Os aliados de Serra no DF

11 10 2010

Muitos atacam, questionam e criticam os apoios que a Dilma foi colhendo ao longo da caminhada. Apontam Collor, Sarney… Eu também não me sinto ‘bem’ com estas figuras por perto – mas o Collor pelo que me consta foi eleito pelo povo de Alagoas Senador e agora foi reprovado nas urnas. Sarney (a família) o mesmo em termos de Maranhão. É do jogo democrático…
Mas olhemos quem está ao redor de Serra:
Quércia
TFP
Opus Dei
Maluf
César Maia
Bornhausen
Yeda Cruzius
Arthur Virgílio
Diogo Mainardi
Marcelo Madureira
Regina Duarte
Daniel Dantas
Gilmar Mendes

A lista é imensa. Só figurinha carimbada.
Mas… e aqui no DF? Aqui no DF, a fina flor da pilantragem está com Serra. Vejamos: Roriz, Weslian, Arruda, Paulo Octávio, Luiz Estevão.
É importante observar este pequeno detalhe: todos os que apóiam o Serra estão envolvidos em falcatruas, roubos e malversações de recursos públicos. Isto não quer dizer nada?





Um golpe a caminho?

4 02 2010

Em conversas regadas a brilhos e finas iguarias, influente figura do Demo nacional revelou uma inconfidência que merece ser avaliada: Arruda teria apenas anunciado sua desfiliação do Partido – mas nem Arruda e nem o Demo teriam encaminhado a desfiliação ao TRE.

Tanto assim é que Arruda já tem alertado seus asseclas mais próximos, melhor… colaboradores mais íntimos, gente que faz agora o papel antes desempenhado por Durval (coletar dinheiro)… que não devem assumir compromisso com nenhum candidato a governador em outubro de 2010 – que ele próprio estará na disputa.

A estratégia será gradual, mas tudo passa pela manutenção do seu vínculo oficial com o Demo, inclusive na patética encenação que envolve Caiado e Demónstenes Torres (aquele mesmo da conversa com Gilmar Mendes que nunca houve mas que foi ‘grampeada’ só no papel timbrado e divulgado em revista de circulação nacional).

Além de manter a filiação, Arruda trabalha para ser abolvido pelas comissões amigas que seus mensaleiros comandam na Câmara Legislativa. Ao mesmo tempo, está municiando alguns jornalistas e aliados eventuais no Judiciário com detalhes sobre a conduta profissional, moral e pessoal de Durval, como forma de desacreditá-lo enquanto delator.

Sobre o dinheiro, o argumento é simples: foi Caixa 2 da campanha de 2006.

Tudo muito mágico e fantasioso, mas em se tratando da turma do Demo, com a retaguarda do Serra, a conivência da mídia e os muitos milhões em jogo… É ver para crer…





DF, um cemitério de obras

12 01 2010

Além do deplorável espetáculo escatológico e verborrágico ao qual nós brasilienses estamos sendo submetidos pelo mais cínico e desavergonhado ente político da história política nacional, agora temos de conviver com o estorvo de dois ‘esqueletos’ onipresentes: os próprios ex e atual-ainda governador e vice, e a infinidade de obras paralisadas. Ao contrário do que vociferava o cadáver e repercutia a imprensa quando alardeava sem fundamento que ‘nenhuma obra será paralisada’, hoje percebe-se que só há forças para mandar servidores em função comissionada para a porta da Câmara Legislativa – despudoradamente transformada em pouco mais do que um guichê onde barnabés de terceira linha se prestam ao degradante trabalho (já muito bem pago) de atuar como serviçais em defesa daquilo que fazem parte.
É aterrorizador perceber o quanto se enraizou na estrutura de poder do DF a corrupção e o modo fisiológico e clientelista de fazer política que a dupla Roriz e Arruda transformou em cultura administrattiva, onde nada anda e nem funciona a não ser na base da propina, no tráfico de influência e na bandalheira. Certa feita, em um comentário na capa do PASSE LIVRE (https://passelivreonline.wordpress.com/2009/12/15/passe-livre-edicao-399/) foi feita a interpelação (antes do episódio do Durval) questionando: qual o pior? Lá está: “a realidade mostra que não há entre os dois ‘diferenças’”. O que veio ocorrendo depois serviu apenas para confirmar a vergonhosa escalada da corrupção a partir de janeiro de 1999, quando o GDF passou a ser apenas um balcão de negócios, com obras e mais obras por todos os cantos, numa intervenção que não leva em conta como fator prioritário a qualidade de vida dos moradores.
É dentro deste quadro, no qual o vírus da corrupção se entranhou, em maior ou menor escala, no tecido de todos os organismos da sociedade – Câmara Legislativa, Tribunal de Contas, grandes parcelas do Judiciário, Sindicatos, Associações Comunitárias, Condomínios, Imprensa e mesmo nos prosaicos chás beneficentes de madames do Lago Sul – que a sociedade precisa reencontrar a esperança. Fosse Arruda um homem com espírito público, pediria afastamento do cargo, se recolheria oa bucolismo do haras e de lá só sairia para prestar contas com a Justiça e, se ela fosse correta, amargar alguns anos de cadeia. Mas prefere, em lugar desta postura de dignidade e vergonha, continuar agredindo os moradores do DF com seu cinismo, hipocrisia e cara de pau – diante de um cenário devastado, onde o DF hoje tem cara de um cemitério de obras paradas e lama…





