No DF, boataria deixa eriçada as viúvas de Arruda e Roriz

8 03 2011

Se alguém ‘de fora’ chagasse em Brasília durante o carnaval e falasse aleatoriamente com as pessoas que encontrasse, certamente formaria um juízo segundo o qual haverá um terremoto político nos próximos dias, algo capaz de não deixar pedra-sobre pedra envolvendo Tribunal de Contas, Juízes, Ministros de Cortes Superiores e Magistrados do TJDFT, deputados federais, distritais, senadores, equipes do GDF e mesmo meios de comunicação.
A divulgação do vídeo com a Jaqueline Roriz ‘olhando’ o dinheiro embolsado por seu marido e flagrado pela filmadora do Durval Barbosa serviu para deixar em polvorosa o povo que alimenta a central de boatos. Alguns são irresponsáveis, outros sonham com a implosão de tudo que aí está pelo simples fato de que ficaram alijados das benesses que tinham em governos anteriores. Separar o interesse pessoal do que pode ser verossímel é desafio pra lá de complexo.
Trocando mensagens via twitter com o também jornalista Rodrigo Vianna, deixei claro que, na minha avaliação, o ponto central é saber de onde o vídeo saiu – vazou. Ao que parece, este e supostamente outros vídeos teriam sido liberados pelo MP. Por trás desta ação, seria importante saber qual a motivação deste material ter sido divulgado só agora – tendo em vista que se tivesse sido veiculado antes das eleições teria impugnado a candidatura da filha de Roriz.
Há uma outra corrente que diz ser este apenas o primeiro de uma série de vídeos. E sempre apontam para a existência de coisas escabrosas envolvendo todo mundo. Volto a dizer: boato é uma coisa, fato é outra. É preciso, também, enfatizar que este material entregue pelo Durval foi cortado/editado segundo as suas conveniências. Ou seja: talvez nem ele (Durval) tenha mais a gravação na íntegra. Um excerto isolado do contexto é sempre uma faca de dois gumes e é escolhido muito mais pelo interesse ou vantagem pessoal do que amparado pela verdade.
Longe de mim pensar Durval como uma figura importante – ainda mais se levarmos em conta que a divulgação das primeiras imagens foi parte de uma estratégia do ex-governador Roriz de alijar Arruda do cenário político local. Para mim, ele é tão venal e abjeto quanto os que foram flagrados por sua câmera. E, num certo sentido, ele acaba sendo uma figura necessária – mas ao mesmo tempo desprezível porque não joga limpo, joga de acordo com sua estratégia.
Para ser bem sincero: não acredito nesta boataria. O que eu percebeo, volto a dizer, que há muito mais o desejo de alguns do que qualquer conexão com a realidade. E a realidade do momento, que pode ser desmentida quando algum destes boatos de hoje tiverem a materialização das imagens, é uma só: pegaram a filha do Roriz com a mão na massa.
O resto, reitero, é boato.





Pegaram a filha de Roriz com a mão na massa!

4 03 2011

Uma verdadeira bomba explodiu nesta sexta-feira de pré-carnaval aqui em Brasília: o Ministério Público divulgou um vídeo onde Jaqueline, filha de Roriz e tida como a aposta do clã para continuar sugando as tetas do Estado, está, junto com o marido, pegando dindin com Durval Barbosa. Dindin e também pedindo estrutura para a campanha.
A despeito do teor explosivo do vídeo – que a exemplo do carnaval de 2010 coloca outro político da turma do atraZo na bica de ser preso ou no mínimo cassado – fica a pergunta: por quais razões só agora o MP está liberando este material? O que mais está guardado lá na ‘pinacoteca’? Durval entregou tudo de uma vez ou está entregando na base do conta-gotas? Se está afzendo a entrega por etapas, isto quer dizer que houve uma ruptura dele com Roriz?
Antes que me digam que não é pinacoteca, vou explicar: é cada quadro surrealista que vem surgindo… É neste sentido que digo ‘pinacoteca’. Coloco isto porque tempos atrás escrevi que queriam ‘caçar’ o Tiririca e vieram dizer que estava errado. Eu queria dizer caçar mesmo, de abater, de tirar do cenário…
Voltando ao post… Como fica agora a situação política dela? Já era uma deputada que frequentava um escalão abaixo do baixo-clero – e depois da revelação destas imagens fica a pergunta: Por que só agora?
A bomba serviu para alimentar a turma do boato, aqueles que juram saber toda verdade, cochichando e dizendo que a ‘pinacoteca’ de Durval é razão para tirar o sono de muitos azuis, verdes e vermelhos de todos os matizes. Pergunta-se: a quem interessa este jogo de soltar aos poucos o conteúdo do material, como vem fazendo o MP? Esta gravação tem continuidade? O que mais está guardado?
Enfim… lá está outra vez o nome do DF envolvido com podridão!





