS OUTROS… que, arrogantes e burros, continuam pensando-se donos da verdade…





O ‘império tucano’ vai ruir?

19 09 2010

Faltam poucos dias. Qual será a proxima mentira?

Alguém, mesmo que embriagada, ainda é capaz de acreditar em algo que venha da Veja, da Folha, do Estadão, da Época, na Globo… esta perda de credibilidade dos jornais é ruim, eles não percebem, para a própria democracia?

Talvez o que poucos estejam atentando mas Gustavo Fruet, um dos deputados federais tucanos mais escroques e hipócrita, está na bica de ficar sem mandato (deve ser acolhido como comentarista de economia da Globo ou virar secretário de qualquer coisa em algum governo estadual tucano).

E até os gaúchos parece que estão tirando o tapa olho que os cegava. Podem até eleger a imbecil da Ana Amélia Lemos da Arena, digo PRBS, ops… me enganei de novo… afinal ela é da Yeda, mas filiada ao PP.. – como eu estava dizendo: podem até eleger a imbecil serviçal da RBS e do agronegócio, mas parece que re-elegerão o Paulo Paim (PT).