Libertadores – jogos fora complicam os brasileiros

16 03 2011

Começaram ontem os jogos de mais uma rodada da Libertadores 2011, na chamada fase de grupos. A rodada é particularmente delicada para os times brasileiros que seguem vivos na competição – exceção ao Corinthians que foi desclassificado pelo Tolima (que por sinal enfrenta o Cruzeiro em MG, depois de um empate heróico, por parte do time estrelado) e ao Flu – que sobrevive com ajuda de aparelhos e agora sem treinador. Mas o Flu só volta a campo na próxima semana.
Pode-se dizer que esta rodada marca a abertura dos chamados ‘jogos’ de volta – mas nãos e trata de uma verdade absoluta, porque há grupos com mais partidas já disputadas e outros ainda bem ‘atrasados’.

Grupo 1

Todos com quatro jogos e a liderança é do Libertad, do Paraguai – que soma 10 pontos, seis gols de saldo e está classificado (mesmo sem saber se em 1º ou 2º). Mas faz uma largada que o credencia a ser o time de melhor campanha na fase classificatória (o que implica em vantagens lá na frente quando na fase do mata-mata o segundo jogo sempre se dá na ‘casa’ do time com melhor campanha na 1ª fase.
Outros times do grupo 1:
San Martin – Peru – 6 pntos
Once Caldas – Colômbia – 3 pontos
San Luis – México – 2 pontos
Por incrível que pareça, até o San Luis tem chances ainda – tendo em vista que lhe restam mais duas partidas e teoricamente pode chegar a 8 pontos. Mas será preciso muita matemática e negar todo o desempenho até aqui (dois empates). Mais provável que o segundo classificado seja o San Matin, do Peru e que manda seus jogos no Estádio Monumental de Lima.

Grupo 2

É o grupo onde está o Grêmio – que em três partidas venceu duas e foi derrotado fora de casa para o Junior Barranquila, graças à providencial intervenção do árbitro. De qualquer forma, os jogos desta semana podem definir a situação de modo mais claro. A liderança é do Junior Barranquila que tem 9 pontos, seguido do Grêmio com 6. O Grêmio vai até o interior do Peru, cidade de Huánuco, para enfrentar o León – que levou 2 a 0 no Olímpico.
O jogo do Grêmio acontece às 5 da tarde desta quinta – 3 horas lá – porque o estádio não possui iluminação. Coisas da Conmebol. Na outra partida do grupo, o Júnior Barranquilla joga em casa contra o Oriente Petrolero e já pode carimbar e garantir a sua vaga.
Todos os times têm três jogos.
Junior Barranquilla – 9 pontos
Grêmio – 6 pontos
León de Huánuco – 3 pontos
Oriente Petrolero – 0 pontos

Grupo 3

É o grupo que tem o Flu na lanterna com dois míseros pontos. O grupo teve jogo ontem, com a vitória do Nacional de Montevidéui que fora de casa venceu por 1 a 0 o Argentino Juniors. O Flu só volta a campo no dia 23 de março – na outra semana, quando jogará ‘em casa’, contra o América do México. A vitória do Nacional não deixou o Argentno disparar, mas também não dá mais chance de vacilo ao Flu.
Vamos ver a classificação, colocando entre-parênteses a quantidade de jogos de cada um.
Argentino Juniors (4 jogos) – 7 pontos
América (3 jogos) – 6 pontos
Nacional (4 jogos) – 4 pontos
Fluminense (3 jogos) – 2 pontos

Grupo 4

Este grupo só terá jogos na próxima semana e não tem nenhum time brasileiro. Todos têm três jogos e a classificação, bem embolada, é a seguinte:
Caracas – 6 pontos
Universidad Católica – 4 pontos
Unión Española – 4 pontos
Velez Sarsfield – 3 pontos

