Vozes sobre a pesquisa Vox Populi

19 05 2010

Para alguns, dizer que o cenário eleitoral de Roriz, o verdadeiro criador do Mensalão do Demo, é complicada, a despeito de ter 42% das intenções de voto na mais recente pesquisa do Vox Populi, pode soar apenas como provocação – quando isto reflete uma realidade que deixa apavorados os que esperam a volta dele para continuarem se locupletando ou levando algum tipo de vantagem à margem da legalidade.

Nunca Roriz começou uma campanha com índices tão baixos de intenção de votos e uma rejeição neste patamar (34%). Há, mesmo no eleitor cabresteado pela cegueira política,a percepção e o medo de que Roriz talvez não consiga chegar candidato até outubro. Qualquer pessoa com razoável capacidade de discernimento já percebeu as inúmeras contradições de Durval Barbosa na sua necessidade de aliviar o ex-governador e ‘tirar’ dele (Roriz) o título de verdadeiro mentor de todo este esquema que enlameia o DF desde janeiro de 1999. O caso de Eurides Brito é patente: alguém de sã consciência, sabendo a voracidade e o gosto de Roriz por patrimônio, acredita que um reles subalterno como Durval teria como pagar 40 mensalinhos de R$ 50 mil cada a Eurides, de 2003 a 2006, sem que o chefe soubesse?

É preciso ser muito idiota para acreditar em algo assim. E, além do mais… por quais razões Durval (a mando de Arruda, como ele diz para proteger Roriz) repassaria dinheiro mensalmente para Eurides, quando o governador era Roriz e Arruda apenas deputado federal? Ao menosprezar a inteligência alheia, Durval e Roriz começam a se enredar em suas próprias pernas.

Não há como dissociar os dois do ‘mensalão’. O escândalo que estourou em Arruda é coisa gestada no governo Roriz desde janeiro de 1999.

Mas, vejamos como dois colunistas anti-PT e anti-Lula avaliam a pesquisa aqui no DF.

Vamos começar por Josias de Souza, da serrista Folha de São Paulo:

“4. Distrito Federal: Dilma obtém vantagem de oito pontos sobre Serra: 42% a 34%. Marina aparece com 13%.

Quanto à briga pelo governo, o eleitor da Capital dá sinais de que não retirou do panetonegate as lições que o escândalo ministrou.

Mentor de Durval Barbosa, o delator de José Roberto Arruda, salta na frente o ex-governador Joaquim Roriz (PSC): 42%. Agnelo Queiroz (PT) belisca 32%. (http://josiasdesouza.folha.blog.uol.com.br/)

Outro colunista da mesma Folha, Fernando Rodrigues, assim disseca os números locais que o Vox Populi divulgou:

“DF: Roriz (PSC) 42% x 32% Agnelo Queiroz (PT)

Dilma leva a melhor no Distrito Federal e tem 42% contra 32% de Serra

Pesquisa Vox Populi realizada de 8 a 12.mai.2010, aponta favoritismo de Joaquim Roriz (PSC) na diputa pelo governo do Distrito Federal. Roriz tem 42% das intenções de voto contra 32% de Agnelo Queiroz (PT). Maria de Lourdes Abadia (PSDB) tem 6% das intenções de voto, seguida por Rogério Rosso (PDT), com 4%, e Alberto Fraga (DEM), com 3%. Votos em branco e nulos somam 9%. Não souberam ou não quiseram responder à questão 4% dos entrevistados.

A pesquisa tem margem de erro de 4 pontos percentuais (para ou mais ou para menos) e foi realizada de 8.mai.2010 a 12.mai.2010 com 600 eleitores, no Distrito Federal. Paga pela Bandeirantes, está registrada com o n° 11051/2010 no TRE-DF. Aqui, a íntegra da pesquisa.

Aqui, todas as pesquisas de todos os institutos para governos estaduais.

Quando solicitada a resposta espontânea (para a qual o entrevistador não apresenta o nome dos candidatos para os entrevistados), Roriz mantém a liderança com 30%. O 2° é Queroz, com 21%. José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM) tem 5%, à frente de Marina de Loudes Abadia (PSDB) que tem 2% e de Rogério Rosso, Fraga e Magela que têm 1% cada. Vão votar em branco, nulo ou em ninguém 8%. Não sabem ou não responderam à questão 29% dos eleitores do Distrito Federal.

