Desafios da blogosfera – I

24 11 2010

Desde o Encontro dos Blogueiros em São Paulo – creio que nem o termo progressistas e nem independentes contempla o perfil da blogosfera nacional, sendo que vejo a blogosfera muito mais com o perfil de ‘indignada’ do que aforismas e palavras de ordem que nos remetem à militância política partidária. Voltando: Desde o Encontro dos Blogueiros Indignados em São Paulo que tenho tentado arrancar tempo do meu dia para debater alguns aspectos que, para mim, representam riscos e ameaças para a blogosfera da forma como nós a vamos construindo em termos de Brasil.
E desde lá em São Paulo tenho manifestada minha preocupação no sentido de que percebo um claro direcionamento ‘partidário’ – lá em São Paulo até era tolerável, afinal de contas o ‘Barão do Itararé’ funciona dentro do PCdoB, tem o perfil instrumentalizado do PCdoB, traz o viés do aparelhismo, do intervencionismo e do dirigismo.
Ao falar no evento – e foi engraçado que o pessoal da mesa não queria que as intervenções da plebe fossem manifestações das pessoas, mas que quem fizesse uso da palavra dirigisse perguntas e questionamentos aos deus iluminados que estavam dirigindo os trabalhos – manifestei minha preocupação e apreensão no sentido de que, com aquele modelo, estava-se tentando criar um sistema de castas, onde haveria uma elite da blogosfera que deveria servir de referência para a raia miúda.
Ou seja: o pior dos presságios lá de São Paulo foi sendo confirmado tanto no evento organizado pelo Barão/PCdoB quanto nas posturas posteriores – inclusive um perverso dirigismo do CCC – Comitê Central da Casta que se arvora detentoir do conhecimento para nortear a realização dos encontros regionais.
E não adianta negar ou dizer que estou vendo fantasmas. Ainda antes do 2º turno, fui procurado por um representante do PCdoB que dizia que vinha e falava em nome ‘de São Paulo’. A primeira pergunta que me foi feita – parado diante da porta do Comitê Central da Dilma aqui em Brasília: qual a sua (minha) relação com o PCdoB?
Ou seja: há uma estratégica ação do CCC – Comitê Central da Casta no sentido de manipular, dirigir e doutrinar os blogueiros aqui de baixo, desta raia miúda onde vive quem não é do CCC.
Continuando na conversa, disse (eu) que o Encontrod e Blogueiros aqui no DF para mim deveria ser menos estrelar e mais plantador – sendo que o público alvo deveria ser o das escolas de jornalismo/comunicação, nas entidades de classe (sindicatos, associações, etc) para fomentar que surgissem novos blogueiros. Para minha surpresa, veio a informação: não, o objetivo do encontro deve ser o de organizar e centralizar os blogueiros já em atividade.
Claro que virei as costas e fui cuidar da minha vida, que afinal de contas preciso trabalhar. E tenho estômago para não precisar ficar escutando certas imbecilidades.
Neste sentido e para esta primeira abordagem quero deixar bem claro: o maior desafio da blogosfera é fugir da manipulação de um grupo que se sente confortável nesta posição de mando, de mentor – como se o resto não pensasse e fosse agir concorde e silenciosamente como cadeia de transmissão de suas doutas verdades. Não deve ser por acaso que este grupo que pensa ser a representação dos blogueiros do Brasil – a turma do CCC – se sentiu liberado a se apresentar como porta-voz da blogosfera na entrevista com o Lula.