Grupo 5

É o grupo no qual está o time do Santos e só tem um jogo esta semana, exatamente envolvendo o time da Vila contra o Colo Colo, jogo que acontece hoje no Monunteal David Arellano, em Santiago a sempre bela capital do Chile. Olhando-se, percebe-se que é o time com os jogos mais atrasados, razão pela qual colocarei a pontuação e o número de partidas já disputadas.
Assim, esta é a situaçãod e momento no grupo:
Cerro POrteño (3 jogos) – 5 pontos
Colo-Colo (2 jogos) – 3 pontos
Santos (2 jogos) – 2 pontos
Deportivo Táchira (3 jogos) – 2 pontos

Grupo 6

Neste grupo, o Inter faz hoje sua terceira partida – quando enfrentará em Cochabamba o Jorge Wilstermann. Aparentemente é o grupo mais fácil desta fase e o Inter deve ser o vencedor na partida de hoje – para chateação de gremistas que, a exemplo de mim, sabem que este time tem todas as condições de abocanhar em 2011 o 3º título da Libertadores. Pode perder apenas pela incompetência do seu treinador, porque em termos de time, elenco e força é o melhor do País. Cabe lembrar que todo começo de ano, esta é a avaliação que é feita do grupo/plantel colorado.
Hoje, neste grupo, também tem Emelec x Jaguares – deixando uma disformidade na quantidade de jogos de cada time. Assim, repitamos a estratégia de colocar o número de jogos já realizados.
Jaguares (3 jogos) – 6 pontos
Inter (2 jogos) – 4 pontos
Emelec (3 jogos) – 4 pontos
Jorge Wilstermann (2 jogos) – 0 pontos

Grupo 7

É aqui que a coisa também tá renhida. Todos os times já tem 3 jogos e ninguém conseguiu disparar.A rodada para eles começa hoje com o Cruzeiro recebendo na Arena do Jacaré em Sete Lagoas o deportes Tolima e amanhã temEstudiantes contra o Guaraní – do Paraguai.
Uma vitória do cruzeiro hoje clareia bem a situação – e é fundamental, porque o time do meu amigo Heleno Carvalho faz os dois últimos jogos fora de casa.
Cruzeiro – 7 pontos
Estudiantes – 6 pontos
Deportes Tolima – 4 pontos
Guararaní – 0 pontos

Grupo 8

Por fim, chegamos ao grupo que tem na liderança, por critérios de desempate, o Godoy Cruz, da Argentina. Confesso que nunca tinha escutado o nome deste time. Todos já realziaram três partidas e quem está em primeiro tem seis pontos (dois times) e quem está em último (dois times), conseguiram três pontos.
Vamos lá:
Godoy Cruz – 6 Pontos (saldo 1)
Peñarol – 6 pontos (saldo 0)
LDU – 3 pontos (saldo 0)
Independiente – 3 pontos (saldo -2)

Ou seja – se Grêmio, Inter, Santos e Cruzeiro vencerem, ficam em situação confortável…
Tirante pessimismos pontuais, a verdade que a situação mais tranquila é do Cruzeiro que joga em cas e do Inter que pegará mamão com açúcar. Pedreira mesmo tem o Santos e eu não aposto nada no time do Grêmio em face de uma teimosia de Renato em escalar o time para perder, coo se ele realmente estivesse querendo voltar a ser treinador do Flu…





Libertadores 2011: naufrágio a vista ou apenas turbulência?

4 03 2011

A largada da Libertadores da América 2011 não tem sido aquela idealizada pelos clubes e incentivada pela chamada mídia esportiva. O fato de termos os principais clubes do País na disputa – Grêmio, Inter, Corinthians, Santos, Fluminense e Cruzeiro – gerava a certeza de que a principal disputa seria para saber quem seria o vencedor. Os demais times de outros países seriam apenas e tão somente figurantes.
Olhando a performance dos clubes, apenas pelos resultados – afinal de contas assisti somente um jogo de cada time – a situação é tensa.
Dois clubes estavam na fase eliminatória da Libertadores, que alguns erroneamente chamam de pré-Libertadores. O Grêmio foi sofrível nos dois jogos contra o Liverpool de Montevidéu, que mais parecia um time de amigos do bar que se reúnem para uma pelada, mas ao menos passou para a fase seguinte. Pior foi o Corinthians, que simplesmente não jogou diante do Tolima. Com esta performance, o time virou motivo de piada e constrangimento para sua sofrida massa de torcedores.