DF: Teremos um governo ou um frankenstein?

8 12 2010

Enquanto o governador eleito do DF, Agnelo Queiroz, não divulga o nome dos seus secretários – e tendo em vista que estranhamente em lugar de ter um assessor de imprensa ou uma assessora de imprensa ele preferiu colocar uma funcionária do Correio Braziliense que só repassa informação para os jornalistas do ‘seu’ jornal – o que conta mesmo no DF é o festival de boataria.
Alguns são aterradores, como por exemplo a informação de que André Clemente, atual titular da Secretaria da Fazenda do GDF e que vai passar para Agnelo o caixa do GDF com um rombo da ordem de R$ 1 bi deverá continuar comandando a pasta. Para quem não sabe, André Clemente foi transformado em secretário de Rosso atendendo pedido do Senador Gim Argello (PTB) – e que agora caiu em desgraça. Ous eja: a se confirmar o fato, Agnelo Queiroz terá como secretário da Fazenda alguém comprovadamente ligado a Gim – que foi defenestrado da relatoria do Orçamento da União por estripulias financeiras com emendas.
Ou seja: o slogan de campanha anunciando um novo caminho pode ser na verdade um caminho seguro para Agnelo ser engolido pela corrupção que marcou os últimos 12 anos no DF – inclusive no ‘interino’ Rosso a quem André serve, indicado por Gim.





Mensaleiro do Demo com Agnelo/PT?

17 11 2010

Causou espanto e nojo uma visita, as cenas decorrentes e a conversa de Brunelli, ex-distrital pra lá de ficha-suja, mensaleiro do Demo/Arruda, protagonista de uma das cenas mais patéticas de desrespeitosas que foi a oraçãoi da propina, hoje de manhã na Biblioteca Nacional onde está instalado o chamado governo de transição de Agnelo Queiroz/PT – governador eleito do DF.
Brunelli foi levado ao local pelo pessoal de Filippelli e causou espécie ao defender a integridade e a dignidade de Bandarra – o corrupto-mor do Ministério Público e que recebia mesada, bolada e propina (primeiro de Roriz, depois de Arruda).
O que as pessoas não conseguiram entender é como e porque uma figura assim deplorável, sinônimo de tudo de mais podre que existe na política de Brasília, estava lá.
Fica a pergunta: Agnelo e o PT sabem o que a turma do Filippelli está armando?





Roriz tenta emplacar secretário de Fazenda. Do governo Agnelo/PT

16 11 2010

Mundo estranho, surreal e inacreditável.
Teleguiado pelo tucano e anti-petista Valdivino Oliveira, o rorizista Afrânio, ex-secretário de várias pastas do GDF nos últimos anos – foi por exemplo, nos tempos de Roriz, titular da Secretária de Desenvolvimento Econômico onde acontece toda sorte de falcatruas por conta do PróDF – faz parte da equipe de transição do Governador Agnelo Queiroz e é o homem sonhado por Felippelli para ocupar a estratégica Secretaria da Fazenda do GDF.
As reuniões entre Valdivino, Afrânio, Felippelli e outros acontecem sempre no Lake Side. Dizem que por trás de tudo isto tem o dedo de Roriz – de quem, supostamente, o vice de Agnelo está afastado.