Um sucesso de envergonhar…

11 01 2010

Enquanto o filme Avatar fatura milhões e mais milhões de dólares, tornando-se a segundo maior bilheteria do cinema, aqui no Brasil continuamos assistindo ao mais deslavado cinismo praticado não por um homem público, mas pelo chefe de um grupo mafioso que corrompeu o Executivo, o Legislativo, parte do Judiciário e a totalidade da imprensa do DF.





DF não tem imprensa e nem blogs

3 01 2010

Algumas pessoas mandaram mensagens iradas contra o post no qual eu tentei dissecar, ao meu modo que é o único que sei, a pobreza dos meios de comunicação no DF e a razão de ausência de vida (com raríssimas excessões já elencadas).

As ‘melhores’ matérias sobre a podridão do Governo Arruda e Paulo Octávio estão sendo publicados ‘fora’ de Brasília, sem nenhuma repercussão nos meios de comunicação oficiais e a serviço do GDF.

Quer saber como a família Arruda atua unida, algo que pode ser tipificado até como formação de quadrilha?

http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,familia-de-arruda-compra-r-13-mi-em-imoveis-no-df,489934,0.htm

Quer saber um pouco mais sobre Paulo Octávio:

http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI111838-15223,00-O+IMPERIO+DO+VICE+DE+ARRUDA.html

E ainda tem gente que me chama de radical e exagerado…





Nós e nossa cara de palhaços

24 12 2009

A cada novo dia cresce a percepção de que boa parte da classe política trata a nós, eleitores, como palhaços. Para muitos, política é apenas um circo mambembe onde desempenham papéis. Não sei se alguém já foi assistir alguma encenação nestes circos que andam pelas periferias ou visitam as cidades do interior. São situaçõs grotescas, onde o público se deleita não pela qualidade do espetáculo, mas exatamente pela parte ‘bufa’, pelo erro, pelo grotesco.

Esta é a imagem que se consolida quando observamos de modo desapaixonado o comportamento dos políticos aqui do DF flagrados no episódio da corrupção e do mensalão do Demo. Ao contrário do que teima em veicular boa parte da mídia, não é similar o episódio que envolveu o PT e agora o Demo e o Pmdb e antes já havia colocado o Psdb no rol dos malfeitores.

Imaginemos, por mais impossível que seja (até por sua formação pessoal) se houvesse qualquer imagem de deputados ou senadores recebendo dinheiro durante aquele período no qual houve a tentativa de golpe contra o Governo Lula/PT. Imaginemos se houvesse uma assinatura trocando apoio financeiro por comprometimento publicitário. Imaginemos se houvesse uma Lista de Furnas… A mídia teria incendiado este País com a sua versão apenas.

No caso do DF, há deputados pegando dinheiro (filmagens sãotambém no tempo do Governo Roriz), botando nas meias, há um governador pegando dinheiro, há pessoas indicadas pelo vice-governador fazendo o reparte, há menção específica sobre a voracidade por dinheiro do vice… e a mídia silencia.

Este espisódio de ontem, quando o patético Leonardo Prudente ‘pede’ desfiliação e anuncia que vai voltar à Presidência da Câmara Legislativa é destas coisas vergonhosas, enojantes e que mostram o desprezo que certas pessoas tem para com a sociedade. E os outros… inclusive o vice, Paulo Octávio?

E o que vai fazer o Pmdb que teve uma meia dúzia de seus ‘históricos’ flagrados com a mão na grana? E a Executiva Nacional não vai investigar as denúncias contra Michel Temer? O que será que eles temem?

Neste episódio todo, lapidar foi APENAS o comportamento do Psb, que defenestrou de seus quadros alguém citado em conversas e com uma prática adesista ao Governo Arruda que sempre gerou suspeitas.

Nós somos, definitivamente palhaços…





A sinuca do Demo

23 12 2009

Faltando cerca de 3 horas para o início da reunião do Demo-DF que deve selar o destino de Leonardo Prudente, salta aos olhos a convicção de todos que o distrital do dinheiro nas meias irá mesmo pedir desfiliação, evitando submeter-se à expulsão que é tida como ‘mais do que decidida’.

Resta ao Demo-DF uma questão que se mostra mais delicada: o que fazer com P Ó – Paulo Octávio, o vice de tantas citações e práticas não condizentes com um cargo desta envergadura e que já mandou avisar reiteradas vezes que ninguém dentro do partido tem idoneidade para expulsá-lo ou para dizer o que ele deve fazer.