Grupos

Favorecidos por tabelas que possibilitaram dois jogos em sequencia em casa, Flu (grupo 3) e Cruzeiro (grupo 7) vivem realidades distintas. O primeiro respira por aparelhos e o segundo encaminhou bem a sua classificação com todos os indicativos de que fará a melhor campanha. Indicativos, não certeza… O Flu, por sinal, tem jogo decisivo no Engenhão dia 23 contra o mesmo América que o derrotou esta semana.
Quem não está conseguindo empolgar ninguém é o Santos (grupo 5), que contratou muitos jogadores e demitiu o técnico. Fez dois jogos, empatou ambos e ainda está devendo. Está em 3º no grupo, mas não deve ter problemas para se classificar. Pode ser beneficiado pelo fato de ter dois jogos ‘na volta’ na Baixada.
O Inter (grupo 6) é um enigma. Dono do maior plantel do futebol brasileiro, o time vive uma incompatibilidade entre os métodos do seu treinador e o gosto da torcida. Tem credenciais para ser tri, mas vai se defrontar com um desafio regional depois do carnaval: com o fracasso do chamado Inter B, o time A terá de se desdobrar em duas competições – algo que não é do agrado do treinador. Empatou fora, um jogo que estava ganho e fez 4 em casa – sem jogar bem. Fechará sua participação jogando em casa.
O Grêmio chegou à Libertadores amparado por uma surpreendente reação no Brasileirão e principalmente ao fracasso do Goiás na final da Sul-americana. O time de 2011 não consegue a mesma mecânica de jogo de 2010 – e o time se tornou previsível e repetitivo. E isto se deve não apenas por ter perdido Jonas, mas por conta de algumas bizarrices de seu treinador – como esta teimosi em jogar com dois centroavantes de área e manter a escalação de Carlos Alberto que parece ganhar a titularidade por afinidade e não por qualidade. Ao contrário de muitos, creio que o Grêmio precisa de um zagueiro pela direita, um lateral esquerdo e um atacante de velocidade – que poderia ser Éder Luis do Vasco, o único que tem algumas características de 2º atacante de velocidade.
Na minha opinião, o Grêmio entrará como 2º do grupo, mas pode crescer na fase do mata-mata.

Resumindo

Dos times brasileiros, apenas o Cruzeiro está dando conta do recado. O Fluminense decepciona. O Santos empaca. O Inter se debate em suas dúvidas, inclusive da conveniência de manter o treinador. E o Grêmio ainda busca reencontrar sua cara…





Dia de ressaca

13 05 2010

Para quem gosta de futebol – e eu gosto, mesmo tendo na verdade jogado muito e como treinador minha experiência foi mesmo com times de futebol de botão – a quarta-feira foi repleta de emoções, alegrias, tristeza e farto material para reflexão.

O Flamengo, para raiva dos leitores que torcem pelo time ancorado pela Rede Globo, está na plenitude de sua normalidade. Ganhou o Brasileirão de 2009 e não se deu conta de que ‘venceu’ por circunstâncias que não dependeram dele. Quem entregou o título foi o Palmeiras. E ainda foi beneficiado pelo fato de que na última rodada, o Grêmio, pela rivalidade regional, sentiu-se impedido de jogar ‘a veras’, entregando o jogo (e quase que o Flamengo perdeu para os reservas do tricolor gaúcho).

Assim, seu desempenho em 2010 revela: perdeu o campeonato carioca, entrou na segunda fase da Libertadores com as calças na mão e precisará ser épico para reverter o resultado de ontem no Maracanã na próxima quarta-feira, quando em Santiago do Chile vai se deparar com o time da Universidade. É jogo encruado. Tem condições? Pode… mas quantos flamenguistas ainda acreditam?