Presidente e avaliação do governo
Dilma Rousseff (PT) leva vantagem no DF e fica com 42% das intenções de voto. José Serra (PSDB) tem 32%, Marina Silva (PV) tem 12% e Zé Maria (PSTU), 1%. Não sabem ou não responderam  7%. Vão votar nulo, em branco ou em ninguém 6% dos eleitores da capital.

O governo Lula é bem avaliado na capital do país. Consideram como ótimo o desempenho do presidente em seu cargo 40% dos eleitores entrevistados e 41% consideram como bom. Para 13% é regular positivo, para 2% é regular negativo, para 2% é ruim e para 2% é péssimo. Não soube ou não quis responder 1%. (http://uolpolitica.blog.uol.com.br/)

Percebe-se a estagnação de Roriz e o crescimento de Agnelo. O mais importante é observar o que ocorre na espontânea, quando Roriz tem míseros nove pontos de vantagem sobre ASgnelo.

Só mesmo a extrema cegueira ou a necessidade de não ver a realidade que pode justificar o ufanismo dos rorizistas. Faz menos de um mês que Agnelo é o pré-candidato a governador do campo ético de Brasília – enquanto que Roriz é useiro e vezeiro, com um eleitorado cativo de sua política demagógica de destruição da qualidade de vida no DF.

Outro fator importante revelado pela pesquisa é a avali~ção do governo Lula no DF: 81% consideram bom ou ótimo. Além disso, Dilma tem aqui no DF 42% das intenções de voto.

Roriz ainda está na frente, mas… até quando?





Folha detona Serra

16 05 2010

Por esta, nem os tucanos esperavam. Depois de receberem no sábado os dados da pesquisa Vox Populi colocando Dilma em 1º lugar nas intenções de voto, na edição deste domingo (16), mais uma revelalção:

Serra utiliza estrutura do Estado após deixar o cargo

Quarenta dias depois de sair do governo, tucano e equipe vão a eventos em carros oficiais

Na quarta-feira, 12 policiais faziam a segurança da casa do pré-candidato; assessorias do PSDB e do governo dizem que não há irregularidades

Eduardo Knapp – 6.abr.10/Folha Imagem
 

No início de abril, alguns dias após Serra ter deixado o governo, seguranças e motoristas aguardavam na frente de sua casa, em SP

CATIA SEABRA
BRENO COSTA
DA REPORTAGEM LOCAL

Quarenta dias depois de deixar oficialmente o governo de São Paulo, o pré-candidato do PSDB à Presidência, José Serra, tem usado estrutura do Estado em sua pré-campanha, iniciada formalmente no último dia 10 de abril.
O ex-governador, que transmitiu o cargo para o vice Alberto Goldman em 6 de abril, conta com policiais militares na sua segurança. Em São Paulo, ele e seu staff têm ido a eventos em carros oficiais.
Os agentes – policiais vinculados à Casa Militar – também acompanham Serra em viagens pelo Brasil. Os gastos com combustível e celular usados pela equipe de segurança também ficam a cargo do governo.
Os profissionais de comunicação contratados para a campanha mantinham, pelo menos até sexta-feira, os mesmos números de celular de quando atuavam na assessoria do Palácio dos Bandeirantes.
Amparado em decreto estadual, de março de 2004, o governo afirma, em nota, que não há ilegalidade no uso da segurança do Estado. O decreto prevê “a prestação de serviços de atendimento funcional e, complementarmente, de segurança” a ex-governadores durante todo o mandato do sucessor.
Contudo não estabelece um limite de policiais a serviço do ex-governador. Na última quarta-feira, 12 homens vigiavam a casa de Serra, no Alto de Pinheiros, na zona oeste da capital. O governo não informou o número de agentes que acompanham o pré-candidato, alegando “razões de segurança”.
Em 2006, quando, sob a vigência do mesmo decreto, também deixou o Palácio dos Bandeirantes para concorrer à Presidência da República, o ex-governador Geraldo Alckmin contou com o serviço de dois ajudantes-de-ordem e circulava em sua Parati particular.
Quanto aos celulares usados pelos profissionais de comunicação, a Secretaria de Comunicação afirma que os jornalistas podem optar pela manutenção dos números após o desligamento do governo. Ainda segundo a assessoria, os cofres públicos são ressarcidos em caso de despesas “residuais ou remanescentes”.
De acordo com a assessoria da campanha tucana, as despesas com comunicação são cobertas pelo PSDB.