Weslian candidata a Distrital. Em 2014

31 10 2010

A famiglia Roriz que foi desalojada do poder já trabalha com vistas a 2014. Pretendem se rearticular. A idéia é trabalhar um grupo coeso – incluindo Estevão, Rosso, as duas filhas e Weslian. Que poderá ser candidata a Distrital. Ela gostou da experiência. Como Roriz é um defunto político, a mulher e as filhas tentarão manter o grupo nas cercanias do poder…





Baixaria dá voto?

22 10 2010

Me criei fazendo campanha no tempo em que se discutiam propostas. Lembro que participei da campanha do Brossard (MDB) contra o Nestor Jost (Arena) – mesmo o Jost sendo da minha cidade (Candelária-RS). Lembro ainda de um discurso, em 1974, do Brossard, feito no CTG Sentinela dos Pampas onde ele, com aquele sotaque de fronteira dizia: “Nós temos que perder o medo. Nós temos que voltar a acreditar na democracia. Esta noite não poderá ser eterna”.
Nesta reta final de campanha, lembro do Brossard (aquele que sendo um liberal, na oposição ao regime militar virou um democrata radical). Temos que perder o medo da imprensa. Temos que perder o medo do poder das trevas que o Serra representa. E nós aqui no DF, precisamos voltar a ter orgulho de dizer que somos ‘brasilienses’ e não partícipes de uma bandalheira como forma os oitos anos de Roriz e os quatro anos de Arruda.
Transcrevo a seguir o texto ‘de capa’ do Jornal Passe Livre que circulou hoje em Brasília – 150 mil exemplares distribuídos gratuitamente – na rodoviária, em Taguatinga, na Ceilândia e no Guará.

BAIXARIA DÁ VOTO?

Na medida em que se aproxima o 2º turno das eleições para presidente em todo país e para governador no DF e em outros estados, o eleitor volta a conviver com o estigma da baixaria e da mentira.
Mas o eleitor está cansado de tanta patifaria e de tanta armação. As ‘revelações’ da turma do atraZo e da campanha do Serra não conseguem mais ludibriar ninguém. O problema do Serra e da turma do atraZo é que eles gostam de tratar o eleitor como se ele fosse um burro, uma anta e não tivesse capacidade de entender que tudo não passa de coisas enjambradas, mutretas e vídeos editados.
As mentiras e a hipocrisia do Serra estão fazendo com que Dilma abra 12 pontos de vantagem na pesquisa do Ibope divulgada na quarta-feira, dia 20. Ninguém tolera a leviandade e a irresponsabilidade de alguém que no afã de conquistar a presidência acaba optando pelo ‘vale tudo’.
Este quadro de irresponsabilidade se repete aqui no DF, onde a turma do atraZo despenca nas pesquisas e na tentativa de sobrevivência, parte para um proselitismo político que revela a leviandade que norteia suas ações demagógicas. Quem eles pensam snsibilizar com a promessa de anistiar multas? Só aqueles que já estavam com eles e que adoram ilegalidades e falcatruas. O que a turma do atraZo esquece é que aqui no DF vivem também pessoas com dignidade e com responsabilidade – que, conforme o 1º turno, representam a imensa maioria dos habitantes.
Fala-se em coisas bombásticas, mas o eleitor está vacinado: vindo da turma do atraZo não tem credibilidade. Afinal de contas, são sempre os mesmos, usando os mesmos métodos – valendo-se do mesmo roteiro da mentira. Nesta reta final da campanha para o 2º turno é preciso ficar atento e prestar bem atenção. Muitas ‘denúncias’ serão lançadas ao ar, tentarão destruir a reputação de muitas pessoas, muitas promessas estapafúrdias serão anunciadas.
A turma do atraZo e o pessoal do Serra ainda não se deu conta que o povo cansou de ser tratado como massa de manobra, como se não tivesse capacidade de decidir acerca do seu próprio destino.