No duelo dos brasileiros, a volta do velho São Paulo – velho mesmo, basta observar a idade de seus principais jogadores. Venceu o Cruzeiro por 2 a 0 – mas, cá entre nós, o resultado não diz o que foi o jogo. Pelo visto, Adilson Batista poderá procurar novo emprego na semana que vem…

Nada vi e nem observei do jogo entre Atlético-GO e Vitória. Fico com a entrevista do Geninho: foi a pior partida do time goiano. Talvez isso explique a razão do magro resultado. A decisão ficou para Salvador, para onde o time aqui do centro-oeste leva a vantagem de poder empatar para passar de fase.

Já no jogo do Olímpico, uma constatação: fosse apenas pelo jogo de ontem e Dunga teria razão em não convocar o Vitor. Mas em relação ao Grêmio, acontece algo estranho: o time entra apático, toma um banho de bola no primeiro tempo e costuma reagir na volta do vestiário.

Fica a sensação de que Silas ainda não sabe armar o time para ‘começar’ um jogo, mas tem a qualidade de ler corretamente o desenrolar da partida e sabe reverter resultados. O intervalo tem feito maravilhas para o time – mas no caso do jogo da Vila, pode ser tarde. Impressiona, também, a condição física dos jogadores gaúchos – comandados na preparação física pela família ‘Paixão’ (Paulo, o pai, e Anderson, o filho).

No jogo em si, o Grêmio deu o primeiro gol numa pixotada geral da zaga, culminando com o Vitor catando borboleta. Desde os tempos de jogador – e  cobro isso até dos meus jogadores do time de futebol de botão – aprendi que não se marca a bola, mas sim o jogador. O que Grêmio levou o primeiro gol por ter ignorado este ensinamento básico.

Na continuidade, veio o segundo jogo e fiquei com a nítida impressão de que ninguém do time do Grêmio olhou ao menos um jogo do Santos por VT que fosse. É a forma como o time do peixe marca a maior parte de seus gols: roubada de bola no meio de campo e rápidos toques de bola.

Uma barbaridade que observei (responsável inclusive pelo terceiro gol santista) foi o Grêmio jogar com os zagueiros em linha contra um ataque rápido, talentoso e fatal como o do Santos. Não tem cabimento, mas foi assim no segundo e no terceiro gols do time da Vila Belmiro (como não foi mostrado o lance de cima, fique com dúvida em relação à posição do Robinho, mas tudo indica que Edilson desse condições).

A reação tricolor no segundo tempo teve algo de épico, mas fazendo o Santos provar do próprio veneno, com bolas entregues no meio de campo. O resultado final de 4 a 3 e a atuação de Ganso deixaram no ar a certeza de que Dunga errou feio ao não convocar Ganso – o melhor em campo. E mesmo com a falha de ontem, continuo acreditando que Vitor mereceria uma chance na Copa…

Por fim, uma dúvida…

A Federação Paulista de Futebol não deixou que os jogos finais do Paulistão acontecessem na Vila Belmiro pela flagrante falta de condições daquele estádio para sediar jogos ‘importantes’. Se isto valeu para uma decisão de Estadual, o que dizer da 2ª competição mais importante do País, no caso a Copa do Brasil?

É lamentável que a Vila, que não pode sediar jogos do Paulistão, seja liberada para uma competição muito mais importante – mas aí tem a ver com a própria CBF. Lembrando que na última eleição para o Clube dos 13, a CBF apoiou abertamente a candidatura de Kleber Leite – contando na sua cruzada com o aval e o apoio do timer do santos. Só mesmo isto pode justificar a liberação da Vila para um jogo da importância deste que acontecerá na próxima semana.

Previsões para lá:

– Vitória não passa pelo Atlético-GO

– São Paulo assegura a vaga

– Flamengo vence, mas não consegue fazer o resultado

– Contando com o alçapão da Vila – tenho o mau pressentimento de que o juiz vai ser o Hebert Lopes (para facilitar as coisas para o Santos) – o time praieiro vence o Grêmio e faz a final da Copa do Brasil.

Quanto ao jogo de hoje: gostaria que desse Estudiantes, mas o Inter faz o dever de casa…