Viagens
Embora a campanha só comece oficialmente em julho, Serra tem viajado pelo país desde o dia 14 de abril, quando desembarcou em Salvador (BA) -onde deve ocorrer a convenção oficial para formalizar sua candidatura, em 12 de junho.
Até sexta-feira, já tinha feito 15 viagens, passando por dez Estados. Nessas visitas, concede entrevistas a rádios e TVs locais, participa de eventos com empresários e políticos, e interage com os possíveis eleitores.
Suas atividades de pré-campanha são registradas por uma equipe de filmagem da empresa GW, do jornalista Luiz Gonzalez, responsável pelo marketing de sua campanha. A empresa é paga pelo diretório estadual do PSDB em São Paulo.
Em visita a Maceió, em 16 de abril, Serra disse que as filmagens destinavam-se a um “arquivo” e que, se as imagens fossem para a campanha, estaria usando um microfone de lapela. No entanto, ele tem usado o acessório em várias ocasiões.
A assessoria da campanha informou que “o objetivo das filmagens é documentação”. Não esclareceu se elas serão usadas posteriormente em propagandas eleitorais, com a disputa oficialmente em andamento.
Além de pagar a GW, o PSDB estadual assumiu gastos como aluguel de salas e de avião na atual fase de pré-campanha.





Dilma ultrapassa Serra

15 05 2010

Ainda que os jornais pró-Serra não tenham dado nenhuma linha em seus portais, aqui vai: Pesquisa Vox Populi coloca a candidata que tem compromisso com o País na frente do trapalhão do Serra, representante do que existe de pior e de mais nefasto na vida política nacional – a turma da destruição dos sonhos de um povo, de uma nação.

‘Chupinhei’ a reportagem do portal do Correio Braziliense.

Pela primeira vez, Dilma passa Serra em pesquisa de intenção de votos

Vinicius Sassine

Publicação: 15/05/2010 17:41 Atualização: 15/05/2010 18:06

A pré-candidata do PT à Presidência da República, a ex-ministra Dilma Rousseff, aparece pela primeira vez à frente do pré-candidato do PSDB, o ex-governador de São Paulo, José Serra, em pesquisa de intenção de votos feita pelo Instituto Vox Populi.

O levantamento traz a petista com 37% das intenções de voto, em empate técnico com Serra, que tem 34% na pesquisa estimulada. A margem de erro do levantamento é de 2,2%, para mais ou para menos.

Dois mil eleitores, moradores de 117 cidades (nas cinco regiões brasileiras), foram ouvidos no levantamento. Num eventual segundo turno, Dilma e Serra também estariam tecnicamente empatados, com 40% e 38%, respectivamente, dentro, portanto, da margem de erro de 2,2%.

A pesquisa de intenção de voto espontâneo – quando o eleitor abordado pelos pesquisadores diz em quem vai votar – também aponta a liderança de Dilma Rousseff. Ela aparece com 19% das intenções de voto, enquanto Serra tem 15%. Em janeiro, cada candidato obteve 9% das intenções de votos espontâneos.

A candidata do PV, a ex-ministra Marina Silva, consolidou-se na terceira posição da pesquisa estimulada de intenção de voto, com 7%. O levantamento de votos espontâneos mostra o presidente Lula em terceiro lugar, com 10% das intenções de voto, o que confirma a popularidade do presidente (mesmo sem poder se candidatar a um terceiro mandato, Lula é citado pelos eleitores).

As regiões onde Dilma Rousseff é mais lembrada são o Nordeste (44%) e o Norte (41%). Serra lidera no Sul (44%) e está tecnicamente empatado com a petista no Sudeste.

A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em 7 de maio de 2010, sob o número 11.266/2010. As duas mil pessoas foram entrevistas entre os dias 8 e 13. O Correio publica todos os detalhes do levantamento na edição impressa de amanhã.